Lallybroch
19 janeiro 2019

Livro x série de TV: episódio 11- If not for hope



Livro x série de TV: episódio 11- If not for hope







Contém spoilers dos livros e do episódio





No episódio desta semana foram usados como base os capítulos, 52, 53, 55, 58 e 59. O 54 e o 56 foram pulados – na verdade o iniciozinho do 54 aparece no final, quando Roger leva a surra em “corredor” polonês dos índios- , assim como o 57, mas acredito que possam aparecer no próximo episódio, uma vez que os dois primeiros referem-se ao cativeiro de Roger com os iroqueses e o último, o início do processo do resgate dele. Como neste episódio voltou a haver tramas separadas, também vou dividi-las para facilitar a compreensão. 



- Murtagh, Fergus e Marsali 




As cenas ente Murtagh, Fergus e Marsali que apareceram no episódio como um todo não existem no livro. Além do óbvio de que Murtagh está morto nos livros, nessa época da história, Marsali, Fergus e Germain estão vivendo já em Fraser’s Ridge e não na cidade como ainda aparece na série. Porém o pedido que é feito de Marsali a Murtagh para que ele convide seu marido para juntar-se em sua campanha contra os impostos abusivos não é estrangeiro à trama. Eu tenho a lembrança que Marsali pede a Jamie para que Fergus junte a sua campanha para lutar contra os rebeldes pelo mesmo motivo que ela o faz no episódio, e ele também recusa, entretanto, não consegui achar em que livro isso acontece. Se alguém souber, por favor, deixe nos comentários que eu editarei o texto. 





- Jamie, Claire e jovem Ian 




“Jamie mal falou com as pessoas desde nossa partida da cordilheira dos Frasers até nossa chegada no vilarejo de Tuscarora de Tennago. Eu viajei num estado de tristeza, dividida entre a culpa por deixar Brianna, o temor por Roger e a dor com o silêncio de Jamie. Ele era sucinto como Ian, e dissera apenas o estritamente necessário para Jocasta em Cross Creek. Comigo, não conversou.” 



No capítulo 53 (culpa), enquanto viajam em busca de resgatar Roger, Claire e Jamie estão distante um do outro, como a narrativa é de Claire, o leitor já sabe que ela se afasta por estar se sentindo culpada por não ter contado a ele sobre Stephen Bonnet, algo que no fim do episódio ela conta a Jamie, e por acreditar que Jamie também a culpava por ter guardado esse segredo dele. O restante do capitulo é a descrição de como os Frasers pretendem negociar a volta de Roger- trocando-o por uísque. Um detalhe é que é comum haver informações divergentes nos livros de Diana, ela mesma diz que às vezes se confunde e já chegou a lançar algumas erratas. No livro x série anterior eu comentei que no capítulo equivalente Roger havia sido entregue aos iroqueses, já no 53, é mencionado que foram aos Tuscarora e na série foi aos Mohawk. No capítulo, Claire tem a oportunidade de conversar com algumas índias, o que não ocorre no episódio. É nele também que Claire através de flashbacks lembra do diálogo com Brianna em que Bree insiste para a mãe partir e que apareceu no episódio anterior. Quando encontram os tuscaroras, Claire pede a Ian para que mostrasse a eles o amuleto de Nayawenne que ela havia trazido, perguntando a quem poderia devolver. Acredito que tenha sido por causa dele, que na série resolveram colocar Ian com um amuleto como uma espécie de rastreador. Como resposta Ian disse que os índios haviam dito que não poderiam receber o amuleto, pois era um pacote de remédios de um xamã e deveria ter sido enterrado com o dono. Nas conversas que teve com os índios, Jamie descobriu que Roger havia sido vendido aos Mohawk pelos tuscarora (agora a tribo coincide com a da série). Um dos índios, Onakara, concordou em guia-los, na série eles não tiveram essa sorte de achar um guia. Quando estão preparando-se para dormir, Ian pergunta a Claire se ela não vai perdoar Jamie. A intenção desse diálogo era aproximar Claire e Jamie novamente, porém as falas usadas na série são diferentes. No livro, Ian pede que Claire perdoe Jamie por Stephen Bonnet e no episódio, Stephen nem é citado nessa parte. Claire afirma que não culpa Jamie por ter libertado Bonnet e nem está com raiva do marido por causa disso. Ian disse que pensa que talvez poderiam ter evitado a confusão se Claire tivesse falado o nome, entretanto se corrige em seguida, pois eles já haviam encontrado Roger, quando Brianna contou a Claire. Claire pergunta a Ian por que ele achava que ela estava com raiva de Jamie e ele diz que eles mal se olhavam, estavam quietos e fazia quase um mês que ela não ia para cama dele. A isso ela responde que ele também não havia ido para dela. Ian conclui dizendo que odeia ver o tio sofrer, na série ele fala que odeia o sofrimento de ambos. 



“Por que eu não tinha percebido o que Ian percebera? Fácil responder: não fora raiva, mas minha própria sensação de culpa que havia me cegado. Eu havia mantido em segredo o fato de saber do envolvimento de Bonnet tanto por causa da aliança de ouro de casamento quanto porque Brianna havia pedido; eu poderia tê-la convencido a contar a Jamie, se tivesse tentado.” 



Claire vai ao local onde Jamie está dormindo, tira a roupa e pede para que ele venha aquecê-la, eles então fazem amor desesperadamente. Apenas depois disso, é que o diálogo entre eles em que Claire pede desculpas e abre-se sobre sua própria culpa inicia-se. Na série, a maior parte do diálogo apesar de conter o mesmo objetivo não tem as mesmas palavras do livro, exceto quando Jamie fala que nunca pensou que teria ciúmes de um homem morto, mesmo assim a continuação das falas também vem acompanhada de dizeres diferentes que trazem uma mensagem semelhante. A declaração de amor de Claire, em que ela afirma amar os dois aparece em ambas as mídias, assim como o questionamento de Jamie que se ele levar Roger de volta, Bree será capaz de perdoá-lo e a fala de Claire sobre pai e filha dizerem coisas quando estão com raiva que não querem realmente. No final do capítulo, os Frasers chegam na aldeia em que acreditam estar Roger, o que ainda não apareceu na série, muito provavelmente deve ocorrer no próximo episódio. 



A cena em que eles acham o corpo do companheiro de viagem de Roger não existe no livro, uma vez que o personagem também não existe no romance escrito por Diana. Acredito que o personagem foi introduzido como uma forma de rastrear Roger, uma vez que eles escolheram não colocar um guia indígena como no material original. 






-Brianna e Lorde John 




If not for Hope inicia-se com um pedido de perdão feito por Lizzie- o qual não está no livro- e que de certa forma dita o caminho que o episódio seguirá. Não apenas o tema da esperança escrita no título é constante- a esperança de resgatar Roger, a esperança de Brianna de não ter que se casar com um desconhecido, como a esperança de perdão da filha para o pai, de esposa para marido e de Claire e Jamie consigo mesmos também. Se não for a esperança, que seja o perdão. É o que ficou impregnado no seguimento de ações dos personagens; ou talvez, que seja o perdão, mesmo quando ainda houver esperança. 








No capítulo 52 é citado que quando Jocasta descobriu que Brianna gostava de desenhar ela lhe comprou o material de pintura, e no episódio essa sua habilidade é constantemente mostrada. Apesar de diálogo em que Jocasta fala sobre gostar de pintar assim como Ellen não aparece explicitamente, esse dom delas já havia sido comentado anteriormente tanto neste livro como nos anteriores, além de que no capítulo 57 é citado que Jocasta contava histórias sua infância na Escócia, sobre Ellen e sobre os outros Mackenzies da família para Bree. O capítulo 52 é resumidamente uma descrição da vida de Bree em River Run (além do trecho inicial onde é mencionada a despedida dela e Jamie e a entrega do bilhete, que no episódio ela recebe através de Lorde John). 


No capítulo 57 (Cativeiro II), Brianna estava pintando quando Jocasta chega acompanhada de Ulysses e avisa que o juiz Alderdyce de Cross Creek e sua mãe vieram fazer uma visita e pede que Bree vá trocar de roupa. Na narrativa, logo é indicado que essa não é a primeira visita de um homem solteiro que Bree recebe. Enquanto buscava um vestido para Brianna, Phaedre comenta que não há muitas mulheres solteiras na colônia, principalmente jovens e donas de River Run. É quando Phaedre revela que Jocasta planeja fazer de Brianna sua herdeira, o que na série ainda não apareceu, mas imagino que em algum momento vá. Brianna fala a Phaedre que não quer as terras e a isso a jovem lhe responde que Jocasta costuma conseguir o que quer. Então Jocasta não queria casar Brianna meramente pelo bebê, mas porque acreditava que ela não conseguiria administrar River Run sozinha, assim como Jocasta usava a ajuda de Ulysses e Duncan Innes, com quem mais tarde se casaria. Quando Brianna comenta sobre Roger, Phaedre responde que talvez Jocasta não tenha fé no retorno dele, além de não saber se ele seria um bom administrador. Para quem assistiu ao episódio, sabe que esse diálogo como um todo não apareceu nele, porém a visita dos homens solteiros sim. O capítulo é concluído com Brianna e Ulysses conversando sobre a liberdade dele, o que eu acredito teria sido interessante de ter sido inserido na série, mas infelizmente, por enquanto não foi. Olhando um pouco do passado dele, conhecendo um pouco mais do homem, que havia nascido livre, mas fora vendido por outro a quem sua mãe pedira para lhe ensinar um ofício, é possível ver um relance do processo de desumanização do homem para o escravo. 



“Uma vida inteira dedicada às necessidades de outra pessoa. Ulysses sabia ler e escrever em inglês e em francês, sabia lidar com números, sabia cantar e tocar espineta. Toda essa habilidade e aprendizado usados apenas para a diversão de uma senhora autocrática.” 



No capítulo 58 (Lorde John retorna), Phadre está trazendo um vestido de Jocasta de seda amarela para Brianna usar e menciona que teriam melhor companhia para a noite que o Sr. Cooper e o advogado Forbes. Ela falava de Lorde John, um lorde de verdade. É perceptível então que no livro Brianna vai conhecendo os pretendentes aos poucos, enquanto no episódio foi realizado um jantar em que todos estavam juntos. Entretanto, a visita de Lorde John foi em um jantar em que os outros pretendentes estavam presentes como série. Phaedre comenta com Brianna que Lorde John é amigo de Jamie; no episódio, ele mesmo conta isso a ela. Forbes também seleciona algumas pedras preciosas para Brianna escolher dentre elas. Ela tenta recusar-se a decidir, pois percebe que era uma armadilha de Forbes para um pedido público, assim que ela apontasse para uma pedra. Assim, ela pede a opinião da Sra. Alderdyce, a qual aponta para a esmeralda. No episódio, a senhora não tem nem tempo de responder, uma vez que Lorde John adentra o recinto. No livro, enquanto Brianna pensava em uma forma de roubar as pedras, Forbes insiste por uma resposta e ela diz que todas são lindas e que ela não era capaz de escolher. Logo em seguida, Lorde John chega e Jocasta pede para que Brianna seja a parceira dele durante o jantar, pedido que não apareceu no episódio. O desmaio de Brianna existe no livro, mas é real, resultado de uma enchente de pensamentos que ela tem em relação ao medo de seus pais não retornarem ou retornarem sem Roger; na série, foi uma maneira de se livrar de passear no jardim com Forbes. Depois que ela se recupera, Lorde John a procura para despedir-se e aproveita e fala que Jamie havia escrito para ele meses atrás para pedir ajuda na busca por Roger. Brianna então conta que sua mãe e pai foram resgatar Roger dos iroqueses. Ela fala a ele que Roger e ela casaram através de um handfasting, mas que sua tia não considera isso legal. No meio da conversa, John comenta que ela tem a força da mãe e o senso de honra do pai e Brianna se exalta e pede para que ele não fale sobre a honra do pai, pois foi ela que a colocou nesta confusão. John conclui o diálogo afirmando que decidiu passar a noite em River Run. 


Apesar da conversa que Jocasta tem com Brianna sobre a necessidade dela de se casar não existir no livro através da boca da anciã, ela foi em sua maioria adaptada do diálogo que Bree e Jamie tem quando Brianna descobre que Jamie havia solicitado a Ian que ele a pedisse em casamento. Assim, a conversa originalmente é bem mais raivosa do que foi e não tão delicada. 


No capítulo 59 (chantagem), é onde ocorrerá o pedido de Brianna a Lorde John para que ele se case com ela e onde também ao se levantar no meio da noite para usar o lavatório, ela vê Lorde John saindo do quarto de um dos escravos. Com medo de ser trancada do lado de fora, ela corre atrás dele e eles se esbarram. No episódio, Brianna vê bem explicitamente a relação sexual de John com o juiz, enquanto no livro ela assume pelo lugar de onde ele saia e a hora que ele era gay. Três dias depois, Bree decide colocar o plano em prática de chantagear Lorde John em um casamento; na série, o pedido foi feito no dia seguinte. Ela o convida para passear; no episódio, como estava na iminência de Forbes requisitar sua mãe, ela solicita que Lizzie vá chamar Lorde John para o passeio no jardim. O trecho da conversa deles na série é em sua maioria retirado do livro, porém bem mais resumido. Brianna já sabia que Lorde John tinha um filho e o menciona, dizendo que poderia ajudar a cuidar dela, o que na série ela descobre algumas cenas depois. Entretanto, existe algo bem diferente. No capítulo, Bree diz que não pode permitir que Roger se case com ela por obrigação, enquanto no episódio, ela fala a John sobre sua violação e que Roger pode não a querer. Bree também lhe explica que o havia o escolhido porque acreditava que ele não gostava de mulheres e não queria dormir com ele, mas se necessário lhe prometeria um filho. John fala que Jamie com certeza quebraria seu pescoço se ele se casasse com sua filha e após a pergunta dela, ele lhe conta que conheceu Jamie em Ardsmuir. 



“- Sim. Bem. Digamos que eu cultivo sentimentos de afeto por Jamie Fraser, e isso já tem alguns anos. – Ele balançou a cabeça suspirando. – E você vem oferecer seu corpo inocente, com ecos da carne dele... e ainda faz a promessa de me dar um filho que misturaria meu sangue ao dele. E tudo isso porque sua honra não permite que você se case com um homem que você ama ou que ame um homem com quem se case. – Parou de falar e escondeu a cabeça nas mãos. – Menina, você faria um anjo chorar, e Deus bem sabe que não sou nenhum anjo!
- Minha mãe acha que você é.
Ele olhou para frente ao ouvir isso, surpreso.
- Ela acha o quê?
- Talvez ela não fosse tão longe- disse ela, ainda franzindo o cenho. – Mas diz que é um bom homem. Acho que ela gosta de você, mas não quer gostar. Claro, compreendo o porquê agora. (...)” 



Esse é o momento em que John sabe que Claire nutre alguma admiração por ele. John conta a Bree então sobre a vez que teve que açoitar Jamie em Ardsmuir algo que foi cortado da série, a não ser que em algum momento incluam isso como um flashback. John acaba decidindo noivar com Brianna apenas para que sua tia pare de enfiar pretendentes para cima dela e assim entrega o anel de safira que usava para ela como aliança de noivado e lhe dá um beijo nos lábios, o que na série não ocorreu. Partem então para anunciar o noivado, concluindo o capítulo. 









“Se não por esperança” foi um episódio bastante sentimental, apesar de não extremamente emotivo. Enlaçando esperança e perdão, culpa e raiva, medo e amor, toca a ferida aberta de um relacionamento não completamente alicerçado entre pai e filha e que não se curará tão facilmente. Brianna busca um casamento como forma de escapar da tia, mas também por amor ao filho nascituro; é capaz de perdoar Lizzie, mas luta com os sentimentos controvertidos em relação ao pai e agarra-se a esperança e ao medo da volta de Roger. Jamie e Claire dividem o mesmo medo, enquanto trilham um caminho solidificado quase que completamente na esperança para achar Roger, eles pavimentam sua própria história de volta um para o outro com o perdão de si mesmos e o amor que compartilham entre si e pela filha. John é então quem permite a todos aterem-se a esperança, à Brianna de forma explícita e conhecida com o noivado falso e à Claire e Jamie ao cuidar de sua filha em sua ausência. Ainda mais nos acontecimentos que virão no próximo episódio. É o sentimento de amor pelo pai que carrega a proteção que John usar para cobrir a filha, mas daí nascerá uma bela amizade e um amor fraterno que se sustenta por si só. A esperança é o guia, mas os laços familiares que unem os personagens e a confiança um no outro é que criam o terreno fértil para o seu nascimento e cultivo. Se não for esperança, que haja perdão e a força dos Frasers. 






Por Tuísa Sampaio


12 janeiro 2019

Livro x série de TV: episódio 10- The deep heart’s core



Livro x série de TV: episódio 10- The deep heart’s core 




Contém spoilers dos livros e do episódio





“Os dois eram teimosos, os dois eram fortes. Os dois, graças a Deus, eram meus”
Os tambores do Outono - Diana Gabaldon



O décimo episódio desta temporada adaptou dos capítulos 48 ao 51 de Os Tambores do Outono, não necessariamente cobrindo todos os fatos de cada um, e um pequeno trecho do 52, irei mencionando ao longo do texto o que foi incluído e o que foi deixado de lado de cada um deles. 



Em A canção de um pai (capítulo 47), Claire, Lizzie e Brianna aguardam o retorno de Jamie para casa com a intenção de contar a ele sobre a gravidez da filha e a violência que havia sofrido. Como na série, Claire já havia falado para ele acerca da situação, não teria muito sentido incluir esse trecho. Assim, o episódio se inicia de uma maneira diferente com Brianna e Jamie conversando sobre o estupro que ela sofrera. Antes de chegar neste ponto, porém, vou focar um pouco nesse início de capítulo que não foi colocado na série, mas que eu acho de uma narrativa bastante elucidativa quanto à personalidade dos personagens. 



“No momento, ela estava se controlando bastante, mas eu sabia que sua aparência calma era muito frágil. Se ele dissesse uma única palavra que a magoasse, ela reagiria como uma bomba. Além dos cabelos ruivos e a estatura, ela herdara de Jamie a natureza intensa e a disposição de sempre dizer o que pensava.” 



Este trecho para mim ao ser relido, me fez perceber que existe a possibilidade de talvez a tapa que Bree dá em Jamie mais na frente faça parte do seu jeito explosivo de ser, mesmo que não tivesse sido algo escrito no livro. Eu comentei em alguns grupos que a presença desse tapa me incomodou um pouco e que eu considerava algo alheio a uma educação recebida por uma moça dos anos cinquenta/sessenta em que havia, muito mais que hoje, uma noção de respeito aos mais velhos. Entretanto, ao reler este capítulo e observar as pequenas descrições que Claire faz de como Brianna é, me fez perceber que a agressão não teve nada a ver com uma falta de respeito ou com o fato de ela não enxergar Jamie como pai e a ausência de uma estima paterna, mas sim, com um estouro, sem pensamentos, sem raciocínio, apenas a liberação da sua personalidade explosiva que se mostrou naquele momento. Eu posso não entender e não achar certo ou respeitoso, contudo não posso afirmar que a inserção deste tapa na série fuja da personalidade da Brianna do livro. 


Voltando ao capítulo, quando Jamie chega em casa, Claire vê sua mão machucada e ele afirma que havia a ferido ajudando Fergus com a chaminé; no episódio, Brianna pergunta sobre a mão e ele diz que a machucara em um acidente próximo ao alambique. No livro, Bree com medo da reação de Jamie pergunta a mãe se deve realmente contar a Jamie naquela hora, uma vez que ele estava cansado e com dor. Claire diz que talvez fosse o melhor para ele esperar, mas não era o melhor para ela, entretanto, seria mais sábio fazê-lo comer primeiro. Antes da refeição, Bree e Claire cuidam da mão de Jamie e ele brinca que ficará mimado. Esta cena para mim mostra um pouco de como eles estão se construindo enquanto família; principalmente Jamie e Bree que de estranhos passam a nutrir um carinho um pelo outro de um nível que ainda não foi demonstrado na série. E não digo que não foi mostrado por incompetência dos roteiristas, mas porque pelo tempo que tiveram não seria possível mostrar todas as cenas de afeto entre eles na adaptação. Acho que por isso, penso ser mais fácil para quem apenas assiste à série entender a tapa (voltando mais uma vez a ela) dada por Brianna em Jamie, mas eu enquanto leitora dos livros, me incomodei porque eu a acho algo tão forte para ser feito em um pai que ela- apesar de não ter sido criada por ele- havia já nutrido uma grande conexão. Nesse momento, é que eu tenho que parar para refletir e rever minhas próprias crenças pessoas, pois, como dizia Tolstói, existem tantas cabeças, quanto formas de pensar, e tantas formas de amar quanto corações. Não é porque Brianna exploda que ela o ame menos ou o respeite menos ou que seja mimada. As pessoas não se medem pela forma como demonstram sua raiva. Na verdade, é nesta hora em que elas precisam ser mais amadas. Apesar da tapa não existir no livro, eu acho ela mais fácil de ser compreendida pelas palavras de Diana, por isso que estou fazendo um paralelo com outros pontos da narrativa. 


No livro, enquanto Claire prepara a refeição do marido, Jamie começa a conversar com Brianna em gaélico – ele estava a ensinando aos poucos, algo que até agora não foi colocado na adaptação- e pede para ela lhe contar a verdade, é quando Bree e Claire percebem que ele já sabe. 



“(...) é que estou aqui com você, e sua mãe também. Não queremos você envergonhada nem magoada. Nunca. Está ouvindo.” 


E olhando para isso que Jamie disse para a filha, não é razoável considera-lo menos pelas palavras de raiva e contrárias que foram ditas quando ele acha que ela havia mentido. A reação dela pode não ter sido proporcional, mas todos estavam com ânimos raivosos e não pensavam, meramente ferviam. Voltando ao diálogo, Jamie pergunta a ela se Lizzie estava certa e foi um estupro, Bree diz que sim. Jamie fala então que arrumará um bom marido para ela e ela diz que não pode casar, pois amava Roger, mas achava que ele não iria mais a querer. Jamie diz que se ele for um homem de verdade não fará diferença para ele. Jamie comenta que cantava na caverna para ela, imaginando-a como um bebezinho em seus braços. Bree pede para que ele cante para ela agora e Brianna fala que ele não sabe cantar, mas que mesmo assim ele não deveria parar. Jamie comenta que ela pesa o mesmo que uma corça adulta ( Bree estava em seu colo), ao que ela retruca se deveria sair dali então, e ele diz que não. Essa cena se conclui com uma linda declaração de amor de Bree para Jamie. 



“- Mi gradhaich a thu, athair- sussurou ela. Meu amor a você, pai” 



Dá para pensar que ela não o enxerga como o pai a essa altura do campeonato? Após a conversa entre Brianna e Jamie, Claire e Jamie saem para conversar e Jamie lhe questiona se ela sabe quem foi o homem, Claire diz que sim, mas que havia prometido a filha não contar a ele e esperava que ele deixasse-lhe manter a promessa. Eles passam a dialogar então sobre as consequências dos estupros, sobre Roger e Frank. 



O capítulo 48 (em uma manjedoura) é por onde o episódio começou a ser realmente adaptado. Entretanto, seu início não foi colocado na série, em que Jamie realiza o parto de uma bezerra e Brianna leva comida para o pai, uma vez que Claire estava ausente, tendo ido ajudar uma moça a dar a luz e Lizze foi acompanha-la. Eles conversam e Bree descreve como era o berçário de uma maternidade para Jamie até que Brianna pergunta se Jamie matou Jack Randall. Assim, percebe-se a principal diferença dessa conversa nas duas mídias. Enquanto no livro, eles estavam em um berçário de animais, cercados de mamães e seus bebês; no episódio, Jamie pergunta se ela conhecia o homem, ao responder que não, ele a chama para uma caminhada, onde se iniciará o diálogo e as ações semelhantes as do livro, sendo parte dela na verdade sentimentos que Jamie havia expressado na conversa do capítulo 47. Uma diferença dessa cena também é que enquanto na série Jamie realmente mata Jack Randall, nos livros ele não sabe se o fez, então a resposta para essa pergunta é divergente. A ordem do que é dito também muda, além de no livro existem mais tópicos discutidos que na série. 



O tema do aborto aparece no capítulo 49 (escolhas) e ele surge quando Claire procurava os instrumentos cirúrgicos necessários para ele e é interrompida por Jamie. Jamie percebe qual é a intenção dela e fica chocado, ele não esperava que sua esposa fosse capaz de fazer um aborto na filha. Eles vão ter uma longa discussão sobre isso que não foi colocada na série. 



“- Sim, eu sei- começou ele, e teve que parar, engasgado demais para terminar. – Eu sei- começou de novo, e os músculos de seu maxilar incharam enquanto ele forçava as palavras. – Mas sei outra coisa: se eu não conheci o pai dele, conheço seu avô muito bem. Claire, esse bebê tem meu sangue!
- Seu sangue?- repeti. Olhei para ele e percebi a verdade.- Você quer tanto um neto a ponto de sacrificar sua filha?
- Sacrificar? Não sou eu quem quer cometer assassinato a sangue-frio!” 



Claire aguarda então a filha chegar em casa para lhe oferecer a escolha. A conversa nas duas mídias é bastante parecida, exceto que no episódio, Claire fala sobre Brianna voltar logo para o seu próprio tempo, o que no livro ela cita isso no primeiro diálogo sobre a gestação, quando Claire a descobre, como mencionei na resenha do episódio anterior. Além disso, a conversa do capítulo é um pouco mais longa e Bree fala sobre ter sentido a implantação do embrião. 



O diálogo que Jamie e Bree têm ao olhar Claire no jardim é um pequeno trecho que foi retirado de uma conversa deles no capítulo 43, o que não há é a fala de Jamie sobre a culpa e as respostas de Brianna quanto a isso. Partindo para o capítulo 50 (em que tudo se revela), pelo próprio nome é possível perceber que é nele que Brianna descobrirá o que o pai e o primo haviam feito com Roger. O modo como isso acontece, entretanto, é diferente no livro em comparação ao episódio. A discussão que se segue, no entanto, é bem similar. Na série, é por meio de Lizzie que Brianna sabe o que Jamie e Ian fizeram com Roger. No livro, é quando Brianna faz um desenho de Roger e mostra a eles, que ambos percebem o erro que cometeram. No episódio, quando Claire vai sair a procura de Roger é que Brianna entrega o desenho do rosto dele para ajudar na busca. Um ponto que aparece neste capítulo e que teve seu sentido e formato modificado foi o pedido de casamento que jovem Ian faz para Brianna para o meu desgosto. No livro, é uma cena cômica que eu amo, e na série a fizeram insossa e dramática, e em vez de ter sido incentivada por Jamie (originalmente havia sido ideia dele) foi reprimida, em uma clara mudança tanto da essência do acontecimento quanto da personalidade de Jamie. Porém, no livro o pedido é feito antes de eles descobrirem que Roger não era o homem que estuprou Brianna e achando que Roger não voltaria, Jamie quer encontrar um marido para a filha grávida. O pedido de casamento de Ian no livro finda por ocasionar uma briga entre Jamie e Brianna que devido ao modo como os acontecimentos foram expostos no episódio não teria espaço nele. Foi um grande choque de gerações entre eles, quando Jamie achava primordial que uma filha grávida estivesse casada, não importando seu querer. Era uma discussão que eu queria muito ter visto adaptada porque na minha opinião, apesar de trazer uma seriedade, tem um leve teor cômico, que poderia ou não ter sido explorado na interpretação, contanto que ela existisse. Após essa briga, pai e filha passaram a se ignorar. Jamie, incomodado com a situação, pergunta a Claire o que fazer para que se voltasse tudo ao normal e ela responde que ele deveria pedir desculpas. Ele fica revoltado, pois acredita que não fez nada de errado. Claire diz então que não faz diferença, ele havia perguntado o que deveria fazer. Assim, ele desculpa-se com a filha e ela facilmente o perdoa. Essa conversa em que há o pedido de desculpas que puxa para o assunto Roger, e Brianna o desenha. Ao ver a imagem de Roger, Jamie pergunta se ele tem outro nome além de Wakefield e Bree responde que Mackenzie. Como a conversa que ele tem com Roger antes da briga não acontece, não havia sentido falar sobre os nomes no episódio. Jamie acaba dizendo que viu Roger na montanha. Ian fala que Roger havia dito que havia tirado a virgindade da prima. Jamie conta que Lizzie havia lhe dito que Roger era o homem que havia atacado a filha. Brianna pergunta o que eles haviam feito com Roger. Jamie fala que o entregou aos iroqueses (no episódio, foi aos Mohawk), pois acreditava que a morte seria rápida demais para ele. É então quando o assunto se volta para o consentimento de Brianna ao dormir com Roger e a briga segue um caminho parecido com o do episódio, de forma mais comprimida, em que Jamie acha que Brianna tinha mentido sobre ser estuprada. Ian ao ouvir que Bree realmente quisera dormir com Roger solta um som de choque e ela lhe da um tapa, ele a chama de meretriz por isso e ela lhe dá um soco no estômago. No episódio apenas o tapa aparece, entretanto, tanto Ian quanto Jamie o recebem. Como havia comentado já no início da análise, no livro, Jamie não teve essa resposta física da filha. Enquanto no episódio, chegam a perguntar quem realmente havia estuprado Brianna, no livro isso não ocorre. Claire querendo parar a discussão coloca sua aliança na mesa para mostrar quem era o verdadeiro culpado. 









O capítulo 51 (traição) inicia a parte XI (pas de tout) é foi picotado durante o episódio, pois é a narração do que está acontecendo com Roger nas mãos dos iroqueses. Achei desnecessário esse seguimento de Roger, quando poderiam ter colocado apenas o final em que ele foge e encontra as pedras, assim sobrando espaço para se colocar o pedido de casamento de Ian e seus desdobramentos de forma semelhante ao livro. A maior diferença na linha da história de Roger é que ele não toma a decisão de voltar como aparece no episódio. Ele fica em dúvida, porém é laçado pelos índios antes de poder decidir qualquer coisa. Como seus pensamentos aparecem, é possível compreender mais por que ele ficou indeciso. Na série, achei que ficou parecendo que ele seria capaz de abandonar facilmente Brianna ali, sem nem saber se ela estava bem, o que no livro ele sabia que ela estava com os pais. Penso que pintaram um quadro feio do caráter dele nesse momento e que não representa o personagem do livro. 








A decisão de mandar Brianna para River Run enquanto Claire, Jamie e Ian vão em busca de Roger aparece no capítulo 52 de maneira narrada como um acontecimento passado, quando Bree já estava na casa de Jocasta, onde se despedia dos pais. É lá que Jamie diz que vai trazer Roger de volta ou não retornará. Jamie, além disso, deixa um bilhete para a filha, o qual ela de início não tem coragem de abrir. Aguardando as cenas dos próximos episódios o que mais me deixa ansiosa e que eu espero que adaptem de forma mais fiel ao livro possível é o encontro de Brianna com Lorde John e toda trama que ela se envolve com ele, o parto dela e o final, que tenho esperança que concluam com a mesma frase do livro.  













Por Tuísa Sampaio

04 janeiro 2019

Livro x série de TV: episódio 9- The birds and the bees



Livro x série de TV: episódio 9- The birds and the bees 



Contém spoilers dos livros e do episódio 



“Medo é sinônimo de futuro e o futuro é feito de estradas bifurcadas (...)”
Margaret Atwood 



The birds and the bees (em tradução literal: os pássaros e as abelhas) é uma expressão em inglês para referir-se de forma eufêmica a conversa que os pais tem com os filhos explicando sobre relação sexual e como os bebês são feitos.Na adaptação finda por haver também um significado duplo e literal relacionado com a caça das abelhas realizada por Bree e Jamie e o momento em que Brianna admira a mamãe pássaro alimentando seus filhotes. O episódio desta semana adaptou o final do capítulo 41, o 42 todo, o fim do 43, o 44, o 45 (a parte que não foi usada no episódio anterior) e o 46. 



Antes de falar sobre qualquer coisa, acho essencial mencionar a inclusão da malária de Lizzie neste episódio, algo que já deveria ter se manifestado quando Brianna e sua criada ainda estavam em busca de Jamie e Claire no capítulo 40. A malária será uma doença recorrente na vida de Lizzie e importante para o início de um futuro relacionamento dela, seria estranho que eles não a colocassem. A busca por Jamie, ainda em Wilmington, a partir das conversas de Lizzie com os rapazes próximos é algo que acontece enquanto ela está lavando as roupas de Brianna e ela descobre que ele ficará em Cross Creek por uma semana para um julgamento, o que – recapitulando- era o motivo principal de Brianna não poder partir com Roger em busca da pedra preciosa, além da doença de Lizzie, duas coisas que foram retiradas daquele episódio. No capítulo 41, Bree, já em Cross Creek, ao entrar em uma taverna é questionada se ela havia vindo para o julgamento de Fergus Fraser e ela diz que não. O proprietário comenta que com certeza Fergus seria inocentado porque Jamie Fraser havia vindo da montanha para testemunhar por ele. Ela pergunta se ele conhece Jamie Fraser e ele diz que em um momento ela também conhecerá, pois Jamie havia ido aos fundos. Em ambas as mídias, Jamie estava urinando quando Brianna o encontra, entretanto, no livro ele usava um kilt, já nas telas ele vestia calças. Brianna também ainda não havia colocado um vestido como na adaptação e andava com as calças consideradas masculinas. O diálogo colocado na versão televisiva foi bem similar ao do livro, cortando-se alguns pequenos trechos (sendo um deles a referência que Jamie faz a altura de Brianna, o que nas telas não haveria sentido colocar), mas acredito que a interpretação dos atores deu um quê de emoção que não havia ficado tão forte no livro. Outra diferença era o tempo. Enquanto no livro, era pôr do sol, que destacava bastante as sombras e cores e em especial o cabelo ruivo, na série de TV estava nublado. Na cena em que eles se encontram Bree pergunta logo a Jamie o que significa a leannan e annsachd, no episódio ela só o faz mais a diante, na caçada das abelhas. Ao ouvir a pergunta Jamie a questiona se ela não sabe gaélico, até que se toca que era obvio que ela não saberia. Bree comenta que aprenderá. A cena em que Jamie fala para Bree o chamar de “pa” também é essa do encontro e que na adaptação foi incluída na caçada. 



“- Pa... –Brianna começou a falar e então parou, tomada pela dúvida repentinamente. Como ela deveria chamá-lo? Papai, não. Frank Randall tinha sido o papai sua vida toda; seria uma traição usar essa palavra com outro homem... qualquer homem que fosse. Jamie? Não, não podia; por mais assustado que ele estivesse com sua aparência, ele ainda mantinha uma postura que impedia um tratamento tão informal. “Pai” parecia distante e sério... e, independentemente do que Jamie fosse, não era essas duas coisas; não para ela.
Ele viu que ela hesitou e corou, e percebeu qual era o problema.
–Você pode... me chamar de Pa –disse ele. A voz estava rouca; ele parou e pigarreou. –Se.... se quiser, claro –acrescentou.
–Pa –disse ela, e sentiu um sorriso aparecer com facilidade dessa vez, sem lágrimas. –Pa. É gaélico?
Ele sorriu de volta, e os cantos de seus lábios tremeram levemente.
–Não. Só é... simples.
E, de repente, tudo ficou simples. Ele estendeu os braços para ela. Ela se aproximou e percebeu que estivera errada; ele era tão grande quanto tinha imaginado, e seus braços a envolviam com muita força.”

No episódio, Bree encontra com a mãe ainda em Wilmington, assim como conhece Jovem Ian. No livro, Jamie estava sozinho em Cross Creek, então, Lizzie e Bree o acompanham na viagem de volta de carroça para Fraser’s Ridge e é lá que mãe e filha são reunidas. Porém, antes disso, Jamie levou as duas meninas até River Run, onde Marsali estava após ter finalmente retornado da Jamaica com Germain e jovem Ian. Bree meio acordada, meio dormindo, escuta Marsali chamando Jamie de “Pa” também, o que a deixa um pouco abismada. Jamie então a carrega nos braços até uma cama. No outro dia, Bree acompanha Jamie e Marsali ao julgamento de Fergus, algo que não existe na série, pode ser que seja incluso mais a frente, ainda mais, pois Fergus estava sendo julgado porque o xerife havia levado o cavalo de Marsali e deixado a andando a pé com Germain no sol quente, afirmando que era imposto devido, entretanto Fergus não devia imposto algum. Com isso Fergus foi acusado de roubar o cavalo de volta e atacar o xerife. Como na série está sendo usada uma trama de revolta dos reguladores contra a coroa por causa dos impostos protagonizada por Murtagh, existe uma chance da situação do julgamento de Fergus ser incluída em algum momento na história – ou não, nunca se sabe. Todos retornam a River Run e de lá partem para Fraser’s Ridge, porém Lizzie fica na casa de Jocasta devido ao estado delicado de sua saúde. Em casa, Claire estava pensando em como cultivar Penicilium para fabricar penicilina, quando escuta Jamie chegando, ela sai, mas não esperava encontrar o marido e a filha sentados em um banco enquanto o sol iluminava os cabelos ruivos que compartilhavam. 







“- Mamãe. – Era a mesma expressão: animação, alegria e saudade, tudo junto. Não tive tempo nem mesmo de pensar quando ela correu para os meus braços e fui erguida no ar, literalmente e figurativamente.” 



Algo que não foi colocado do encontro entre mãe e filha na série é a piada que Bree faz quando a mãe diz que não esperava isso, e ela comenta que ninguém esperava a inquisição espanhola. Não sei o porquê para mim essa frase é super emblemática dos livros e eu fiquei aguardando aparecer na cena, no entanto os roteiristas preferiram focar nas expressões e na interpretação do que explorar o diálogo. 



Iniciando a parte X (relação abaladas), o capítulo 42 (luar) trará a caçada de abelhas que ocupa um pedaço do episódio. A cena em que Brianna conta aos pais sobre o incêndio não aparece no livro, quando eles passam a falar sobre o assunto é como se já tivesse sido contado ao casal, supondo uma passagem de tempo, e assim, o momento em que Bree fala ficou implícito. O único ponto que me decepcionou neste episódio foi o encontro entre Brianna e Murtagh. Um dos meus maiores desejos em ter Murtagh vivo era imaginar como seria ele encontrando a cópia viva do grande amor da sua vida. Na minha mente ele iria olhar para Bree e se emocionar ao confundi-la com Ellen, mas não foi dessa maneira. Houve apenas uma mera troca de sorrisos e a comoção que se fixou na minha mente morreu lá mesmo. A história que Murtagh conta do primeiro beijo de Jamie com a filha de Dougal, Tabitha, aparece no capítulo 28 de A viajante do tempo, contada por Jamie a Claire. Retornando a caça das abelhas, Jamie acorda a filha e afirma que vai sair para caçar na montanha e a chama, assim como no episódio. Boa parte do que acontece neste momento são apenas descrições do trajeto, quando eles finalmente começam a conversar não tem o mesmo conteúdo do episódio. Bree se assusta com algumas pedras que a lembram os menires de Craigh na Dun e comenta que os caminhos que ela tomou na Escócia eram bem selvagens, mas nada como o que estava fazendo agora. Eles dialogam sobre espíritos da floresta, sobre a caverna em Broch Mhorda que Jamie viveu por sete anos, sobre Roger, sobre solidão. Para não dizer que nada do que falaram neste trecho do livro está no equivalente do episódio, Brianna pergunta o que eles vão caçar, Jamie responde que abelhas, ela retruca como se caçam abelhas e Jamie diz “procure flores”. Jamie também comenta qual é o tipo de flores que os beija-flores gostam e quais as abelhas preferem e esperam escurecer para pegar a colmeia. O treino de tiro acontece na floresta enquanto eles não têm mais nada a fazer além de aguardar a escuridão da noite. No episódio, foi no próprio quintal dos Frasers que eles “brincam” de atirar. O diálogo sobre como Jamie pegará as abelhas colocando fumaça próximo a colmeia é retirado daí, porém no livro Brianna não faz a ligação entre o lar dela e o das abelhas. Eles passam a conversar sobre a viagem do homem a lua. A cena em que Jamie não consegue dormir é descrita por Claire logo em seguida o fim da caçada e é mencionado como ficou o arranjo das dormidas, em que jovem Ian cedeu sua cama à Brianna. O diálogo tem a mesma premissa sobre o medo de Jamie de perder a filha, porém segue um caminho diferente, quando Claire menciona que nunca se perde realmente um filho e fala sobre Faith, a primogênita natimorta do casal, o que não ocorre no episódio. Ambos comentam que visitaram o túmulo da filha quando foram a França só que sem mencionar um ao outro à época. 













“- Sinto muito por você nunca tê-la visto – disse por fim, e senti quando ele suspirou. Ele se virou na minha direção e me abraçou, passando os lábios na minha testa.
- Não importa, certo? Sim, é verdade o que você diz, Sassenach. Ela se foi... mas sempre a teremos. E teremos Brianna. Se... quando ela se for, ainda estará conosco.
- Sim. Não importa o que aconteça, não importa aonde um filho vá, para muito longe ou por quanto tempo. Ainda que seja para sempre. Nunca perdemos os filhos. Não há como.
Ele não respondeu, mas me abraçou com força e suspirou mais uma vez.” 



O Jamie do livro parecia bem mais resignado com a futura partida de Brianna. O capítulo 43 (bebida no copo) foi parcialmente adaptado, sendo utilizado apenas seu final. O início do capítulo 43 retrata Claire e Brianna em um mercado fazendo compras e perguntando ao dono, Ronnie Sinclair, de quem Claire não gostava pelo jeito que ele olhava para Brianna, se um Roger Wakefield havia aparecido nas redondezas. A informação que receberam lá, no entanto, era sobre um tal de Hodgepile, o qual tinha interesse de conversar com Jamie sobre Uísque. Isso deixou Claire apreensiva em relação à destilaria ilegal do marido. Neste capítulo Lizzie já havia chegado a Cross Creek. A destilaria de Jamie aparece no episódio, assim como o comentário que ele faz sobre ela não chegar aos pés das bebidas preparadas em Leoch, porém a cena que é descrita nesse trecho é com Brianna, Jamie, Marsali, Ian e o pequeno Germain, enquanto no episódio era com Jamie, Murtagh, Ian e Brianna. Na cena do livro, quem rouba o momento é Germain, que após tentar comer uma barata finda por se engasgar com um botão, mas é socorrido por Brianna. Espero que Fergus e Marsali passem a integrar o elenco de Fraser’s Ridge logo, sinto falta deles e quero muito ver a interação entre Brianna e Marsali. É nesse capítulo também que Claire conversando com Duncan Innes chama Brianna de Bree, Kenny Lindsey escuta e fica interessado, perguntando então se ela chamava a filha de Bree. Ela responde que sim e pergunta por quê. Lindsey fica sem graça em responder, então é Jamie quem responde que Bree é uma palavra escocesa que significa “grande perturbação”. No episódio, o tema Bree começa a surgir na conversa na destilaria quando Brianna pergunta a jovem Ian se sempre o chamavam assim, ela acrescenta que as pessoas a chama de Bree, e Murtagh, jovem Ian e Jamie soltam sorrisos, mas nem um deles quer contar a ela o significado. Mais adiante Jamie conta a Claire, porém estava sem graça de falar a filha e quando eles vão caçar abelhas, Brianna brinca com o significado dizendo que Murtagh lhe explicara. 



No capitulo 44 (conversa de três lados), um mês havia se passado e nada de Roger. É logo no início desse capítulo que Jamie narra em forma de pensamento a lembrança de sua irmã Jenny observando seus filhos recém-nascidos por horas e a citação de Brianna ser um presente seu para Claire e de Claire para ele, coisas que no episódio ele comenta com a esposa. Alguns pontos que na adaptação, ele fala para Brianna na caça as abelhas aparecem nos pensamentos narrados de Jamie como quando ele pensa em Frank Randall e no fato de ele ter criado uma criança na qual ele não conseguiria reconhecer seus próprios traços, por causa de sua mãe e não pela criança em si. Assim, ele faz um agradecimento a Frank como uma prece. Enquanto Jamie trabalhava cortando lenha, Claire sai de casa com Brianna para colher cogumelos. Quando Jamie voltava para casa, ele encontrou com uma Lizzie assustada, logo em seguida jovem Ian aparece. A história que Lizzie conta a Jamie sobre o homem que havia visto com sua senhora em Wilmington em bem parecida em ambas as mídias, porém, no livro Lizzie conhecia Roger como Mackenzie por ter ouvido os marinheiros o chamando assim e fala seu nome para Jamie. Outra diferença desta cena no livro é que a gravidez de Brianna é mencionada pela primeira vez por Lizzie a Jamie. A moça por ser criada de Brianna sabia que ela não havia menstruado nos últimos dois meses. No episódio, a cena em que Claire descobre sobre a gravidez é transmitida primeiro, o que dá tempo de ela contar a Jamie, tanto sobre gestação quanto sobre o estupro. Não havendo necessidade da informação vinda de Lizzie. No livro, então, Jamie já assume que Mackenzie havia violentado e engravidado sua filha pela história contada por Lizzie. Tendo a comprovação de ambos depois – exceto de quem tinham realmente estuprado Brianna, isso demorará mais um pouco para ele saber. O diálogo no capítulo é mais longo que na série de TV, pois jovem Ian conta que deixou Rollo dentro da carroça de Mackenzie e roubou o cavalo de Roger. Jamie manda Ian pegar as pistolas e fala para Lizzie se esconder e esperar Claire, era para a menina falar a Claire que Jamie havia ido ajudar Fergus com a chaminé e ela não deveria dizer nenhuma palavra sobre o que ele iria realmente fazer para a esposa e a filha. Tanto no livro, quanto no episódio, Lizzie se pergunta o que havia feito, temerosa da reação do sr. Fraser. No livro, Jamie é muito mais precipitado usando apenas a palavra de Lizzie. Na adaptação, como Claire já havia contado sobre o estupro e a gravidez o “erro” dele é mais compreensível. Ele sabia o que acontecera com a filha e Lizzie apenas “confirmara” o culpado. 



O que acontece com Roger não é mostrado logo de cara aos leitores no livro, deixando uma tensão acerca do que Jamie iria fazer com ele. Em “Meio a meio” (capítulo 45), como já mencionei no livro x série de TV anterior é que Brianna conta a Claire os detalhes de seu estupro por Stephen Bonnet, porém sem contar a identidade do estuprador. É neste capítulo, portanto, que elas saem para catar cogumelos e outros alimentos e têm o diálogo revelador. Assim como no episódio, no livro, Brianna pergunta se Claire ainda consegue ler sua mente e Claire questiona de quantos meses ela está. A conversa no capítulo é mais comprida que no episódio com Claire insistindo para que Brianna retornasse pelas pedras uma vez que ela sabia por experiência própria que era possível a filha atravessá-las enquanto grávida, entretanto com uma criança provavelmente não. Elas começaram a discutir sobre o assunto e perceberam que era muito arriscado e que não havia tempo para a longa viagem de retorno à Escócia. É quando Claire comenta de uma passagem no Haiti (na época chamava-se Hispaniola), onde ela e Geillis se encontraram. Quando Claire pergunta a Brianna se ela não havia pensando em tomar precauções a resposta é diferente da da série. Enquanto no episódio Brianna diz que não pensou em trazer camisinhas, no livro, ela fala que não estava planejando fazer sexo ali. Mais a frente essa frase é a deixa para Claire descobrir sobre o estupro. Elas conversam também sobre as aulas que Claire deu na escola de Bree sobre sexo seguro e sobre a receita de anticoncepcional que a mãe havia deixado para a filha. Bree também ficou com medo da reação de Jamie, algo que por enquanto ela não demonstrou na série. O modo como o assunto sobre Roger ser o pai do bebê ou não surge é semelhante ao do episódio, porém é quando Claire lembra-se da frase de Bree sobre não planejar fazer sexo ela já sabe que foi um estupro antes mesmo da filha continuar. Brianna entrega a aliança dourada (na série a de prata) para a mãe e Claire não apenas confirma a violação, mas quem foi o culpado. Bree fala que não pretendia contar a mãe por causa do que Ian havia lhe dito que tinha acontecido no rio e ela não quis que Jamie fosse atrás dele, algo que ela comenta com Claire no episódio em outra cena mais adiante, quando Claire encontra a aliança escondida nas roupas da filha. Bree fala que pensou que poderia fingir que nada tinha acontecido, porém não tinha mais como. Claire pergunta sobre a diferença de tempo entre os dois homens e Brianna responde que dois. No episódio, foi na mesma noite então a resposta foi diferente. Claire pergunta então como ela poderia ter certeza que não era de Roger, Bree tenta falar, mas a mãe já raciocinou que eles usaram coito interrompido. Assim, ela brinca e diz que pessoas que usam esse método são conhecidas como pais. 

No capítulo 46 (a chegada de um desconhecido) é que há o enfrentamento entre Jamie e jovem Ian contra Roger. Este estava frustrado por seu cavalo ter sido roubado, o que não aconteceu na série. Tudo o que Roger conseguia pensar era no perdão de Brianna. Porém quando começa a caminhar ele se lembra da sorte que foi Stephen Bonnet ter duas pedras preciosas e acaba encontrando o cavalo roubado, ele pergunta ao animal como ele foi parar ali e como reposta recebe “do mesmo modo que você” da boca de Ian que apontava a pistola que o rapaz também havia roubado de Roger. Jamie aparece em seguida e meio que pergunta meio que afirma que Roger é o sr. Mackenzie, Roger diz que sim e pergunta se ele é Jamie Fraser. Jamie diz que é e questiona se Roger o conhece. Roger responde que Jamie parece muito com a filha (péssima resposta na atual situação). Jamie pergunta o que Roger tem com a filha dele e Roger responde que havia vindo buscar sua esposa (fazendo com que a teoria de jovem Ian de que Mackenzie teria vindo reclamar a prima tivesse sentido. Naquela época um tribunal poderia entregar uma mulher a um homem que fosse estuprada por ele se ela estivesse grávida dele, pois consideravam que ele tinha direito sobre o bebê. A isso Ian responde “Não veio não”. No meio da discussão Jamie pergunta se Roger tirou a honra da filha, Roger se enrola todo para responder e Jamie diz que quer um sim ou não. 



“Roger sentiu o rosto esquentar do pescoço à linha dos cabelos. Cristo, o que ela havia contado ao pai? E, pelo amor de Deus, por quê? A última coisa que ele esperava era encontrar um pai furioso, decidido a vingar a virtude da filha.” 



Roger responde que sim e que ela quis (reposta errada mais uma vez), é quando Jamie começa a bater nele. No episódio, o pobre do Roger nem questionado foi, Jamie já chegou socando-o, e neste ponto o “erro” de Jamie perde um ponto e torna-se menos compreensível. No livro, Roger consegue ainda se defender um pouco. Enquanto Jamie o acerta, ele grita que Brianna é sua, se comprometendo ainda mais. O último pensamento de Roger antes de desmaiar foi que ele iria morrer antes mesmo de ter nascido. 



Para mim, esse foi um dos episódios mais bem adaptados das quatro temporadas. Teve todos os diálogos iguais ao livro? Não. As cenas foram todas iguais? Também não. Mas ele incluiu o essencial dos capítulos que foram usados e o que foi acrescentado fazia sentido para a trama. O reencontro entre Claire e Bree foi lindo, assim como a primeira vez que pai e filha se viram. O estabelecimento de uma relação entre esses dois será longo, principalmente com o enorme choque de gerações existente, pelo menos assim espero que a série represente como foi no livro. A família que fora separada pela guerra começa a se unir e se expandir. No entanto, como isso é Outlander e nada fica calmo por muito tempo, uma nova separação está à vista. Uma nova ruptura já se fez presente no fim deste episódio com a surra de Roger e o seu desaparecimento, mais deverão vir nesse tempo de inseguranças. 





Por Tuísa Sampaio 
28 dezembro 2018

Livro x série de TV: episódio 8- Wilmington





Livro x série de TV: episódio 8- Wilmington 



Contém spoilers dos livros e do episódio



Esta semana, Wilmington adaptou o capítulo 40 da parte IX (passionnément), e o início do 41, além de um trecho do 45. Também voltou aos capítulos 6 e 12 para inspiração da trama da hérnia inguinal que foi usada como distração para salvar Murtagh de ser preso pelo governador e que cronologicamente deveria ter ocorrido no jantar que Jocasta ofereceu aos Fraser em River Run, sendo John Quincy Myers o portador da enfermidade. O episódio segue dois enredos no geral, um relacionado a Brianna e Roger e outro a Jamie e Claire. Farei uma divisão do texto apesar de majoritariamente a história de Jamie e Claire neste episódio não existir nos livros para facilitar a explanação, porém em termos textuais haverá muito mais coisa acerca de Bree e Roger. 



- Jamie e Claire 




Como já mencionei a trama de Jamie e Claire deste episódio praticamente não existe no livro. Entretanto, a cirurgia realizada em Fanning foi baseada na feita em Myers no capítulo 12. Claire diagnostica a hérnia inguinal de John Quincy Myers no capítulo 6, porém a cirurgia só é realizada no capítulo doze, quando ele aparece podre de bêbado na festa de Jocasta, pronto para ser aberto por Claire. Ela pensa se deve ou não fazer a cirurgia naquele momento e Jamie a incentiva afirmando que talvez John nunca tenha dinheiro e coragem para se embriagar novamente. Claire decide-se e manda que o paciente seja levado ao salão. Claire coloca um avental e Phaedre dobra suas mangas. Ela derrama conhaque na genitália de Myers e alguém comenta que é um jeito caro de matar piolhos, e Ian responde que eles morreram felizes, enquanto traz a caixa médica da tia. Dois condutores de carruagem seguraram as pernas de Myers, enquanto Andrew MacNeill e Farquard Campbell prendiam os braços e jovem Ian segurava o castiçal. Jamie fica dando uísque a Myers como uma espécie de anestesista-geral. No episódio, o governador Tryon é quem segura os membros superiores de Fanning, o paciente, e Jamie não está presente, uma vez que ele havia batido na hérnia para causar uma distração a fim de que ele pudesse avisar a Murtagh acerca da armadilha que o governador havia preparado para os reguladores. No meio da cirurgia, Myers começa a acordar e Claire grita para que Jamie dê mais uísque a ele. No episódio, quando Fanning se desperta, Claire pede para o governador distrai-lo. Um detalhe interessante é que Claire comenta que Myers era esquelético (e muito alto), na série escolheram colocar alguém com essa característica justamente oposta. Logo após a cirurgia as pessoas a parabenizaram, no episódio a aplaudiram. A cirurgia de Myers no livro serviu para distrair os convidados da festa e a própria Jocasta a fim de evitar que ela anunciasse publicamente que Jamie seria seu herdeiro. 







- Roger e Brianna 




O início do capítulo quarenta (o sacrifício de uma virgem) é dedicado ao cuidado de Brianna com Lizzie em decorrência da sua criada ter contraído malária, doença esta que ou Lizzie não irá ter na série ou apenas foi atrasada em sua apresentação, uma vez que a situação não apareceu no episódio. A enfermidade de Lizzie torna o desespero de Brianna em achar a mãe maior ainda. A intenção de Bree era encontrar um barco que levasse ela e Lizzie a Jocasta na direção de Cross Creek, pois ela saberia a localização exata dos seus pais. Lizzie acaba melhorando e vai lavar roupas, enquanto está na lavanderia, um senhor puxa conversa com ela e comenta que Andrew MacNeill conhecia James Fraser e Jocasta Mackenzie. O homem afirmou que Jamie estava em Cross Creek, pois ele havia ido testemunhar em favor de um homem que estava sendo julgado por um ataque. No episódio, Jamie estava em Wilmington, assim como Bree, pois tinha sido convidado para uma peça de teatro pelo governador. Acredito que a trama da peça, que não existe no livro, tenha sido inserida a fim de fazer um gancho rápido com o próximo episódio, colocando-os na mesma cidade, simultaneamente em que conduzia uma história para Murtagh e permitia o telespectador ter mais contato com Jamie e Claire, que neste capítulo não aparecem. Pelas informações de Lizzie, elas sabiam que Jamie iria ficar em Cross Creek por uma semana e elas, assim, teriam esse período para chegar lá. 

O episódio começa com Roger procurando Brianna, ele até mesmo conversa com Fergus e mostra o desenho que ele tinha dela, porém ninguém a havia visto ainda. No capítulo quarenta, Roger ao chegar a Wilmington passa a procurar Brianna em tavernas, de boca a boca, já que ele não portava nenhuma imagem dela; porém várias pessoas a tinham visto e isso permitiu a ele ter a certeza que eles estavam na mesma cidade. No episódio, Roger só sabe da presença da Brianna em Wilmington quando a encontra, pois a todos que ele mostrava o desenho ninguém a reconhecera. No livro, Roger se irrita com os comentários indecentes que os homens estavam fazendo em relação a Brianna e pensa que se ela tinha alguma ideia do que os homens são capazes. Mais adiante descobriremos que aparentemente ela não tem. No capítulo, ele também passa em frente ao Wilmington Gazetteer, JNO, porém não chega a falar com ninguém. Quando Roger estava indo em direção ao pub Blue Bull, ele encontra Brianna conversando com um jovem. Até que ela vira a cabeça e o vê. No episódio, Roger escuta a voz dela quando Bree está perguntando onde comprar passagens para Cross Creek. Em ambos, Roger age de forma agressiva, a arrastando para fora do estabelecimento, porém enquanto no episódio eles ainda se abraçam e se emocionam ao se reencontrarem; no livro, ela empalidece e Roger já quer arrastá-la com ele. 








“- Me solte!
–Não solto! Você vai vir comigo agora mesmo!
Dando a volta pela mesa, ele segurou o outro braço dela e a puxou, empurrando Brianna na frente dele em direção à porta.
–MacKenzie! Droga, era um dos marinheiros do barco cargueiro. Roger olhou para o homem com uma expressão séria para tentar mantê-lo fora daquela situação.
Felizmente, o homem era menor e mais velho do que Roger; hesitou, mas então tomou coragem por estar acompanhado e ergueu o queixo.
–O que está fazendo com a moça, MacKenzie? Solte-a! –Houve uma comoção entre as pessoas, homens se virando para prestar mais atenção, atraídos pelas vozes. Ele tinha que sair dali agora, ou não sairia nunca.
–Diga a eles que está tudo bem, diga que me conhece! –sussurrou no ouvido de Brianna. –Está tudo bem –disse Brianna, com a voz rouca pelo choque, mas alta o bastante para ser ouvida acima da confusão.
–Está tudo bem. Eu... eu o conheço. –O marinheiro relaxou um pouco, ainda desconfiado. Uma moça magra perto do fogo se levantou; parecia muito assustada, mas corajosamente pegou uma garrafa de cerveja, pretendendo acertar Roger com ela, se preciso fosse. Sua voz estridente pôde ser ouvida acima dos murmúrios:
–Srta. Bree! Saiba que não precisa ir com esse grosseirão.
Brianna emitiu um som que poderia ter sido uma risada, engasgada pela histeria. Estendeu a mão e enfiou as unhas com força nas costas da mão dele. Assustado com a dor, ele soltou o braço dela e ela se livrou dele.
–Está tudo bem –repetiu ela, com mais firmeza, para todo mundo. –Eu o conheço. –Fez um gesto discreto para que a menina se acalmasse. –Lizzie, vá para a cama. Eu... eu volto depois. –Ela se virou e caminhou em direção à porta, depressa. Roger olhou para as pessoas do bar de modo ameaçador, para desestimular qualquer um que pretendesse interferir, e a seguiu.
Ela esperava do lado de fora; afundou os dedos no braço dele com uma força que seria gratificante se demonstrasse apenas alegria por vê-lo. Mas ele duvidava que fosse só isso.
–O que você está fazendo aqui? –perguntou ela. Ele segurou os dedos dela com força. --- Aqui, não –disse ele. Segurou o braço dela e a arrastou um pouco mais pela rua, para o abrigo de uma grande nogueira. No céu, ainda havia um pouco de luz, mas os galhos baixos se aproximavam do chão e estava escuro o bastante ali para que eles se escondessem de qualquer curioso que pensasse em segui-los.
Ela se virou para ele assim que chegaram à sombra.
–O que você está fazendo aqui, pelo amor de Deus?
–Procurando você, sua tola! E que diabos você está fazendo aqui? E vestida desse jeito, meu Deus! –Ele olhou para ela por um único instante e a viu de calça e camisa, mas foi o suficiente.” 



Enquanto no episódio, Brianna estava usando vestido; no livro, ela voltara a usar calças. Na adaptação, Bree diz que não contou a Roger sobre a viagem porque não sabia em que pé eles estavam após a última conversa e isso o deixa um pouco decepcionado. Como no livro, eles tinham se reconcilidado mesmo após o pedido malsucedido de casamento de Roger esse comentário não existe. Ela, na verdade, comenta que não contou nada a ele porque ele a teria impedido de vir, o que ele confirma de uma forma meio grosseira e isso a leva a lhe dar um tapa. Quando ela tenta lhe bater de novo, ele segura sua mão e diz que se ela fizer isso de novo ele usará violência, porém ela consegue dar um soco na barriga de Roger. Ao que ele responde segurando e lhe beijando. Brianna fica preocupada porque com Roger no passado, ela não teria em quem pensar em seu próprio tempo para poder retornar, ele era a única pessoa que ela tinha lá. Mesmo sem dizer “eu te amo”, Roger entende que isso era o que ela quis dizer, só depois que ela fala as palavras . No episódio, ela diz claramente as palavras logo em vez de falar sobre não ter mais ninguém para focar sua mente para atravessar as pedras. Assim, a briga deles nas telas acaba sendo bem mais leve do que a escrita no livro. E Lizzie apenas vê a discussão, não chega a comentar nada sobre a ida de sua patroa, como ocorre no material original. No capítulo, Bree ainda conta como sonhara com os pais e como rastreara se eles realmente estiveram no local do sonho. Ela descobriu a ida deles para Jamaica e a compra do escravo Temeraire realizada por sua mãe. Ela comenta então que nessa pesquisa achou a notícia sobre a morte dos pais. Roger fala que ela estava tão distante em suas últimas cartas que achou que ela tivesse conhecido outra pessoa. Ela pergunta como ele descobriu da vinda dela e ele diz que as caixas que ela havia enviado chegaram um dia antes dele sair de Oxford devido a uma mudança de planos dele. Ela pretendia que ele estivesse na Escócia quando chegassem e só encontrasse as caixas no retorno. Na série, ela também faz a pergunta, porém a resposta a outra, pois ele descobre de outra maneira: através de Gayle que avisa que Brianna foi visitar a mãe. 

No episódio, após o fim da discussão Roger arrasta Brianna para um lugar mais fechado, alguma espécie de depósito e eles começam a se beijar indicando que isso levaria a situações mais profundas. É quando ela pergunta se ele tem certeza, pois ele havia dito a ela que a queria por inteiro ou não a queria. No livro, é ele quem pergunta e ela lembra essa fala de Roger dizendo que sim, tem certeza. Roger diz então que se a tiver agora será para sempre e ela responde que sim. E só depois dessa resposta é que ele a leva para o galpão. No episódio, ele fala sobre o para sempre quando eles já fizeram o handfasting e ele está prestes a tirar a virgindade dela. 



“- Você sabe o que é handfasting?
- Não exatamente. Um tipo de casamento temporário?
- Mais ou menos. Nas ilhas e nas partes mais remotas das terras altas, onde as pessoas viviam longe das igrejas, um homem e uma mulher faziam o handfasting; juravam um ao outro viverem juntos por um ano e um dia. Ao fim do período, eles encontravam um pastor e se casavam de modo mais permanente... ou se separavam.” 



Para poderem fazer amor pela primeira vez, eles querem estar casados, porém na ausência de um padre ou pastor, o handfasting é feito em substituição apesar de ambos comentarem que não querem nada temporário. O ambiente estar escuro no episódio, entretanto não está no nível de escuridão descrito no livro, em que eles mal conseguiam se ver. Eu imaginei que a produção da série talvez não fosse mostrar realmente eles fazendo amor, mas sim realizar um efeito com sombras para reproduzir essa escuridão. Acho que no fim das contas eles quiseram espelhar a primeira vez de Roger e Bree com a de Jamie e Claire em The Wedding. Foi uma decisão bem acertada. Roger e Brianna tiveram mais química do que eu poderia imaginar. Roger desde que foi para o passado ganhou mais um temperinho e a adaptação foi bem mais gráfica que o material original. No livro, como eles estavam com dificuldade de tirar a roupa um do outros devido à escuridão, ficaram fazendo piadas, o que no episódio não ocorre. Em Wilmington, Roger comenta que Bree é a mulher mais linda que ele já vira. Não teria como ele ter comentado isso no capítulo, porém ele fala que ela tem o traseiro mais lindo depois de apalpá-lo. No episódio Bree, depois o ato sexual, tem a intenção de fazer sexo oral nele, ao que Roger tenta negar, mas desiste. No livro, ele está em pé e ela se ajoelha para fazer antes de eles fazerem sexo pela primeira vez. Ele, no entanto, pergunta se ela tem certeza que quer fazer isso, e a isso ela devolve outra pergunta, se ele não quer que ela faça. Roger diz que sim, mas que fazia dias que não tomava banho. Nisso ela brinca dizendo que ele estava cheirando bem, como um animal. Ela pergunta se está fazendo direito, e ele diz que acha que sim. Ela, meio empertigada, questionou como assim ele achava e Roger meio que dá a entender na resposta que nenhuma outra moça tinha feito isso antes nele. Essa revelação não foi inserida no episódio. Em seguida foi a vez de Roger fazer sexo oral em Brianna, e essa era a primeira vez que ele iria fazer também. Quando ele desce, ele comenta que fazia mais de um ano que queria saber a cor dos pelos pubianos dela, porém que agora mesmo cara a cara ele não conseguia ver. No episódio, ele faz um comentário parecido, mas ele consegue enxergar. Ela pergunta se ele quer que ela diga e ele diz que prefere se surpreender pela manhã. Roger imita a pergunta de Bree e pergunta se está fazendo certo, e ela diz que sim. Ele, assustado, questiona como diabos ela pode saber. Ela só faz rir. Quando eles vão começar a fazer amor, ele fala para ela sentir seu coração e dizer a ele caso ele pare, o que também é dito no episódio. Em Wilmington, Roger pergunta a Brianna se doeu a primeira vez e ela diz que sim, mas que gostou. No capítulo, ele pergunta se a machucou e ela responde que sim, porém ela não se importou. Em seguida Bree pergunta se fez tudo certo. Ele responde que sim, e indaga como ela pôde pensar algo diferente. 



“-Bom, você não disse nada. Só ficou deitado como alguém que foi atropelado. Pensei que tivesse ficado desapontado.
Foi a vez de Roger rir, com o rosto meio enterrado na pele lisa do pescoço dela.
- Não- disse finalmente, aspirando ar. – Agir como se sua espinha tivesse sido removida é um bom indício de satisfação masculina. “ 



Bem parecido com o episódio. Entretanto logo em seguida Brianna comenta sobre um livro no qual “aprendeu” a fazer felação. E Roger se assusta que exista um livro para se ensinar jovens tais coisas. Esse trecho não foi colocado no episódio infelizmente. No capítulo, no dia seguinte, o casal acorda e Roger, enquanto narrador em terceira pessoa, comenta que eles haviam feito amor três vezes. Na série, só foi uma vez, ainda mais porque a briga entre eles ocorre na mesma noite. Roger pede desculpa pela noite de núpcias dela não ter sido com lençóis limpos e uma cama macia. Ela responde que já teve cama macia e lençóis limpos, mas não isto. Semelhante a fala do episódio, entretanto nele, não há o pedido de desculpas. O comentário de Bree sobre nunca ter se sentido tão feliz também é algo retirado deste trecho. Brianna e Roger passam a comentar sobre como conseguir uma pedra preciosa para a travessia de volta. Roger fala que acredita que conhece alguém que esteja de posse de pedras, porém a pessoa está em New Bern e ele teria que ir logo antes que ela partisse. Brianna teria que ficar esperando onde estava, entretanto. Bree comenta que não poderia ficar, pois sabia da localização de Jamie Fraser em Cross Creek e sua curta estadia. Roger pede para que ela espere ele voltar, mas Bree diz que não pode esperar por causa da doença de Lizzie. Então, Roger ficou de se reunir com ela assim que pudesse e ele pede a ela que use um vestido em vez de calças. Eles começam a discutir porque Bree está com medo de ele ser pego roubando a pedra preciosa e seja enforcado e acabam fazendo amor novamente. 


Em seguida, Roger comenta que tinha acabado de casar com sua seis vezes tia-avó uma vez que ele era descente de Dougal e Geillis. Na discussão sobre o grau de parentesco, Roger comenta que Jamie talvez seja também seu único parente vivo. Bree comenta que havia Jenny e Ian e seus filhos e pergunta o que Roger disse a eles quando os encontrou, supondo que para Roger saber onde ela estava ele tivesse passado por Lallybroch. Ele responde que nunca esteve lá. Ela questiona como ele sabia onde ela estava, pois não haveria motivos para ele saber que ela estaria fora da Escócia. Ele gagueja e ela já compreende que ele sabia sobre a notícia do incêndio. Ela passa atirar perguntas a ele sobre desde quando ele sabia e porque não havia contado a ela. Roger diz que não mostrou nada a ela porque tinha conhecimento que Bree nada poderia fazer. Seus pais já haviam tentado mudar o passado e não havia dado certo. Eles brigam e Bree diz que ele vá ser enforcado roubando pedras que ela vai salvar os pais. Ela parte, mas antes diz que não se importa com que ele faça, se ele vai ficar ou vai voltar pelas pedras ou para a Escócia, mas ela vai salvar os pais e ele não pode impedi-la. A briga, assim foi um pouco diferente do episódio e para mim, a do livro faz bem mais sentido. Bree não expulsa Roger como na adaptação. Ela simplesmente parte para continuar com sua missão, enquanto está bem chateada com ele e Roger de qualquer forma iria em busca de roubar as pedras preciosas. Bree retorna para seu quarto com Lizzie, e esta fica preocupada porque sua patroa parece estar angustiada. Roger grita do lado de fora da janela que iria voltar para ela, o que no episódio não ocorre e o faz parecer mais embuste ainda. Um dos comentários dos roteiristas era que não viam sentido no abandono de Roger por Bree então eles tentaram criar uma forma que tivesse, porém foi justamente o contrário. No livro quem vai embora primeiro é Bree e a partida de Roger tem um significado importante, ele precisava fazer isso para puder preparar a viagem de volta de forma segura. Lizzie não conseguia dormir e resolver lavar as roupas que Bree estava usando antes de se deitar. Ela sente tanto o cheiro de prazer masculino quanto vê a mancha de sangue na calça próxima a região genital. Todo o contexto ajuda a ela assumir que Roger violentou Brianna. Na série, eu imagino que eles coloquem a cena de Bree voltando para o quarto, e Lizzie vendo a mancha, porém como houve mudança cronológica vai ser realmente após um estupro, o que Bonnet faz nela. 



O estupro de Bree é algo do qual tomamos conhecimento a partir de um flashback no capítulo 45, entretanto, o encontro prévio com Bonnet é narrado em um trecho do capítulo 41 (fim da viagem). Bree estava pegando água quente no salão para fazer chá para Lizzie, no capítulo 41, quando ela passa perto de uma mesa cheia de coisas e vê rapidamente um brilho dourado. Ao olhar novamente ela reconheceu como sendo o de sua mãe com Frank por causa das escrituras internas. Assim, ela coloca a mão no ombro do homem que estava sentado e que estava com o anel e ele lhe pergunta se havia vindo para lhe dar sorte. No episódio, Bonnet a puxa e pede para que ela assopre o anel para que lhe conceder sorte, é então quando Brianna reconhece o anel de prata de Jamie e Claire, uma vez que a aliança roubada na série foi esta. No livro, Bree pede para esfregar o anel para ter sorte, mas sua intenção era examiná-lo de perto a fim de ver se era realmente a aliança dos pais e nela ela encontra a inscrição que comprova sua suspeita “De F. a C. com amor. Sempre”. Enquanto no episódio, Bree já comenta que a mãe tinha um anel igual aquele, no livro ela fala que o anel era muito bonito, pergunta lhe onde conseguiu e se a esposa dele não ficaria brava caso ele perdesse a aliança dela. Bonnet passa a dizer cantadas para ela, como que se tivesse uma esposa a trocaria por Brianna. Ele a chama para se encontrar com ela no outro dia, e ela diz que sendo de dia ela estaria lá. Bonnet brinca dizendo que as mulheres preferem ele no escuro e fala para ela ir ao Gloriana no dia seguinte. No episódio, Bonnet a leva para “negociar” o anel – pelo menos era o que Bree pensava – na mesma hora em uma sala do pub em que estavam. Para a cena do estupro temos que pular para o capítulo 45, quando ela conta a Claire sobre ele. Assim que Bree entra no recinto, Bonnet elogia sua beleza e ela de prontidão pergunta se ele ainda está com a aliança. Brianna pede que ele a venda para ela. Bonnet pergunta por que ela a quer. E Bree diz que parece com a da mãe dela, perguntando em seguida onde ele a havia conseguido. Bonnet convida Brianna para ir a sua cabine a fim de que possam realizar um acordo em relação à aliança. Ele afirma que a aliança foi uma lembrança de amor e que os cavalheiros não devem falar sobre isso. Bree pergunta se a moça que deu o anel a ele está bem, pois era má sorte usar joias dos mortos, algo semelhante ao que diz no episódio, porém citando expressamente sua mãe. Bonnet afirma que a moça estava viva e bem quando a deixou. Quando Bree menciona a venda novamente, Bonnet pergunta quanto ela vai oferecer e a isto, Bree responde quinze libras esterlinas. 








“- Tenho bastante dinheiro, querida. Qual é a cor dos pelos entre as suas pernas?
(...)
- O senhor me entendeu mal – disse ela. – Eu não pretendia...
- Talvez não – disse ele, e as pontas dos seus dentes apareceram em sorriso. – Mas eu pretendia. E acho que talvez você tenha me entendido mal, querida” 



Quando Bonnet parte para cima de Brianna, ela bate com a garrafa de conhaque na cabeça dele. Ele pegou a garrafa e deu um tapa na cara dela. Quando Bonnet abre as calças ele fala “conheca o Leroi” fazendo referência ao seu membro. Ele a força a fazer sexo oral nele. Bonnet vai levá-la para cama, Bree, então, dá uma cabeçada nele, o que ocasionou que o sangue escorresse de uma das narinas dele. No episódio, a surra que ele dá nela é que faz com que o nariz de Bree sangre e não, o dele. Brianna ao contar a mãe diz que depois disso ela não lutou mais. No fim, tanto no episódio quanto no livro Bonnet comenta sobre já ter feito sexo com mais ação, entretanto cada um com um palavreado próprio. No capítulo, Bonnet fala que a aliança está em cima da mesa e que ela deve pegá-la e que há dinheiro na mesa também se ela quiser pode levar. Bree confirma então se ele está oferecendo dinheiro a ela e ele responde que paga pelos prazeres dele e se ela achava que ele não pagaria. No episódio, ele fala a frase sobre os prazeres ao entregar a aliança nas mãos dela. Bree no livro responde que não pensou nada. A isso ele fala que é um homem honesto para um pirata, assertiva que ele também fala no episódio. No fim, ele complementa que ela valeu a pena. 



Acredito que um retrato triste e ainda atual do estupro de Brianna é ver os homens escutando e nada fazendo. Agindo como se aquilo fosse algo natural. Tal natural que até um deles organizou as botas dela para que não atrapalhassem o caminho. NEM UM único se levantou para resgatá-la. A vontade dela não significava nada. Como se uma mulher sozinha não tivesse “dono” e por isso estava disponível para qualquer um usar. Algo semelhante ao que ocorre na cena em que Jamie dá uma surra em Claire na primeira temporada, e que todos na taverna que eles estavam escutam, mas achavam natural um homem “disciplinar” sua mulher. Infelizmente algo que na série inseriram um viés cômico, o que eu considerei ofensivo. Não é engraçado fazer piada com violência contra a mulher e no livro isso não foi engraçado. Eu não lembro quem me contou essa história, mas dizem que em uma situação em que uma mulher se sente intimidada sexualmente é melhor gritar “Fogo!” do que “socorro!”. O fogo é algo pelo qual veem em ajuda, qualquer outra coisa há dúvidas. Nesse mundo em que ainda há aqueles que acreditam que “em briga de marido e mulher não se mete a colher”, muitas mulheres ainda sofrem com as barbaridades de homens que agem com os pensamentos retrógrados dos séculos passados. E ainda são culpabilizadas pelas violências que recebem. Não é apenas Brianna, ou outras meninas, no século XIII, mas várias moças no século XXI que vivem a dor de serem abusadas e de serem negligenciadas pela omissão. Séculos se passaram, o pensamento de alguns evoluiu, mas não o de todos. E a omissão também responsabiliza. O poder de impedir também é um poder. O modo como eles escolheram não mostrar o estupro, mas só fazer o público escutar, enquanto mostravam a omissão masculina, foi incrivelmente incômodo e acho que talvez não teria sido tão bem feito se tivessem realizado a cena de forma gráfica. Os pedidos de socorro dela foram dolorosos para mim. Assim, como deveriam ter sido para aqueles que estavam próximos e que tinha o poder de ajuda-la e que se tornaram partícipes na responsabilidade da violência que Brianna sofreu. 



No próximo episódio deve ocorrer o tão esperado encontro entre Jamie e Brianna e espero que a produção supra minha expectativa, principalmente depois de praticamente terem retirado o encontro de Bree com os Fraser na semana passada, que era um dos momentos mais aguardados por mim. Quanto ao episódio Wilmington, acredito que ele tenha sido um dos melhores desta temporada até agora, e a adaptação dos dois principais pontos do livro que foram nele colocadas: a cena de amor entre Roger e Brianna e o estupro de Bonnet contra Brianna foram excelentes, causando sentimentos opostamente chocantes. 









Por Tuísa Sampaio 

Lallybroch - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2016