Lallybroch
31 janeiro 2019

Livro x série de TV: episódio 13 (season finale)- Man of worth



Livro x série de TV: episódio 13 (season finale)- Man of worth 




Contém spoilers dos livros e do episódio 



“- Desça- ordenou- e diga a eles que os Mackenzie estão aqui”
Brianna em Os Tambores do Outono 



Assim que eu terminei de assisti ao último episódio dessa temporada, tive um pequeno momento de desespero pensando em como iria escrever esse texto. Muito do livro foi cortado e bastante liberdade dos roteiristas foi utilizada nessa adaptação. A empolgação que eu tive nos primeiros episódios desta temporada foi assassinada no season finale, em que não colocaram as duas cenas que eu mais ansiava ver no final da interpretação de Os tambores do Outono. Foram usados como base para este episódio trechos dos capítulos 57, 60, 61, 63, 64, 66. Os capítulos aos quais me referi tiveram um ponto ou outro colocado na série ou meramente um tema, nem um foi adaptado completamente. 



- O resgate de Roger 




No capítulo 57 (um sorriso desfeito), Jamie discute com o chefe indígena sobre a soltura de Roger. O chefe iria levar o assunto a um conselho. Os Frasers já estavam lá há três dias e Ian havia se familiarizado com as índias, principalmente com uma a qual ele chamava de Emily. De início, os Mohawk não queriam confirmar a presença de Roger, para que os Frasers não tentassem resgatá-lo em vez de negociar. A proposta dada ao conselho era trocar Roger pelo uísque. No episódio, eles não tiveram nem tempo de levar nada a conselho algum, nem passaram essa quantidade de dias na aldeia. Assim, que os índios enxergam a pedra que Claire carregava se assustam e isso os afugenta. No livro, Claire tem cuidado para que não vejam a pedra, a opala. Jamie até a menciona os índios, mas eles ficam temorosos em relação a ela e ele pede para que Claire a continue escondendo. No livro, Ian trabalhava como espião dentro da aldeia, comendo em todas as tendas, escutava as fofocas. Muitas da moças estavam interessadas em Roger e queriam que ele fosse adotado pelos Mohawk como índio, assim Claire pede a Jamie que fale com Ian para que isso seja espalhado aos homens a fim de que eles mesmos não queiram Roger presente devido a concorrência. Por sugestão de Ian, eles fazem uma degustação do uísque para ajudar na decisão. Durante essa degustação, Claire ajuda um menino com um ombro deslocado e umas mulheres pedem para ver a opala, lhe questionando como ela a conseguiu. Ela conta que foi num sonho, e fala da tempestade e do crânio que achou com a pedra, onde viu um homem com o rosto pintado de preto. Elas o chamaram de O portador do fogo. A anciã fala então a história que a índia conta a Claire no episódio quando tenta roubar sua pedra, porém com mais detalhes e nomes. Ela fala que o nome do índio era Dentre de Lontra e por fim, pergunta o porquê de ele haver lhe dado a pedra e falado com ela. Claire responde que não sabe, mas que talvez seja por ela ser da “família” dele. 








No final do capítulo 60, quando tem sua cabeça acertada e fica semiconsciente é ao lado de Jamie Fraser que Roger acorda e é Jamie quem conta sobre a morte da amante do padre Alexander. Um dos primeiros pensamentos de Roger ao ver Jamie foi que não havia sido a mando de Brianna que o pai batera nele e o vendera como escravo. Algo que no episódio, ele acaba chegando a mesma conclusão logo após surrar Jamie como “vingança” e perguntar sobre Bree. Assim que Jamie acorda ao lado de Roger, ele pergunta por Claire. A isso, Roger retruca sobre a presença de Claire ali. Jamie pede desculpas a Roger e diz que o quer que ele queira fazer com ele em retorno pode esperar eles saírem dali. Estavam ambos escondidos em uma cabana. Jamie começa a lhe contar o que ele sabia que tinha acontecido do lado de fora. Sobre a morte da índia e a confusão causada por bebida demais. Roger pergunta a Jamie quantos homens ele havia trazido com ele e Jamie lhe responde que seu sobrinho Ian. Roger então complementa “só?” e Jamie continua lhe questionando quem ele estava esperando, se 78º regimento da Guarda Negra. No episódio, a pergunta de Roger é mais geral não relacionada a homens e é feita quando Claire e Jamie entram na tapera. Na resposta, Jamie fala de uns amigos mohawk e a brincadeira sobre quem ele esperava foi com o clã Mackenzie. Após algum tempo em silêncio, Roger questiona a Jamie onde está Brianna. Jamie responde que em River Run, com sua tia, em segurança. Roger pergunta então porque trazer Claire, mas não Brianna. Jamie diz que não queria ter trazido Claire, porém ela era muito teimosa. Roger conta sobre o handfasting a Jamie, algo que Brianna no livro ainda não falara ao pai. 



No capítulo 61 (ofício de padre), dois guardas levam Claire à tapera onde estão Roger e Jamie. Ao rever Roger, Claire o abraça e ele lhe pergunta sobre Bree, ela responde que a filha está bem. Quando Claire está prestes a contar sobre a gravidez de Brianna, Jamie a interrompe perguntando se ela está bem. Enquanto Claire cuida do braço de Jamie, que pode estar quebrado, ele fala que não contou sobre Brianna a Roger e não queria que ela contasse. Na série, Jamie não tem nenhum problema em falar sobre a situação da filha. No livro, Jamie achava que deveriam falar sobre a gestação, mas não sobre Bonnet. Ele fala a esposa para esperar estarem pelo menos em segurança para contar sobre o estuprador. Quando Roger pergunta novamente sobre Brianna, Claire joga a bomba sobre a gravidez, mas diz apenas isso. No episódio, eles contam primeiro sobre estupro para depois falar sobre o bebê, ambos quando já haviam saído da vila. No capítulo, o rosto de Roger se ilumina no comentário de Claire em relação a Brianna querer acompanha-los mas que eles não haviam permitido. Antes disso, ele estava com medo de ela não o querer por não ter contado sobre o handfasting aos pais. Roger ficou aliviado que Brianna não havia mandado o pai vende-lo devido à briga que tiveram, atitude extrema até para uma garota de seu temperamento, ele comenta, assim como na série. Roger menciona o motivo da briga, a notícia sobre a morte de Jamie e Claire, e Jamie afirma que Bree já havia dito a eles. Essa foi a razão pela qual ele havia deixado Claire vir com ele, afinal ela não poderia morrer duas vezes. Quando Roger conta que escondeu o anúncio para manter Brianna em segurança, Jamie passa a olhar para ele de forma diferente, com aprovação. Para Claire foi o contrário, ela ficou furiosa. Eles são interrompidos pelos mohawk que acreditando que Roger fosse sacerdote pedem que ele batize a criança de Alexander- o padre tinha dito que Roger era filho de um ministro, então eles assumiram que ele também seria-, pois eles irão partir e tem medo que ela não sobreviva. Roger o faz, com a concordância de Jamie que afirma que em caso de necessidade qualquer homem pode exercer o ofício de padre. Roger deu o nome de Alexandra à menina, em homenagem ao pai. 



Os Frasers e Roger ainda ficam um tempo presos na cabana, a espera de saber o que os índios pretendiam fazer com eles. A adoção de Ian foi a resposta pela morte de um homem supostamente por Jamie e o uísque foi aceito em pagamento pela vida deste. No episódio, a liberdade de Roger foi trocada pela de Ian. Na adaptação assim como no livro, Jamie se oferece primeiro, mas Ian já havia feitos amigos na aldeia e estava de olho em Emily, não foi uma decisão descontextualizada como na série. Quando Ian aparece na tapera para avisar à família sobre sua adoção, ele está com parte do cabelo raspado e com tatuagens mohawks. Ian pede desculpas a Roger, assim como na série. Claire, Jamie e Roger ficam para assistir ao “batismo” de Ian, onde o sangue branco é lavado e ele recebe um novo nome: Irmão do Lobo. Durante o caminho, Roger fala sobre ter achado um círculo de pedras em algum canto entre a Carolina do Norte e Nova Iorque. Claire lhe explica que pelo tempo, Brianna não teria condições de viajar até as pedras, e Jamie completa que Roger não precisa ficar, o que ele também fala no episódio. Roger responde da mesma forma que na série, em formato de pergunta sobre a possibilidade de ele deixar a esposa e o filho. Claire fala então que a criança pode não ser dele, e Jamie assim como na série, após Roger ter se assustado com a situação, diz que após ele ter deixado Bree sozinha ela foi estuprada. O resto do diálogo do episódio segue bem semelhante- porém resumidamente- ao livro exceto que Roger ao responder que não foi embora pela briga, e sim por que ela pediu; no capítulo, ele fala que partiu em busca das pedras. A citação de Jamie que Roger custou a ele um rapaz que ele ama é na verdade retirada do capítulo 67 (cara ou coroa). Jamie e Claire partem e deixam Roger com sua decisão. 





- A volta dos Frasers 





Apesar das cenas de Murtagh não existirem no livro, quando no episódio, ele pede para Brianna perdoar o pai, pelo bem dele e dela, e ela responde que já o perdoou, essa conversa existe no capítulo 62. Entretanto, é Lorde John quem fala isso a jovem e ele o faz, quando Jamie já está chegando em River Run, acrescentando então para que ela vá dizer isso pessoalmente ao pai e ela o faz. O diálogo ocorre enquanto ele está se recuperando da pancada na cabeça que levou na prisão, o que sabemos não aconteceu no episódio anterior. Quando os Frasers chegam, Claire vai examinar Lorde John e ele pergunta onde está o sr. Mackenzie, a isso Claire responde que ele virá. A conversa que se segue entre eles é bem interessante, mas foca nas condições médicas de Lorde John. Importante dizer que Claire e Jamie chegam a River Run antes de Brianna dar a luz, sendo a mãe quem realiza o parto da filha, uma das cenas que eu mais queria ver na série e não foi inserida, outra era o final com a chamada dos Mackenzie. No episódio, Brianna tem o bebê dois meses antes da volta de seus pais. 





- O parto de Brianna 




No capítulo 64 (última chance) há a narração do parto de Brianna, um dos momentos mais lindos entre os Frasers neste livro. Durante as contrações da filha, Claire brinca dizendo que é como beisebol, pois são longos períodos tediosos, com curtos de agitação. Jamie estava presente e acaba sem entender a conversa que se segue em relação a esse jogo. Quando Jamie começa a se levantar para sair, Bree pede para que ele fique. Claire solicita que Jamie caminhe com Brianna, até que esta pediu para se deitar. 



“- Papai!- Brianna esticou o braço sem olhar, debatendo-se quando uma contração tomou conta do seu corpo inesperadamente. Jamie se lançou para ela e segurou sua mão, apertando com força.
- Estou aqui, a bheanachd, estou aqui.” 



Bree pede para que ele converse com ela, e Jamie passa a contar uma história sobre uma solteirona que finda por deixa-la um pouco irritada e tornar a situação levemente cômica. Assim que o bebê nasce, Jamie pergunta se é um menino e Claire brinca dizendo que espera que sim, porque se for uma menina é a coisa mais feia que já viu. Após Bree expelir a placenta, Claire comenta que ele é lindo. Brianna pergunta se o bebê está com fome e Claire responde para ela tentar amamenta-lo. 



“Jamie havia descido para contar a John; estava esperando por mim aos pés da escada. Ele me recebeu de braços abertos sem nada dizer e me beijou; quando me soltou, vi as marcas vermelhas das unhas de Brianna nas mãos dele, ainda não totalmente desaparecidas.
- Você foi muito bem – sussurrou para mim. Então a alegria de seus olhos se tornou um sorriso enorme – Vovó! 



Após o parto Jamie e Claire ficam discutindo se talvez conseguissem descobrir de quem era o filho pela cor do cabelo, mas Claire afirma que nem isso confirmaria, talvez só se ele se parecesse com um dos pais. Logo depois, vem uma citação linda em que Jamie fala que se não conhece o pai dele, conhece o avô. O capítulo se conclui com Claire pensando em Frank e fazendo perguntas ao céu, a ele. Na série, eles resolveram fazer uma cena rápida de parto, sem os pais e comum. Não teve a união familiar que foi representada no livro. Jamie não esteve presente no nascimento de nenhuma das filhas, mas pôde estar na sala e acompanhar a chegada do neto e os roteiristas não acharam que isso fosse importante. Prefeririam dar mais espaço a um surpreendente relacionamento entre Jocasta e Murtagh, do que colocar uns cinco, dez minutos a mais em uma cena de parto que fosse digna da que Diana escreveu. 








- O retorno de Roger 




No capítulo 65 (retorno à cordilheira dos Frasers), Claire comenta que seria necessário dinamite para separar Jamie do neto, enquanto isso na série, pelo que se pode ver neste último episódio, não houve da parte de Jamie essa comoção toda pelo nascimento do neto. Nesse mesmo capítulo, eles chegam de volta à cordilheira, seu lar. No episódio, Roger retorna para eles em River Run. No livro, será já em Fraser’s Ridge. Brianna ficou calada na pergunta de Lizzie sobre quando nomearia o bebê, Claire sabia que era por que estava esperando a chegada de Roger. Esse é o único ponto deste capítulo que de certa forma foi adaptado no episódio, quando Jocasta afirma que Bree estava esperando Roger para dar um nome a criança. No final do capitulo, há a descrição do fim da jornada de Roger, não sei se podemos dizer que isso foi incluído no episódio ou não, considerando que ele foi para locais diferentes e o foco estava em Brianna na chegada de Roger e não nele. Além do mais, não é nesse momento que ele a encontra. 



No capítulo 66 (sangue do meu sangue) é quando Roger chega a Fraser’s Ridge e quem primeiro o vê é Claire. Já no episódio é Brianna, enquanto olhava pela janela. No livro, Claire lhe diz que ele tem um filho. 



“- Ele é meu? Eu tenho um filho?
- Acho que sim- disse. – Você está aqui, não está?” 



Roger entra no ambiente em que se encontram Jamie e Brianna, Lizzie e o bebê. Ao ver Roger depois de todo esse tempo, Brianna se assusta, o bebê fica agitado e ela o coloca no peito. Roger então passa a falar com Jamie e diz que vai lhe fazer um juramento, por ele ser seu parente mais próximo. Jamie corta o pulso de Roger, com o sangue Roger fez uma cruz grossa na testa do bebê. 



“- Você é sangue do meu sangue- disse baixinho – e osso dos meus ossos. Recebo você como meu filho diante de todos os homens, de hoje em diante.
(...)
- Como ele se chama?
- Ainda não tem nome.
(...)
- Ele é meu filho – disse Roger baixinho meneando a cabeça para o bebê. – Você é minha esposa?
Os lábios de Brianna ficaram pálidos.
- Não sei.” 







Alguém me explica por que cortaram isso para colocar Murtagh e Jocasta na cama? Parece que não tinham coisa mais importante do livro para pôr no episódio e tinha e muita. Jamie se intromete na conversa e fala que se eles fizeram o handfasting, então estão casados. Bree pergunta se ele voltou porque quis ou por obrigação. Ele disse que não sabe. Ela lhe questiona se ele foi ao círculo de pedras e ele diz que sim, por isso demorou a voltar. Ela lhe afirma que não quer que ele viva com ela por obrigação, pois ela já vira um casamento por amor e outro por obrigação e não quer o último. Jamie decide então que quando completar o tempo do handfasting, ou seja, quando passar um ano e um dia, Bree deve decidir se quer se casar permanentemente com Roger, enquanto isso ele viverá lá como seu marido. Jamie ameaça Roger caso ele trate Brianna mal, e assim os dois começam a brigar. Ficou claro que o reencontro deles foi bastante diferente nas telas e no livro, tanto nas ações, quanto no clima de emoções. A relação de Brianna e Roger fica estranha por um tempo, eles vão precisar voltar a se acostumar um com o outro, e com os traumas que passaram. Bree devido ao estupro e a gestação sente-se entranha com o próprio corpo que não é mais completamente seu, tendo o divido com seu filho por nove meses e ainda sendo fonte de alimentação para ele. Roger, em decorrência dos maus tratos que sofreu com os índios e do cerceamento de sua liberdade não é mais o mesmo homem com quem ela se casara. O final do capítulo 66 descreve os cuidados de Claire em relação ao pé ferido de Roger, o qual não aparece na série, uma vez que o pé de Roger não foi machucado. Para tal procedimento, Claire pede ajuda de Brianna com a intenção de fazer com que o casal de reconectasse, o que finda por funcionar. Bree segura a mão dele e o consola enquanto ele sente dor. Após desinfetar o ferimento, Claire coloca vermes nele para que comam a carne morta. Como o episódio é concluído com o encontro de Bree e Roger e a convocação de Jamie para formar uma milícia (algo que só ocorre em A cruz de fogo, próximo livro, obviamente sem a ordem de matar Murtagh), os capítulos finais (67 a 71) não foram incluídos no episódio. Entretanto, como eu amo o final de Os tambores do Outono e desejava muito que a conclusão da temporada tivesse sido a mesma farei um pequeno comentário sobre ele. No capítulo 67, Jocasta envia um convite através de Duncan Innes para Jamie e sua família irem ao encontro de escoceses que haverá, no outono, no monte Hélicon. É nesse capítulo que ficamos sabendo que Duncan e Jocasta pretendem se casar, trama que não foi incluída na série, uma vez que Duncan foi deletado dela. No capítulo 69 (Jeremiah), é discutido o nome do pequeno Jemmy (o que me faz pensar na possibilidade de isso talvez ser inserido no início da próxima temporada). Jeremiah (nome do meio de Roger, a pedido dele. Também era o nome do pai de Roger e comum na família, tendo sido utilizado em várias gerações) Alexander (segundo nome de Jamie) Ian (por causa do primo e de John, uma vez que Ian significa John em gaélico) Fraser Mackenzie. No capítulo em si não fica claro qual será a combinação e a ordem, apenas que terá Jeremiah, um dos nomes de James e Ian. No capítulo 70 (a reunião), os Frasers haviam viajado para o monte Hélicon e lá encontram com John Quincy Myers que lhes dá notícias de Ian. O jovem estava vivendo bem entre os Mohawks e portando-se como um. Ian deu uma carta para Myers entregar aos seus tios, na qual dizia que havia se casado dentro da tradição Mohawk. Sua esposa era Emily, uma das moças que ele havia conhecido durante o resgate de Roger e por quem ele já se encantara, ela estava grávida de seu filho. Rollo se reproduziu lá também e era pai de vários filhotinhos. Durante a reunião, Fergus e Jamie chegam de carroça e Jamie diz a Lizzie que tem uma surpresa para ela. Da sua carroça sai o pai da mocinha. O contrato de servidão de Wemyss, pai de Lizzie, seria queimado durante o encontro a mando de Jamie. Roger cantou durante a reunião escocesa, assim como cantou na que frequentara com Brianna no século XX. E Claire usa suas habilidades de médica para atender muitos dos imigrantes que chegaram por ali. De repente, um regimento das terras altas chega e aqueles presentes ficam em dúvida se são amigos ou inimigos até que um deles se aproxima de Jamie e diz que se chama Archie Hayes, e ouviu dizer que Jamie conhecera seu pai. Esse era o filho Gavin Hayes, o qual ele não tinha notícias há anos, pois havia se perdido dele durante Culloden. O filho não foi mencionado na série. No capítulo 71 (o círculo se fecha), não à toa, o livro se inicia no outono e se conclui nele como um ciclo, no começo da história de Roger e Brianna temos eles em uma reunião no seu próprio tempo e outra no passado. Nesse capítulo, Roger conta a Jamie que antes de viajar através das pedras em busca de Brianna foi a casa de seu pai em Inverness e acabou encontrando uma carta de Frank Randall. Ele queria perguntar a Jamie se deveria contar a Claire e a Brianna sobre ela. Nela, Frank escrevia ao Reverendo Wakefield que tinha um problema no coração, e por isso, queria se confessar com ele. Ele explica ao reverendo o porquê ter pedido para colocar o túmulo de Jonathan Randall e ao lado dele o de Jamie no cemitério de St. Kilda (onde anos mais tarde Claire o acharia em A libélula no Âmbar). Caso Bree procurasse sobre a sua história, sendo Jonathan um ascendente do pai, ela encontraria o túmulo de seu outro pai. Ele tinha certeza que um dia, Claire levaria Bree a Escócia e muito provavelmente a este cemitério. Frank continua informando que passou a pesquisar sobre Jamie Fraser e descobriu que ele realmente existira. Ou seja, Frank sabia que Jamie não havia morrido em Culloden e escondeu isso de Claire. Ele não acreditava que Claire deixaria Brianna para seguir Jamie, mas ficou com medo disso mesmo assim. 



“Quanto a Fraser: devo amaldiçoa-lo por ter roubado minha esposa ou abençoá-lo por ter me dado minha filha?” 



“Se Frank Randall tivesse escolhido esconder o que descobriu, se nunca tivesse colocado aquela pedra em St. Kilda, Claire teria descoberto a verdade mesmo assim? Talvez sim, talvez não. Mas foi a visão daquele túmulo que fez com que ela contasse à filha a história de Jamie Fraser e também colocou Roger no caminho da descoberta que havia levado todos eles a esse lugar, a essa época. Tinha sido a pedra que havia, de uma vez, mandado Claire de volta aos braços do seu amor escocês –e possivelmente para sua morte nesses braços. Que havia levado a filha de Frank Randall de volta ao seu outro pai e, ao mesmo tempo, a condenara a viver em uma época que não era a sua; que havia resultado no nascimento de um menino ruivo que poderia não ter nascido –a continuação do sangue de Jamie Fraser. Juros da dívida?, Roger se perguntou.” 



Logo após Roger recitar a carta, Jamie chama Frank e fala que poderia torcer para que se encontrassem um dia, assim como poderia torcer pelo contrário. Jamie disse para Roger contar a Claire, pois ele prometera honestidade a ela, e Roger já planejava contar a Brianna de qualquer maneira. O livro se conclui com o chamado dos clãs e pela primeira vez os Mackenzies- Roger, Brianna e Jemmy- estão presentes quanto família. Assim que Brianna aceita o pedido de casamento de Roger, ela pede a ele para gritar que os Mackenzies estão ali. Eu sou completamente apaixonada por esse fim e ela fecha perfeitamente o ciclo do livro- do outono a outono, de Gavin a Archie Hayes, das reuniões do século XX ao XVIII, da construção familiar Fraser e da Mackenzie, do amor de Roger e Brianna com o grito e a entrega do anel de rubi que pertencera a Brian Fraser (trazido por Brianna de Lallybroch e que se torna seu anel de noivado) e de Claire e Jamie com a devolução da aliança. Durante os gritos, Jamie devolve a Claire sua aliança de ouro que ele havia guardado durante a discussão em que ela mostrou o anel com intenção de deixar claro quem havia estuprado Brianna. Eu não entendi o porquê eles não quiseram fechar esse ciclo, se a intenção era colocar um suspense no final, poderia ser facilmente feito depois da conclusão e do entendimento dos personagens. Para quem apenas assiste à série, ficaram muitas pontas soltas, que só os leitores dos livros têm noção das resoluções. O próximo livro a ser adaptado- a cruz de fogo- é o mais monótono na minha opinião e na de muitos fãs e a produção da série terá que ter muito jogo de cintura na sua adaptação para torna-lo interessante e fiel à obra original.












Por Tuísa Sampaio
25 janeiro 2019

Livro x série de TV: episódio 12- Providence




Livro x série de TV: episódio 12- Providence



Contém spoilers dos livros e do episódio 




“Providence” adaptou os capítulos 54 e 56, que em ordem cronológica deveriam ter aparecido no episódio anterior, mas ainda não inseriu os capítulos relacionados ao resgate de Roger. Se não mudarem o modo como ele é libertado, esses capítulos então devem ser apresentados no final da temporada. Ademais, foi usado parcialmente o capítulo 60 (uma vez que um trecho dele também é relacionado ao resgate de Roger e não foi inserido no episódio),e 62, concluindo a parte XI (pas de tout). Restando para o season finale, toda a parte XII (Je t’aime) e possivelmente os capítulos pulados da parte XI. Dessa fez, vou dividir o texto por núcleo espacial, mais fácil do que pelas tramas pessoais, uma vez que surgiu um cruzamento entre a história de Fergus, Marsali e Murtagh com Brianna e Lorde John. Cruzamento este que vale salientar não existe no livro. Assim, livro x série de TV dessa semana vai tratar em tópicos sobre o enredo que acontece em Wilmington (o que incluirá o pequeno trecho que ainda se passa em River Run) e na aldeia mohawk, Lago das Sombras. 



- Wilmington 




Em “Três terços de um fantasma” (capítulo 62) é onde ocorre a trama da visita de Brianna e Lorde John a Stephen Bonnet, o que em nenhum momento envolve Fergus e Marsali. Por mais que eu prefira o modo como Bree e Lorde John saem da prisão no livro, não vou negar que estou gostando do protagonismo que vem sendo dado a Fergus e Marsali. Mesmo que eles apareçam ao longo dos livros, eles não são personagens que tenham pontos de vistas narrados, então não nos aproximamos tanto deles. A série está quebrando isso e dando ao casal uma importância maior, está sendo lindo ver o relacionamento deles mais de perto, que vem me lembrando um pouco do de Jamie e Claire quando mais jovens. 








O início do diálogo entre Lorde John e Brianna quando ele a avisa – ainda em River Run- sobre o encarceramento de Bonnet é bem semelhante, entretanto, ele se passa a noite, enquanto na série já é dia. Além disso, no episódio John comenta que ele foi preso em Wilmington e no livro, ele é preso em Cross Creek, uma vez que não foi pelas mãos de Murtagh e Fergus que Bonnet foi capturado, mas sim pela própria guarda inglesa. O motivo da prisão de Bonnet foi por ele ter sido pego contrabandeando chá e conhaque. No episódio, a lista de crimes é mais longa e Brianna fala sobre acrescentar o crime que foi cometido contra ela, o que no livro não ocorre. Bree pede para que John a leve a Wilmington, para onde Bonnet será levado para a execução, a fim de que ela possa conversar com ele e John se nega afirmando que poderia prejudicar o bebê. Para convencê-lo, ela acaba falando a ele que contará a tia e a todo mundo, incluindo ao sargento da guarnição, que o pai do bebê dela é Stephen Bonnet e com isso o sargento não poderia impedi-la de vê-lo. Isso não aparece na série, onde Bree convence Lorde John apenas mostrando a carta de seu pai, a qual falava sobre perdão. No livro, ela também o faz, mas apenas para explicar o porquê de ela querer falar com Bonnet e não como uma forma de convencimento a meu ver. Em ambas as mídias, Brianna comenta que não teve a oportunidade de dizer adeus a Jamie e o resto da conversa que segue é praticamente igual, modificando-se apenas uma palavra ou outra e a ordem de algumas falas. 








A chegada de Bree e Lorde John na guarnição onde Bonnet estava preso ocorre também à noite, enquanto no episódio foi durante o dia. A conversa que aparece na série antes de eles entrarem na prisão não existe no livro, o diálogo deles só se inicia quando estão em frente à guarnição e Bree pergunta se Bonnet está ali dentro. John responde que não, que ele está em uma cela embaixo do galpão. Assim percebe-se que a conversa que eles têm antes de entrar na prisão também é diferente da do livro. Logo, ela diz que entrará sozinha e John concorda por Stephen Bonnet estar acorrentado. O soldado que os ajuda a entrar pede a Brianna que tome cuidado com o fogo, pois pela construção de madeira e serragem era um ambiente extremamente inflamável, pelo menos na parte de cima da prisão. O início da conversa entre Bonnet e Bree é igual no livro e na série, exceto pelo comentário acerca da rainha de sabá. O resto da conversa continua de forma bastante semelhante, tendo uma ou duas frases sido excluída da cena no episódio. Quando Bonnet comenta sobre as pedras preciosas ele fala que uma ele vendeu para comprar um navio e as outras duas foram roubadas ( ele não diz por quem, mas sabemos que foi por Roger. Entretanto, na série ele as dá para Roger como pagamento). Há um pequeno desenvolvimento sobre o roubo das pedras quando Brianna pergunta sobre elas que não foi inserido no diálogo da série também. A fala sobre o esquecimento dele que é dita no final não existe no livro. Quando Brianna se vira para sair, o sargento Murchison (alguém que até agora não apareceu na série e odeia Jamie) surge e coloca o mosquete na barriga dela, num reflexo de defesa, Bree o atinge com a lanterna. Antes de ela bater novamente na cara de Murchinson, Bonnet se levanta e pega a lanterna da mão dela, ela percebe então que ele não está realmente acorrentado. Murchison estava ajudando Bonnet a fugir. Ao olhar pela porta entreaberta, Bree vê Lorde John desmaiado e fica com medo de ele estar morto. No episódio, Bonnet escapa como consequência da bagunça realizada para a fuga de Murtagh por Fergus, Marsali e os reguladores. Ela consegue pegar a arma de Murchison e o ataca. Bonnet então avisa e ela que eles precisam sair logo, pois os estopins para explodir a prisão estavam acesos. Bonnet explica a ela que Murchison o estava ajudando a escapar, porque era seu parceiro no contrabando. Bonnet acaba por matar Murchison enquanto ele estava inconsciente. Bree foi verificar se Lorde John estava morto e percebeu que não. Bonnet tenta tirar Brianna de lá, mas ela insiste que não irá sem Lorde John e força Bonnet a carregar seu noivo, o que Bonnet faz. Enquanto faziam o caminho para sair, Bree sente algumas contrações (provavelmente, as contrações de Braxton Hicks. Aquele tipo de alarme falso que às vezes ocorre no final da gestação). Quando eles estão seguros do lado de fora, Bonnet afirma que tem um navio esperando por ele e a convida para ir junto. Ela nega. Em seguida, ele pergunta se era verdade e coloca as mãos na barriga dela sem pedir nenhum tipo de permissão. Ele põe um dedo na boca e retira um diamante negro, lhe entrega e diz que é para o sustento da criança. Quando Bonnet se afasta, indo embora em direção ao seu navio, Bree pensa em atirar, mas lembra-se da frase do pai que ele não deveria morrer pela sua mão. Assim, a saída deles da prisão é algo bem diferente na série e no livro. No episódio, ainda fica o suspense se Bonnet realmente conseguiu escapar. 



- Lago das Sombras 




Uma primeira notável diferença no enredo de Roger no capítulo 54, onde está sendo retratado parte de seu cativeiro e onde também ocorreu a cena em que ele passa por um corredor polonês do episódio passado, é ele está com o pé machucado. Algo que mais tarde seria tratado por Claire de uma forma bastante curiosa. Na série, preferiram colocar a mão ferida e não sei se ela alcançará o mesmo nível do machucado do pé no livro. Na aldeia Mohawk, Roger é tratado como escravo. No capítulo é descrito que seu principal trabalho era cortar lenha, pegar água e às vezes cortar carne. Acredito que tenha sido dessa descrição que resolveram colocar ele distribuindo lenha pelas fogueiras, algo que não ocorre explicitamente. Os índios não falam inglês com ele, como na série. Eles não se esforçam para criar uma comunicação. Roger, no entanto, encontra umas meninas e começa a tentar aprender algumas palavras com elas. O livro dá a entender que foram elas que o apelidaram de cara de cachorro, “kakonhoaerhas”; no episódio, outro termo indígena foi utilizado, não sei o motivo. Sendo daí, provavelmente, então que basearam a cena em que quando ele cai no corredor polonês, uma menina o chama de cara de cachorro. Os contextos foram diferentes, mas o objetivo, o mesmo: colocar uma garota o apelidando. A mãe de uma das meninas trouxe ervas, pomada e bandagem para ele. E com o tempo, as mulheres passam a conversar com ele quando ele leva lenha e água para elas. Como em Tambores era inverno, ele não tinha condições de fugir. Na série, as passagens de tempo são mais curtas, então, eles mudaram a estação. Um dia quando Roger estava cuidando do vilarejo, chegou o padre; ele foi levado a casa onde os índios realizavam reuniões. Assim, a forma como Roger vê o padre pela primeira vez é diferente nas duas mídias, considerando que no episódio, Roger só o vê quando é preso com o padre na cabana. A cena na tapera em que ele fala com o padre existe, e ocorre logo depois, entretanto, Roger não é mandado para lá pelos motivos que apareceram na série, como uma punição por algum tipo de ofensa. No livro, a razão não fica clara, mas ele é enviado para lá após uma caça de um alce, em que ele demora muito a chegar com a carne devido ao pé machucado. O início da conversa entre Roger e o padre Alexander na série é bem parecido ao do capítulo, entretanto, boa parte dela foi cortada. Eles falam sobre a diferença entre prisioneiro e convidado para os mohawk. Alexander pergunta como Roger foi parar ali e ele lhe explica que foi traído. O padre questiona então se há alguém que possa pagar um resgate por ele, pois assim os índios garantirão que ele continue vivo, mas não tinha ninguém que Roger acreditasse que pudesse ajuda-lo. Alexander pergunta a Roger se ele é cristão, e Roger lhe responde que sim e que seu pai era um sacerdote. Assim, ele pede que Roger reze por ele, caso o levassem e Roger concorda. No episódio, não há o pedido acerca da oração, mas aparece a cena em que os índios levam Alexander nu para fora. Antes de levá-lo, eles brincam de tentar acertar um ferro próximo a genitália dele o que foi cortado do episódio. Quando Roger estava perto de dormir, Alexander retorna, ferido. Roger percebe então que a orelha direita do padre fora cortada. Roger fica revoltado e tenta consolar o amigo. Nesse ponto, ele ainda não sabe o porquê Alexander está sendo torturado, enquanto na série, o padre conta logo seu caso amoroso e a recusa em batizar sua filha. Apesar da história dele ser a mesma tanto no livro quanto na série, há uma diferença no intuito de sua recusa a meu ver, pois no episódio ele acredita que se batizar a criança sem estar em graça condenaria a alma dela. No livro, só é mencionada sua recusa em descumprir as ordens da igreja. No capítulo 56 (confissões da carne), quando Alexander acorda, ele fala a Roger que em breve o matarão e pede para que Roger escute sua confissão. Roger afirma que não é um sacerdote, mas o padre lhe retruca dizendo que isso não importa, pois em momentos de necessidade qualquer homem pode exercer esse papel. É nessa hora que ele conta a Roger que havia se apaixonado por uma índia, cedido aos desejos da carne, desrespeitando seus votos, e fazendo uma filha, a qual ele se recusou a batizar, por não estar em estado de graça, e os índios estavam o ameaçando por isso. A confissão é bem mais comprida que a história de amor que Alexander conta a Roger na série por ele ser mais detalhista e falar também sobre outros pecados. O ocorrido com padre Alexander foi em outra aldeia e ele havia sido levado para ser julgado nessa onde Roger se encontrava por um conselho. No episódio, aparece como se tudo tivesse acontecido no Lago das Sombras (o que por sinal não é um nome do livro, imagino que a produção tenha tirado a nomeação de alguma aldeia Mohawk real). Roger achou que padre Alexander desejava se confessar para retornar ao estado de graça e poder batizar a criança, mas ele disse que não, pois para retornar a tal estado ele deveria se arrepender e ele não se arrependia de nada, algo que não foi colocado na série. 








Roger não conta sobre Brianna a Alexander, nem faz o discurso sobre ser um idiota ao padre como no episódio. No capítulo 60 (julgamento por fogo), o rosto de Alexander é pintado de preto, o que não corre no episódio. Quando são deixados novamente sozinhos, Alexander fala que havia pedido para Roger rezar não sabia se para ele se manter vivo ou para salvar sua alma, mas agora ele acreditava que era para que ele morresse em silêncio. Um detalhe simétrico que aparece neste capítulo são os tambores que anunciam a chamada para a execução de Alexander, da mesma forma que anunciaram a morte de Hayes e que dão título ao livro. Entretanto, enquanto a execução de Gavin Hayes acontece no outono como no título, a de Alexander foi no inverno. O padre Alexander sai da cabana nu e Roger fica lá sozinho sem saber o que aconteceu. Até que os tambores param e ele decide espiar, é quando ele encontra uma balburdia semelhante a uma situação de guerra no exterior, mas ele não sabia o porquê. Ele escutou gritos em gaélico, então começou a tentar a romper a cabana para fugir. Ele vê o corpo do padre na fogueira e fica petrificado, é quando alguém bate em sua cabeça e ele fica em estado de semiconsciência. Nesse ponto, eu vou pular os acontecimentos do capítulo, pois se referem a ações que talvez apareçam no season finale. A parte em que a amante do padre segue para a fogueira para morrer com ele não é algo que Roger testemunha no livro, como no foi no episódio, mas lhe é descrito mais tarde. Vale salientar que não sabemos o nome dela em Tambores e em nenhum momento Roger conversa com ela. 


Algo que achei interessante em um dos diálogos que Roger tem com padre Alexander (exclusivo da série de TV), foi a explicação sobre a cena da pedra, em que ele quase volta para o seu tempo, o que para mim, de certa forma, corrigiu o juízo de valor que eu criei dele no episódio, por eu ter achado que ele chegara a tomar a decisão, enquanto no livro ele não o faz. O final desse episódio foi lindamente construído, e fiquei feliz que resolveram mostrar a morte dos amantes, mesmo que seja algo doloroso de se ver, conseguiram criar um clima equilibrado de poesia como melancolia na cena.








Por Tuísa Sampaio
19 janeiro 2019

Livro x série de TV: episódio 11- If not for hope



Livro x série de TV: episódio 11- If not for hope







Contém spoilers dos livros e do episódio





No episódio desta semana foram usados como base os capítulos, 52, 53, 55, 58 e 59. O 54 e o 56 foram pulados – na verdade o iniciozinho do 54 aparece no final, quando Roger leva a surra em “corredor” polonês dos índios- , assim como o 57, mas acredito que possam aparecer no próximo episódio, uma vez que os dois primeiros referem-se ao cativeiro de Roger com os iroqueses e o último, o início do processo do resgate dele. Como neste episódio voltou a haver tramas separadas, também vou dividi-las para facilitar a compreensão. 



- Murtagh, Fergus e Marsali 




As cenas ente Murtagh, Fergus e Marsali que apareceram no episódio como um todo não existem no livro. Além do óbvio de que Murtagh está morto nos livros, nessa época da história, Marsali, Fergus e Germain estão vivendo já em Fraser’s Ridge e não na cidade como ainda aparece na série. Porém o pedido que é feito de Marsali a Murtagh para que ele convide seu marido para juntar-se em sua campanha contra os impostos abusivos não é estrangeiro à trama. Eu tenho a lembrança que Marsali pede a Jamie para que Fergus junte a sua campanha para lutar contra os rebeldes pelo mesmo motivo que ela o faz no episódio, e ele também recusa, entretanto, não consegui achar em que livro isso acontece. Se alguém souber, por favor, deixe nos comentários que eu editarei o texto. 





- Jamie, Claire e jovem Ian 




“Jamie mal falou com as pessoas desde nossa partida da cordilheira dos Frasers até nossa chegada no vilarejo de Tuscarora de Tennago. Eu viajei num estado de tristeza, dividida entre a culpa por deixar Brianna, o temor por Roger e a dor com o silêncio de Jamie. Ele era sucinto como Ian, e dissera apenas o estritamente necessário para Jocasta em Cross Creek. Comigo, não conversou.” 



No capítulo 53 (culpa), enquanto viajam em busca de resgatar Roger, Claire e Jamie estão distante um do outro, como a narrativa é de Claire, o leitor já sabe que ela se afasta por estar se sentindo culpada por não ter contado a ele sobre Stephen Bonnet, algo que no fim do episódio ela conta a Jamie, e por acreditar que Jamie também a culpava por ter guardado esse segredo dele. O restante do capitulo é a descrição de como os Frasers pretendem negociar a volta de Roger- trocando-o por uísque. Um detalhe é que é comum haver informações divergentes nos livros de Diana, ela mesma diz que às vezes se confunde e já chegou a lançar algumas erratas. No livro x série anterior eu comentei que no capítulo equivalente Roger havia sido entregue aos iroqueses, já no 53, é mencionado que foram aos Tuscarora e na série foi aos Mohawk. No capítulo, Claire tem a oportunidade de conversar com algumas índias, o que não ocorre no episódio. É nele também que Claire através de flashbacks lembra do diálogo com Brianna em que Bree insiste para a mãe partir e que apareceu no episódio anterior. Quando encontram os tuscaroras, Claire pede a Ian para que mostrasse a eles o amuleto de Nayawenne que ela havia trazido, perguntando a quem poderia devolver. Acredito que tenha sido por causa dele, que na série resolveram colocar Ian com um amuleto como uma espécie de rastreador. Como resposta Ian disse que os índios haviam dito que não poderiam receber o amuleto, pois era um pacote de remédios de um xamã e deveria ter sido enterrado com o dono. Nas conversas que teve com os índios, Jamie descobriu que Roger havia sido vendido aos Mohawk pelos tuscarora (agora a tribo coincide com a da série). Um dos índios, Onakara, concordou em guia-los, na série eles não tiveram essa sorte de achar um guia. Quando estão preparando-se para dormir, Ian pergunta a Claire se ela não vai perdoar Jamie. A intenção desse diálogo era aproximar Claire e Jamie novamente, porém as falas usadas na série são diferentes. No livro, Ian pede que Claire perdoe Jamie por Stephen Bonnet e no episódio, Stephen nem é citado nessa parte. Claire afirma que não culpa Jamie por ter libertado Bonnet e nem está com raiva do marido por causa disso. Ian disse que pensa que talvez poderiam ter evitado a confusão se Claire tivesse falado o nome, entretanto se corrige em seguida, pois eles já haviam encontrado Roger, quando Brianna contou a Claire. Claire pergunta a Ian por que ele achava que ela estava com raiva de Jamie e ele diz que eles mal se olhavam, estavam quietos e fazia quase um mês que ela não ia para cama dele. A isso ela responde que ele também não havia ido para dela. Ian conclui dizendo que odeia ver o tio sofrer, na série ele fala que odeia o sofrimento de ambos. 



“Por que eu não tinha percebido o que Ian percebera? Fácil responder: não fora raiva, mas minha própria sensação de culpa que havia me cegado. Eu havia mantido em segredo o fato de saber do envolvimento de Bonnet tanto por causa da aliança de ouro de casamento quanto porque Brianna havia pedido; eu poderia tê-la convencido a contar a Jamie, se tivesse tentado.” 



Claire vai ao local onde Jamie está dormindo, tira a roupa e pede para que ele venha aquecê-la, eles então fazem amor desesperadamente. Apenas depois disso, é que o diálogo entre eles em que Claire pede desculpas e abre-se sobre sua própria culpa inicia-se. Na série, a maior parte do diálogo apesar de conter o mesmo objetivo não tem as mesmas palavras do livro, exceto quando Jamie fala que nunca pensou que teria ciúmes de um homem morto, mesmo assim a continuação das falas também vem acompanhada de dizeres diferentes que trazem uma mensagem semelhante. A declaração de amor de Claire, em que ela afirma amar os dois aparece em ambas as mídias, assim como o questionamento de Jamie que se ele levar Roger de volta, Bree será capaz de perdoá-lo e a fala de Claire sobre pai e filha dizerem coisas quando estão com raiva que não querem realmente. No final do capítulo, os Frasers chegam na aldeia em que acreditam estar Roger, o que ainda não apareceu na série, muito provavelmente deve ocorrer no próximo episódio. 



A cena em que eles acham o corpo do companheiro de viagem de Roger não existe no livro, uma vez que o personagem também não existe no romance escrito por Diana. Acredito que o personagem foi introduzido como uma forma de rastrear Roger, uma vez que eles escolheram não colocar um guia indígena como no material original. 






-Brianna e Lorde John 




If not for Hope inicia-se com um pedido de perdão feito por Lizzie- o qual não está no livro- e que de certa forma dita o caminho que o episódio seguirá. Não apenas o tema da esperança escrita no título é constante- a esperança de resgatar Roger, a esperança de Brianna de não ter que se casar com um desconhecido, como a esperança de perdão da filha para o pai, de esposa para marido e de Claire e Jamie consigo mesmos também. Se não for a esperança, que seja o perdão. É o que ficou impregnado no seguimento de ações dos personagens; ou talvez, que seja o perdão, mesmo quando ainda houver esperança. 








No capítulo 52 é citado que quando Jocasta descobriu que Brianna gostava de desenhar ela lhe comprou o material de pintura, e no episódio essa sua habilidade é constantemente mostrada. Apesar de diálogo em que Jocasta fala sobre gostar de pintar assim como Ellen não aparece explicitamente, esse dom delas já havia sido comentado anteriormente tanto neste livro como nos anteriores, além de que no capítulo 57 é citado que Jocasta contava histórias sua infância na Escócia, sobre Ellen e sobre os outros Mackenzies da família para Bree. O capítulo 52 é resumidamente uma descrição da vida de Bree em River Run (além do trecho inicial onde é mencionada a despedida dela e Jamie e a entrega do bilhete, que no episódio ela recebe através de Lorde John). 


No capítulo 57 (Cativeiro II), Brianna estava pintando quando Jocasta chega acompanhada de Ulysses e avisa que o juiz Alderdyce de Cross Creek e sua mãe vieram fazer uma visita e pede que Bree vá trocar de roupa. Na narrativa, logo é indicado que essa não é a primeira visita de um homem solteiro que Bree recebe. Enquanto buscava um vestido para Brianna, Phaedre comenta que não há muitas mulheres solteiras na colônia, principalmente jovens e donas de River Run. É quando Phaedre revela que Jocasta planeja fazer de Brianna sua herdeira, o que na série ainda não apareceu, mas imagino que em algum momento vá. Brianna fala a Phaedre que não quer as terras e a isso a jovem lhe responde que Jocasta costuma conseguir o que quer. Então Jocasta não queria casar Brianna meramente pelo bebê, mas porque acreditava que ela não conseguiria administrar River Run sozinha, assim como Jocasta usava a ajuda de Ulysses e Duncan Innes, com quem mais tarde se casaria. Quando Brianna comenta sobre Roger, Phaedre responde que talvez Jocasta não tenha fé no retorno dele, além de não saber se ele seria um bom administrador. Para quem assistiu ao episódio, sabe que esse diálogo como um todo não apareceu nele, porém a visita dos homens solteiros sim. O capítulo é concluído com Brianna e Ulysses conversando sobre a liberdade dele, o que eu acredito teria sido interessante de ter sido inserido na série, mas infelizmente, por enquanto não foi. Olhando um pouco do passado dele, conhecendo um pouco mais do homem, que havia nascido livre, mas fora vendido por outro a quem sua mãe pedira para lhe ensinar um ofício, é possível ver um relance do processo de desumanização do homem para o escravo. 



“Uma vida inteira dedicada às necessidades de outra pessoa. Ulysses sabia ler e escrever em inglês e em francês, sabia lidar com números, sabia cantar e tocar espineta. Toda essa habilidade e aprendizado usados apenas para a diversão de uma senhora autocrática.” 



No capítulo 58 (Lorde John retorna), Phadre está trazendo um vestido de Jocasta de seda amarela para Brianna usar e menciona que teriam melhor companhia para a noite que o Sr. Cooper e o advogado Forbes. Ela falava de Lorde John, um lorde de verdade. É perceptível então que no livro Brianna vai conhecendo os pretendentes aos poucos, enquanto no episódio foi realizado um jantar em que todos estavam juntos. Entretanto, a visita de Lorde John foi em um jantar em que os outros pretendentes estavam presentes como série. Phaedre comenta com Brianna que Lorde John é amigo de Jamie; no episódio, ele mesmo conta isso a ela. Forbes também seleciona algumas pedras preciosas para Brianna escolher dentre elas. Ela tenta recusar-se a decidir, pois percebe que era uma armadilha de Forbes para um pedido público, assim que ela apontasse para uma pedra. Assim, ela pede a opinião da Sra. Alderdyce, a qual aponta para a esmeralda. No episódio, a senhora não tem nem tempo de responder, uma vez que Lorde John adentra o recinto. No livro, enquanto Brianna pensava em uma forma de roubar as pedras, Forbes insiste por uma resposta e ela diz que todas são lindas e que ela não era capaz de escolher. Logo em seguida, Lorde John chega e Jocasta pede para que Brianna seja a parceira dele durante o jantar, pedido que não apareceu no episódio. O desmaio de Brianna existe no livro, mas é real, resultado de uma enchente de pensamentos que ela tem em relação ao medo de seus pais não retornarem ou retornarem sem Roger; na série, foi uma maneira de se livrar de passear no jardim com Forbes. Depois que ela se recupera, Lorde John a procura para despedir-se e aproveita e fala que Jamie havia escrito para ele meses atrás para pedir ajuda na busca por Roger. Brianna então conta que sua mãe e pai foram resgatar Roger dos iroqueses. Ela fala a ele que Roger e ela casaram através de um handfasting, mas que sua tia não considera isso legal. No meio da conversa, John comenta que ela tem a força da mãe e o senso de honra do pai e Brianna se exalta e pede para que ele não fale sobre a honra do pai, pois foi ela que a colocou nesta confusão. John conclui o diálogo afirmando que decidiu passar a noite em River Run. 


Apesar da conversa que Jocasta tem com Brianna sobre a necessidade dela de se casar não existir no livro através da boca da anciã, ela foi em sua maioria adaptada do diálogo que Bree e Jamie tem quando Brianna descobre que Jamie havia solicitado a Ian que ele a pedisse em casamento. Assim, a conversa originalmente é bem mais raivosa do que foi e não tão delicada. 


No capítulo 59 (chantagem), é onde ocorrerá o pedido de Brianna a Lorde John para que ele se case com ela e onde também ao se levantar no meio da noite para usar o lavatório, ela vê Lorde John saindo do quarto de um dos escravos. Com medo de ser trancada do lado de fora, ela corre atrás dele e eles se esbarram. No episódio, Brianna vê bem explicitamente a relação sexual de John com o juiz, enquanto no livro ela assume pelo lugar de onde ele saia e a hora que ele era gay. Três dias depois, Bree decide colocar o plano em prática de chantagear Lorde John em um casamento; na série, o pedido foi feito no dia seguinte. Ela o convida para passear; no episódio, como estava na iminência de Forbes requisitar sua mãe, ela solicita que Lizzie vá chamar Lorde John para o passeio no jardim. O trecho da conversa deles na série é em sua maioria retirado do livro, porém bem mais resumido. Brianna já sabia que Lorde John tinha um filho e o menciona, dizendo que poderia ajudar a cuidar dela, o que na série ela descobre algumas cenas depois. Entretanto, existe algo bem diferente. No capítulo, Bree diz que não pode permitir que Roger se case com ela por obrigação, enquanto no episódio, ela fala a John sobre sua violação e que Roger pode não a querer. Bree também lhe explica que o havia o escolhido porque acreditava que ele não gostava de mulheres e não queria dormir com ele, mas se necessário lhe prometeria um filho. John fala que Jamie com certeza quebraria seu pescoço se ele se casasse com sua filha e após a pergunta dela, ele lhe conta que conheceu Jamie em Ardsmuir. 



“- Sim. Bem. Digamos que eu cultivo sentimentos de afeto por Jamie Fraser, e isso já tem alguns anos. – Ele balançou a cabeça suspirando. – E você vem oferecer seu corpo inocente, com ecos da carne dele... e ainda faz a promessa de me dar um filho que misturaria meu sangue ao dele. E tudo isso porque sua honra não permite que você se case com um homem que você ama ou que ame um homem com quem se case. – Parou de falar e escondeu a cabeça nas mãos. – Menina, você faria um anjo chorar, e Deus bem sabe que não sou nenhum anjo!
- Minha mãe acha que você é.
Ele olhou para frente ao ouvir isso, surpreso.
- Ela acha o quê?
- Talvez ela não fosse tão longe- disse ela, ainda franzindo o cenho. – Mas diz que é um bom homem. Acho que ela gosta de você, mas não quer gostar. Claro, compreendo o porquê agora. (...)” 



Esse é o momento em que John sabe que Claire nutre alguma admiração por ele. John conta a Bree então sobre a vez que teve que açoitar Jamie em Ardsmuir algo que foi cortado da série, a não ser que em algum momento incluam isso como um flashback. John acaba decidindo noivar com Brianna apenas para que sua tia pare de enfiar pretendentes para cima dela e assim entrega o anel de safira que usava para ela como aliança de noivado e lhe dá um beijo nos lábios, o que na série não ocorreu. Partem então para anunciar o noivado, concluindo o capítulo. 









“Se não por esperança” foi um episódio bastante sentimental, apesar de não extremamente emotivo. Enlaçando esperança e perdão, culpa e raiva, medo e amor, toca a ferida aberta de um relacionamento não completamente alicerçado entre pai e filha e que não se curará tão facilmente. Brianna busca um casamento como forma de escapar da tia, mas também por amor ao filho nascituro; é capaz de perdoar Lizzie, mas luta com os sentimentos controvertidos em relação ao pai e agarra-se a esperança e ao medo da volta de Roger. Jamie e Claire dividem o mesmo medo, enquanto trilham um caminho solidificado quase que completamente na esperança para achar Roger, eles pavimentam sua própria história de volta um para o outro com o perdão de si mesmos e o amor que compartilham entre si e pela filha. John é então quem permite a todos aterem-se a esperança, à Brianna de forma explícita e conhecida com o noivado falso e à Claire e Jamie ao cuidar de sua filha em sua ausência. Ainda mais nos acontecimentos que virão no próximo episódio. É o sentimento de amor pelo pai que carrega a proteção que John usar para cobrir a filha, mas daí nascerá uma bela amizade e um amor fraterno que se sustenta por si só. A esperança é o guia, mas os laços familiares que unem os personagens e a confiança um no outro é que criam o terreno fértil para o seu nascimento e cultivo. Se não for esperança, que haja perdão e a força dos Frasers. 






Por Tuísa Sampaio


12 janeiro 2019

Livro x série de TV: episódio 10- The deep heart’s core



Livro x série de TV: episódio 10- The deep heart’s core 




Contém spoilers dos livros e do episódio





“Os dois eram teimosos, os dois eram fortes. Os dois, graças a Deus, eram meus”
Os tambores do Outono - Diana Gabaldon



O décimo episódio desta temporada adaptou dos capítulos 48 ao 51 de Os Tambores do Outono, não necessariamente cobrindo todos os fatos de cada um, e um pequeno trecho do 52, irei mencionando ao longo do texto o que foi incluído e o que foi deixado de lado de cada um deles. 



Em A canção de um pai (capítulo 47), Claire, Lizzie e Brianna aguardam o retorno de Jamie para casa com a intenção de contar a ele sobre a gravidez da filha e a violência que havia sofrido. Como na série, Claire já havia falado para ele acerca da situação, não teria muito sentido incluir esse trecho. Assim, o episódio se inicia de uma maneira diferente com Brianna e Jamie conversando sobre o estupro que ela sofrera. Antes de chegar neste ponto, porém, vou focar um pouco nesse início de capítulo que não foi colocado na série, mas que eu acho de uma narrativa bastante elucidativa quanto à personalidade dos personagens. 



“No momento, ela estava se controlando bastante, mas eu sabia que sua aparência calma era muito frágil. Se ele dissesse uma única palavra que a magoasse, ela reagiria como uma bomba. Além dos cabelos ruivos e a estatura, ela herdara de Jamie a natureza intensa e a disposição de sempre dizer o que pensava.” 



Este trecho para mim ao ser relido, me fez perceber que existe a possibilidade de talvez a tapa que Bree dá em Jamie mais na frente faça parte do seu jeito explosivo de ser, mesmo que não tivesse sido algo escrito no livro. Eu comentei em alguns grupos que a presença desse tapa me incomodou um pouco e que eu considerava algo alheio a uma educação recebida por uma moça dos anos cinquenta/sessenta em que havia, muito mais que hoje, uma noção de respeito aos mais velhos. Entretanto, ao reler este capítulo e observar as pequenas descrições que Claire faz de como Brianna é, me fez perceber que a agressão não teve nada a ver com uma falta de respeito ou com o fato de ela não enxergar Jamie como pai e a ausência de uma estima paterna, mas sim, com um estouro, sem pensamentos, sem raciocínio, apenas a liberação da sua personalidade explosiva que se mostrou naquele momento. Eu posso não entender e não achar certo ou respeitoso, contudo não posso afirmar que a inserção deste tapa na série fuja da personalidade da Brianna do livro. 


Voltando ao capítulo, quando Jamie chega em casa, Claire vê sua mão machucada e ele afirma que havia a ferido ajudando Fergus com a chaminé; no episódio, Brianna pergunta sobre a mão e ele diz que a machucara em um acidente próximo ao alambique. No livro, Bree com medo da reação de Jamie pergunta a mãe se deve realmente contar a Jamie naquela hora, uma vez que ele estava cansado e com dor. Claire diz que talvez fosse o melhor para ele esperar, mas não era o melhor para ela, entretanto, seria mais sábio fazê-lo comer primeiro. Antes da refeição, Bree e Claire cuidam da mão de Jamie e ele brinca que ficará mimado. Esta cena para mim mostra um pouco de como eles estão se construindo enquanto família; principalmente Jamie e Bree que de estranhos passam a nutrir um carinho um pelo outro de um nível que ainda não foi demonstrado na série. E não digo que não foi mostrado por incompetência dos roteiristas, mas porque pelo tempo que tiveram não seria possível mostrar todas as cenas de afeto entre eles na adaptação. Acho que por isso, penso ser mais fácil para quem apenas assiste à série entender a tapa (voltando mais uma vez a ela) dada por Brianna em Jamie, mas eu enquanto leitora dos livros, me incomodei porque eu a acho algo tão forte para ser feito em um pai que ela- apesar de não ter sido criada por ele- havia já nutrido uma grande conexão. Nesse momento, é que eu tenho que parar para refletir e rever minhas próprias crenças pessoas, pois, como dizia Tolstói, existem tantas cabeças, quanto formas de pensar, e tantas formas de amar quanto corações. Não é porque Brianna exploda que ela o ame menos ou o respeite menos ou que seja mimada. As pessoas não se medem pela forma como demonstram sua raiva. Na verdade, é nesta hora em que elas precisam ser mais amadas. Apesar da tapa não existir no livro, eu acho ela mais fácil de ser compreendida pelas palavras de Diana, por isso que estou fazendo um paralelo com outros pontos da narrativa. 


No livro, enquanto Claire prepara a refeição do marido, Jamie começa a conversar com Brianna em gaélico – ele estava a ensinando aos poucos, algo que até agora não foi colocado na adaptação- e pede para ela lhe contar a verdade, é quando Bree e Claire percebem que ele já sabe. 



“(...) é que estou aqui com você, e sua mãe também. Não queremos você envergonhada nem magoada. Nunca. Está ouvindo.” 


E olhando para isso que Jamie disse para a filha, não é razoável considera-lo menos pelas palavras de raiva e contrárias que foram ditas quando ele acha que ela havia mentido. A reação dela pode não ter sido proporcional, mas todos estavam com ânimos raivosos e não pensavam, meramente ferviam. Voltando ao diálogo, Jamie pergunta a ela se Lizzie estava certa e foi um estupro, Bree diz que sim. Jamie fala então que arrumará um bom marido para ela e ela diz que não pode casar, pois amava Roger, mas achava que ele não iria mais a querer. Jamie diz que se ele for um homem de verdade não fará diferença para ele. Jamie comenta que cantava na caverna para ela, imaginando-a como um bebezinho em seus braços. Bree pede para que ele cante para ela agora e Brianna fala que ele não sabe cantar, mas que mesmo assim ele não deveria parar. Jamie comenta que ela pesa o mesmo que uma corça adulta ( Bree estava em seu colo), ao que ela retruca se deveria sair dali então, e ele diz que não. Essa cena se conclui com uma linda declaração de amor de Bree para Jamie. 



“- Mi gradhaich a thu, athair- sussurou ela. Meu amor a você, pai” 



Dá para pensar que ela não o enxerga como o pai a essa altura do campeonato? Após a conversa entre Brianna e Jamie, Claire e Jamie saem para conversar e Jamie lhe questiona se ela sabe quem foi o homem, Claire diz que sim, mas que havia prometido a filha não contar a ele e esperava que ele deixasse-lhe manter a promessa. Eles passam a dialogar então sobre as consequências dos estupros, sobre Roger e Frank. 



O capítulo 48 (em uma manjedoura) é por onde o episódio começou a ser realmente adaptado. Entretanto, seu início não foi colocado na série, em que Jamie realiza o parto de uma bezerra e Brianna leva comida para o pai, uma vez que Claire estava ausente, tendo ido ajudar uma moça a dar a luz e Lizze foi acompanha-la. Eles conversam e Bree descreve como era o berçário de uma maternidade para Jamie até que Brianna pergunta se Jamie matou Jack Randall. Assim, percebe-se a principal diferença dessa conversa nas duas mídias. Enquanto no livro, eles estavam em um berçário de animais, cercados de mamães e seus bebês; no episódio, Jamie pergunta se ela conhecia o homem, ao responder que não, ele a chama para uma caminhada, onde se iniciará o diálogo e as ações semelhantes as do livro, sendo parte dela na verdade sentimentos que Jamie havia expressado na conversa do capítulo 47. Uma diferença dessa cena também é que enquanto na série Jamie realmente mata Jack Randall, nos livros ele não sabe se o fez, então a resposta para essa pergunta é divergente. A ordem do que é dito também muda, além de no livro existem mais tópicos discutidos que na série. 



O tema do aborto aparece no capítulo 49 (escolhas) e ele surge quando Claire procurava os instrumentos cirúrgicos necessários para ele e é interrompida por Jamie. Jamie percebe qual é a intenção dela e fica chocado, ele não esperava que sua esposa fosse capaz de fazer um aborto na filha. Eles vão ter uma longa discussão sobre isso que não foi colocada na série. 



“- Sim, eu sei- começou ele, e teve que parar, engasgado demais para terminar. – Eu sei- começou de novo, e os músculos de seu maxilar incharam enquanto ele forçava as palavras. – Mas sei outra coisa: se eu não conheci o pai dele, conheço seu avô muito bem. Claire, esse bebê tem meu sangue!
- Seu sangue?- repeti. Olhei para ele e percebi a verdade.- Você quer tanto um neto a ponto de sacrificar sua filha?
- Sacrificar? Não sou eu quem quer cometer assassinato a sangue-frio!” 



Claire aguarda então a filha chegar em casa para lhe oferecer a escolha. A conversa nas duas mídias é bastante parecida, exceto que no episódio, Claire fala sobre Brianna voltar logo para o seu próprio tempo, o que no livro ela cita isso no primeiro diálogo sobre a gestação, quando Claire a descobre, como mencionei na resenha do episódio anterior. Além disso, a conversa do capítulo é um pouco mais longa e Bree fala sobre ter sentido a implantação do embrião. 



O diálogo que Jamie e Bree têm ao olhar Claire no jardim é um pequeno trecho que foi retirado de uma conversa deles no capítulo 43, o que não há é a fala de Jamie sobre a culpa e as respostas de Brianna quanto a isso. Partindo para o capítulo 50 (em que tudo se revela), pelo próprio nome é possível perceber que é nele que Brianna descobrirá o que o pai e o primo haviam feito com Roger. O modo como isso acontece, entretanto, é diferente no livro em comparação ao episódio. A discussão que se segue, no entanto, é bem similar. Na série, é por meio de Lizzie que Brianna sabe o que Jamie e Ian fizeram com Roger. No livro, é quando Brianna faz um desenho de Roger e mostra a eles, que ambos percebem o erro que cometeram. No episódio, quando Claire vai sair a procura de Roger é que Brianna entrega o desenho do rosto dele para ajudar na busca. Um ponto que aparece neste capítulo e que teve seu sentido e formato modificado foi o pedido de casamento que jovem Ian faz para Brianna para o meu desgosto. No livro, é uma cena cômica que eu amo, e na série a fizeram insossa e dramática, e em vez de ter sido incentivada por Jamie (originalmente havia sido ideia dele) foi reprimida, em uma clara mudança tanto da essência do acontecimento quanto da personalidade de Jamie. Porém, no livro o pedido é feito antes de eles descobrirem que Roger não era o homem que estuprou Brianna e achando que Roger não voltaria, Jamie quer encontrar um marido para a filha grávida. O pedido de casamento de Ian no livro finda por ocasionar uma briga entre Jamie e Brianna que devido ao modo como os acontecimentos foram expostos no episódio não teria espaço nele. Foi um grande choque de gerações entre eles, quando Jamie achava primordial que uma filha grávida estivesse casada, não importando seu querer. Era uma discussão que eu queria muito ter visto adaptada porque na minha opinião, apesar de trazer uma seriedade, tem um leve teor cômico, que poderia ou não ter sido explorado na interpretação, contanto que ela existisse. Após essa briga, pai e filha passaram a se ignorar. Jamie, incomodado com a situação, pergunta a Claire o que fazer para que se voltasse tudo ao normal e ela responde que ele deveria pedir desculpas. Ele fica revoltado, pois acredita que não fez nada de errado. Claire diz então que não faz diferença, ele havia perguntado o que deveria fazer. Assim, ele desculpa-se com a filha e ela facilmente o perdoa. Essa conversa em que há o pedido de desculpas que puxa para o assunto Roger, e Brianna o desenha. Ao ver a imagem de Roger, Jamie pergunta se ele tem outro nome além de Wakefield e Bree responde que Mackenzie. Como a conversa que ele tem com Roger antes da briga não acontece, não havia sentido falar sobre os nomes no episódio. Jamie acaba dizendo que viu Roger na montanha. Ian fala que Roger havia dito que havia tirado a virgindade da prima. Jamie conta que Lizzie havia lhe dito que Roger era o homem que havia atacado a filha. Brianna pergunta o que eles haviam feito com Roger. Jamie fala que o entregou aos iroqueses (no episódio, foi aos Mohawk), pois acreditava que a morte seria rápida demais para ele. É então quando o assunto se volta para o consentimento de Brianna ao dormir com Roger e a briga segue um caminho parecido com o do episódio, de forma mais comprimida, em que Jamie acha que Brianna tinha mentido sobre ser estuprada. Ian ao ouvir que Bree realmente quisera dormir com Roger solta um som de choque e ela lhe da um tapa, ele a chama de meretriz por isso e ela lhe dá um soco no estômago. No episódio apenas o tapa aparece, entretanto, tanto Ian quanto Jamie o recebem. Como havia comentado já no início da análise, no livro, Jamie não teve essa resposta física da filha. Enquanto no episódio, chegam a perguntar quem realmente havia estuprado Brianna, no livro isso não ocorre. Claire querendo parar a discussão coloca sua aliança na mesa para mostrar quem era o verdadeiro culpado. 









O capítulo 51 (traição) inicia a parte XI (pas de tout) é foi picotado durante o episódio, pois é a narração do que está acontecendo com Roger nas mãos dos iroqueses. Achei desnecessário esse seguimento de Roger, quando poderiam ter colocado apenas o final em que ele foge e encontra as pedras, assim sobrando espaço para se colocar o pedido de casamento de Ian e seus desdobramentos de forma semelhante ao livro. A maior diferença na linha da história de Roger é que ele não toma a decisão de voltar como aparece no episódio. Ele fica em dúvida, porém é laçado pelos índios antes de poder decidir qualquer coisa. Como seus pensamentos aparecem, é possível compreender mais por que ele ficou indeciso. Na série, achei que ficou parecendo que ele seria capaz de abandonar facilmente Brianna ali, sem nem saber se ela estava bem, o que no livro ele sabia que ela estava com os pais. Penso que pintaram um quadro feio do caráter dele nesse momento e que não representa o personagem do livro. 








A decisão de mandar Brianna para River Run enquanto Claire, Jamie e Ian vão em busca de Roger aparece no capítulo 52 de maneira narrada como um acontecimento passado, quando Bree já estava na casa de Jocasta, onde se despedia dos pais. É lá que Jamie diz que vai trazer Roger de volta ou não retornará. Jamie, além disso, deixa um bilhete para a filha, o qual ela de início não tem coragem de abrir. Aguardando as cenas dos próximos episódios o que mais me deixa ansiosa e que eu espero que adaptem de forma mais fiel ao livro possível é o encontro de Brianna com Lorde John e toda trama que ela se envolve com ele, o parto dela e o final, que tenho esperança que concluam com a mesma frase do livro.  













Por Tuísa Sampaio

04 janeiro 2019

Livro x série de TV: episódio 9- The birds and the bees



Livro x série de TV: episódio 9- The birds and the bees 



Contém spoilers dos livros e do episódio 



“Medo é sinônimo de futuro e o futuro é feito de estradas bifurcadas (...)”
Margaret Atwood 



The birds and the bees (em tradução literal: os pássaros e as abelhas) é uma expressão em inglês para referir-se de forma eufêmica a conversa que os pais tem com os filhos explicando sobre relação sexual e como os bebês são feitos.Na adaptação finda por haver também um significado duplo e literal relacionado com a caça das abelhas realizada por Bree e Jamie e o momento em que Brianna admira a mamãe pássaro alimentando seus filhotes. O episódio desta semana adaptou o final do capítulo 41, o 42 todo, o fim do 43, o 44, o 45 (a parte que não foi usada no episódio anterior) e o 46. 



Antes de falar sobre qualquer coisa, acho essencial mencionar a inclusão da malária de Lizzie neste episódio, algo que já deveria ter se manifestado quando Brianna e sua criada ainda estavam em busca de Jamie e Claire no capítulo 40. A malária será uma doença recorrente na vida de Lizzie e importante para o início de um futuro relacionamento dela, seria estranho que eles não a colocassem. A busca por Jamie, ainda em Wilmington, a partir das conversas de Lizzie com os rapazes próximos é algo que acontece enquanto ela está lavando as roupas de Brianna e ela descobre que ele ficará em Cross Creek por uma semana para um julgamento, o que – recapitulando- era o motivo principal de Brianna não poder partir com Roger em busca da pedra preciosa, além da doença de Lizzie, duas coisas que foram retiradas daquele episódio. No capítulo 41, Bree, já em Cross Creek, ao entrar em uma taverna é questionada se ela havia vindo para o julgamento de Fergus Fraser e ela diz que não. O proprietário comenta que com certeza Fergus seria inocentado porque Jamie Fraser havia vindo da montanha para testemunhar por ele. Ela pergunta se ele conhece Jamie Fraser e ele diz que em um momento ela também conhecerá, pois Jamie havia ido aos fundos. Em ambas as mídias, Jamie estava urinando quando Brianna o encontra, entretanto, no livro ele usava um kilt, já nas telas ele vestia calças. Brianna também ainda não havia colocado um vestido como na adaptação e andava com as calças consideradas masculinas. O diálogo colocado na versão televisiva foi bem similar ao do livro, cortando-se alguns pequenos trechos (sendo um deles a referência que Jamie faz a altura de Brianna, o que nas telas não haveria sentido colocar), mas acredito que a interpretação dos atores deu um quê de emoção que não havia ficado tão forte no livro. Outra diferença era o tempo. Enquanto no livro, era pôr do sol, que destacava bastante as sombras e cores e em especial o cabelo ruivo, na série de TV estava nublado. Na cena em que eles se encontram Bree pergunta logo a Jamie o que significa a leannan e annsachd, no episódio ela só o faz mais a diante, na caçada das abelhas. Ao ouvir a pergunta Jamie a questiona se ela não sabe gaélico, até que se toca que era obvio que ela não saberia. Bree comenta que aprenderá. A cena em que Jamie fala para Bree o chamar de “pa” também é essa do encontro e que na adaptação foi incluída na caçada. 



“- Pa... –Brianna começou a falar e então parou, tomada pela dúvida repentinamente. Como ela deveria chamá-lo? Papai, não. Frank Randall tinha sido o papai sua vida toda; seria uma traição usar essa palavra com outro homem... qualquer homem que fosse. Jamie? Não, não podia; por mais assustado que ele estivesse com sua aparência, ele ainda mantinha uma postura que impedia um tratamento tão informal. “Pai” parecia distante e sério... e, independentemente do que Jamie fosse, não era essas duas coisas; não para ela.
Ele viu que ela hesitou e corou, e percebeu qual era o problema.
–Você pode... me chamar de Pa –disse ele. A voz estava rouca; ele parou e pigarreou. –Se.... se quiser, claro –acrescentou.
–Pa –disse ela, e sentiu um sorriso aparecer com facilidade dessa vez, sem lágrimas. –Pa. É gaélico?
Ele sorriu de volta, e os cantos de seus lábios tremeram levemente.
–Não. Só é... simples.
E, de repente, tudo ficou simples. Ele estendeu os braços para ela. Ela se aproximou e percebeu que estivera errada; ele era tão grande quanto tinha imaginado, e seus braços a envolviam com muita força.”

No episódio, Bree encontra com a mãe ainda em Wilmington, assim como conhece Jovem Ian. No livro, Jamie estava sozinho em Cross Creek, então, Lizzie e Bree o acompanham na viagem de volta de carroça para Fraser’s Ridge e é lá que mãe e filha são reunidas. Porém, antes disso, Jamie levou as duas meninas até River Run, onde Marsali estava após ter finalmente retornado da Jamaica com Germain e jovem Ian. Bree meio acordada, meio dormindo, escuta Marsali chamando Jamie de “Pa” também, o que a deixa um pouco abismada. Jamie então a carrega nos braços até uma cama. No outro dia, Bree acompanha Jamie e Marsali ao julgamento de Fergus, algo que não existe na série, pode ser que seja incluso mais a frente, ainda mais, pois Fergus estava sendo julgado porque o xerife havia levado o cavalo de Marsali e deixado a andando a pé com Germain no sol quente, afirmando que era imposto devido, entretanto Fergus não devia imposto algum. Com isso Fergus foi acusado de roubar o cavalo de volta e atacar o xerife. Como na série está sendo usada uma trama de revolta dos reguladores contra a coroa por causa dos impostos protagonizada por Murtagh, existe uma chance da situação do julgamento de Fergus ser incluída em algum momento na história – ou não, nunca se sabe. Todos retornam a River Run e de lá partem para Fraser’s Ridge, porém Lizzie fica na casa de Jocasta devido ao estado delicado de sua saúde. Em casa, Claire estava pensando em como cultivar Penicilium para fabricar penicilina, quando escuta Jamie chegando, ela sai, mas não esperava encontrar o marido e a filha sentados em um banco enquanto o sol iluminava os cabelos ruivos que compartilhavam. 







“- Mamãe. – Era a mesma expressão: animação, alegria e saudade, tudo junto. Não tive tempo nem mesmo de pensar quando ela correu para os meus braços e fui erguida no ar, literalmente e figurativamente.” 



Algo que não foi colocado do encontro entre mãe e filha na série é a piada que Bree faz quando a mãe diz que não esperava isso, e ela comenta que ninguém esperava a inquisição espanhola. Não sei o porquê para mim essa frase é super emblemática dos livros e eu fiquei aguardando aparecer na cena, no entanto os roteiristas preferiram focar nas expressões e na interpretação do que explorar o diálogo. 



Iniciando a parte X (relação abaladas), o capítulo 42 (luar) trará a caçada de abelhas que ocupa um pedaço do episódio. A cena em que Brianna conta aos pais sobre o incêndio não aparece no livro, quando eles passam a falar sobre o assunto é como se já tivesse sido contado ao casal, supondo uma passagem de tempo, e assim, o momento em que Bree fala ficou implícito. O único ponto que me decepcionou neste episódio foi o encontro entre Brianna e Murtagh. Um dos meus maiores desejos em ter Murtagh vivo era imaginar como seria ele encontrando a cópia viva do grande amor da sua vida. Na minha mente ele iria olhar para Bree e se emocionar ao confundi-la com Ellen, mas não foi dessa maneira. Houve apenas uma mera troca de sorrisos e a comoção que se fixou na minha mente morreu lá mesmo. A história que Murtagh conta do primeiro beijo de Jamie com a filha de Dougal, Tabitha, aparece no capítulo 28 de A viajante do tempo, contada por Jamie a Claire. Retornando a caça das abelhas, Jamie acorda a filha e afirma que vai sair para caçar na montanha e a chama, assim como no episódio. Boa parte do que acontece neste momento são apenas descrições do trajeto, quando eles finalmente começam a conversar não tem o mesmo conteúdo do episódio. Bree se assusta com algumas pedras que a lembram os menires de Craigh na Dun e comenta que os caminhos que ela tomou na Escócia eram bem selvagens, mas nada como o que estava fazendo agora. Eles dialogam sobre espíritos da floresta, sobre a caverna em Broch Mhorda que Jamie viveu por sete anos, sobre Roger, sobre solidão. Para não dizer que nada do que falaram neste trecho do livro está no equivalente do episódio, Brianna pergunta o que eles vão caçar, Jamie responde que abelhas, ela retruca como se caçam abelhas e Jamie diz “procure flores”. Jamie também comenta qual é o tipo de flores que os beija-flores gostam e quais as abelhas preferem e esperam escurecer para pegar a colmeia. O treino de tiro acontece na floresta enquanto eles não têm mais nada a fazer além de aguardar a escuridão da noite. No episódio, foi no próprio quintal dos Frasers que eles “brincam” de atirar. O diálogo sobre como Jamie pegará as abelhas colocando fumaça próximo a colmeia é retirado daí, porém no livro Brianna não faz a ligação entre o lar dela e o das abelhas. Eles passam a conversar sobre a viagem do homem a lua. A cena em que Jamie não consegue dormir é descrita por Claire logo em seguida o fim da caçada e é mencionado como ficou o arranjo das dormidas, em que jovem Ian cedeu sua cama à Brianna. O diálogo tem a mesma premissa sobre o medo de Jamie de perder a filha, porém segue um caminho diferente, quando Claire menciona que nunca se perde realmente um filho e fala sobre Faith, a primogênita natimorta do casal, o que não ocorre no episódio. Ambos comentam que visitaram o túmulo da filha quando foram a França só que sem mencionar um ao outro à época. 













“- Sinto muito por você nunca tê-la visto – disse por fim, e senti quando ele suspirou. Ele se virou na minha direção e me abraçou, passando os lábios na minha testa.
- Não importa, certo? Sim, é verdade o que você diz, Sassenach. Ela se foi... mas sempre a teremos. E teremos Brianna. Se... quando ela se for, ainda estará conosco.
- Sim. Não importa o que aconteça, não importa aonde um filho vá, para muito longe ou por quanto tempo. Ainda que seja para sempre. Nunca perdemos os filhos. Não há como.
Ele não respondeu, mas me abraçou com força e suspirou mais uma vez.” 



O Jamie do livro parecia bem mais resignado com a futura partida de Brianna. O capítulo 43 (bebida no copo) foi parcialmente adaptado, sendo utilizado apenas seu final. O início do capítulo 43 retrata Claire e Brianna em um mercado fazendo compras e perguntando ao dono, Ronnie Sinclair, de quem Claire não gostava pelo jeito que ele olhava para Brianna, se um Roger Wakefield havia aparecido nas redondezas. A informação que receberam lá, no entanto, era sobre um tal de Hodgepile, o qual tinha interesse de conversar com Jamie sobre Uísque. Isso deixou Claire apreensiva em relação à destilaria ilegal do marido. Neste capítulo Lizzie já havia chegado a Cross Creek. A destilaria de Jamie aparece no episódio, assim como o comentário que ele faz sobre ela não chegar aos pés das bebidas preparadas em Leoch, porém a cena que é descrita nesse trecho é com Brianna, Jamie, Marsali, Ian e o pequeno Germain, enquanto no episódio era com Jamie, Murtagh, Ian e Brianna. Na cena do livro, quem rouba o momento é Germain, que após tentar comer uma barata finda por se engasgar com um botão, mas é socorrido por Brianna. Espero que Fergus e Marsali passem a integrar o elenco de Fraser’s Ridge logo, sinto falta deles e quero muito ver a interação entre Brianna e Marsali. É nesse capítulo também que Claire conversando com Duncan Innes chama Brianna de Bree, Kenny Lindsey escuta e fica interessado, perguntando então se ela chamava a filha de Bree. Ela responde que sim e pergunta por quê. Lindsey fica sem graça em responder, então é Jamie quem responde que Bree é uma palavra escocesa que significa “grande perturbação”. No episódio, o tema Bree começa a surgir na conversa na destilaria quando Brianna pergunta a jovem Ian se sempre o chamavam assim, ela acrescenta que as pessoas a chama de Bree, e Murtagh, jovem Ian e Jamie soltam sorrisos, mas nem um deles quer contar a ela o significado. Mais adiante Jamie conta a Claire, porém estava sem graça de falar a filha e quando eles vão caçar abelhas, Brianna brinca com o significado dizendo que Murtagh lhe explicara. 



No capitulo 44 (conversa de três lados), um mês havia se passado e nada de Roger. É logo no início desse capítulo que Jamie narra em forma de pensamento a lembrança de sua irmã Jenny observando seus filhos recém-nascidos por horas e a citação de Brianna ser um presente seu para Claire e de Claire para ele, coisas que no episódio ele comenta com a esposa. Alguns pontos que na adaptação, ele fala para Brianna na caça as abelhas aparecem nos pensamentos narrados de Jamie como quando ele pensa em Frank Randall e no fato de ele ter criado uma criança na qual ele não conseguiria reconhecer seus próprios traços, por causa de sua mãe e não pela criança em si. Assim, ele faz um agradecimento a Frank como uma prece. Enquanto Jamie trabalhava cortando lenha, Claire sai de casa com Brianna para colher cogumelos. Quando Jamie voltava para casa, ele encontrou com uma Lizzie assustada, logo em seguida jovem Ian aparece. A história que Lizzie conta a Jamie sobre o homem que havia visto com sua senhora em Wilmington em bem parecida em ambas as mídias, porém, no livro Lizzie conhecia Roger como Mackenzie por ter ouvido os marinheiros o chamando assim e fala seu nome para Jamie. Outra diferença desta cena no livro é que a gravidez de Brianna é mencionada pela primeira vez por Lizzie a Jamie. A moça por ser criada de Brianna sabia que ela não havia menstruado nos últimos dois meses. No episódio, a cena em que Claire descobre sobre a gravidez é transmitida primeiro, o que dá tempo de ela contar a Jamie, tanto sobre gestação quanto sobre o estupro. Não havendo necessidade da informação vinda de Lizzie. No livro, então, Jamie já assume que Mackenzie havia violentado e engravidado sua filha pela história contada por Lizzie. Tendo a comprovação de ambos depois – exceto de quem tinham realmente estuprado Brianna, isso demorará mais um pouco para ele saber. O diálogo no capítulo é mais longo que na série de TV, pois jovem Ian conta que deixou Rollo dentro da carroça de Mackenzie e roubou o cavalo de Roger. Jamie manda Ian pegar as pistolas e fala para Lizzie se esconder e esperar Claire, era para a menina falar a Claire que Jamie havia ido ajudar Fergus com a chaminé e ela não deveria dizer nenhuma palavra sobre o que ele iria realmente fazer para a esposa e a filha. Tanto no livro, quanto no episódio, Lizzie se pergunta o que havia feito, temerosa da reação do sr. Fraser. No livro, Jamie é muito mais precipitado usando apenas a palavra de Lizzie. Na adaptação, como Claire já havia contado sobre o estupro e a gravidez o “erro” dele é mais compreensível. Ele sabia o que acontecera com a filha e Lizzie apenas “confirmara” o culpado. 



O que acontece com Roger não é mostrado logo de cara aos leitores no livro, deixando uma tensão acerca do que Jamie iria fazer com ele. Em “Meio a meio” (capítulo 45), como já mencionei no livro x série de TV anterior é que Brianna conta a Claire os detalhes de seu estupro por Stephen Bonnet, porém sem contar a identidade do estuprador. É neste capítulo, portanto, que elas saem para catar cogumelos e outros alimentos e têm o diálogo revelador. Assim como no episódio, no livro, Brianna pergunta se Claire ainda consegue ler sua mente e Claire questiona de quantos meses ela está. A conversa no capítulo é mais comprida que no episódio com Claire insistindo para que Brianna retornasse pelas pedras uma vez que ela sabia por experiência própria que era possível a filha atravessá-las enquanto grávida, entretanto com uma criança provavelmente não. Elas começaram a discutir sobre o assunto e perceberam que era muito arriscado e que não havia tempo para a longa viagem de retorno à Escócia. É quando Claire comenta de uma passagem no Haiti (na época chamava-se Hispaniola), onde ela e Geillis se encontraram. Quando Claire pergunta a Brianna se ela não havia pensando em tomar precauções a resposta é diferente da da série. Enquanto no episódio Brianna diz que não pensou em trazer camisinhas, no livro, ela fala que não estava planejando fazer sexo ali. Mais a frente essa frase é a deixa para Claire descobrir sobre o estupro. Elas conversam também sobre as aulas que Claire deu na escola de Bree sobre sexo seguro e sobre a receita de anticoncepcional que a mãe havia deixado para a filha. Bree também ficou com medo da reação de Jamie, algo que por enquanto ela não demonstrou na série. O modo como o assunto sobre Roger ser o pai do bebê ou não surge é semelhante ao do episódio, porém é quando Claire lembra-se da frase de Bree sobre não planejar fazer sexo ela já sabe que foi um estupro antes mesmo da filha continuar. Brianna entrega a aliança dourada (na série a de prata) para a mãe e Claire não apenas confirma a violação, mas quem foi o culpado. Bree fala que não pretendia contar a mãe por causa do que Ian havia lhe dito que tinha acontecido no rio e ela não quis que Jamie fosse atrás dele, algo que ela comenta com Claire no episódio em outra cena mais adiante, quando Claire encontra a aliança escondida nas roupas da filha. Bree fala que pensou que poderia fingir que nada tinha acontecido, porém não tinha mais como. Claire pergunta sobre a diferença de tempo entre os dois homens e Brianna responde que dois. No episódio, foi na mesma noite então a resposta foi diferente. Claire pergunta então como ela poderia ter certeza que não era de Roger, Bree tenta falar, mas a mãe já raciocinou que eles usaram coito interrompido. Assim, ela brinca e diz que pessoas que usam esse método são conhecidas como pais. 

No capítulo 46 (a chegada de um desconhecido) é que há o enfrentamento entre Jamie e jovem Ian contra Roger. Este estava frustrado por seu cavalo ter sido roubado, o que não aconteceu na série. Tudo o que Roger conseguia pensar era no perdão de Brianna. Porém quando começa a caminhar ele se lembra da sorte que foi Stephen Bonnet ter duas pedras preciosas e acaba encontrando o cavalo roubado, ele pergunta ao animal como ele foi parar ali e como reposta recebe “do mesmo modo que você” da boca de Ian que apontava a pistola que o rapaz também havia roubado de Roger. Jamie aparece em seguida e meio que pergunta meio que afirma que Roger é o sr. Mackenzie, Roger diz que sim e pergunta se ele é Jamie Fraser. Jamie diz que é e questiona se Roger o conhece. Roger responde que Jamie parece muito com a filha (péssima resposta na atual situação). Jamie pergunta o que Roger tem com a filha dele e Roger responde que havia vindo buscar sua esposa (fazendo com que a teoria de jovem Ian de que Mackenzie teria vindo reclamar a prima tivesse sentido. Naquela época um tribunal poderia entregar uma mulher a um homem que fosse estuprada por ele se ela estivesse grávida dele, pois consideravam que ele tinha direito sobre o bebê. A isso Ian responde “Não veio não”. No meio da discussão Jamie pergunta se Roger tirou a honra da filha, Roger se enrola todo para responder e Jamie diz que quer um sim ou não. 



“Roger sentiu o rosto esquentar do pescoço à linha dos cabelos. Cristo, o que ela havia contado ao pai? E, pelo amor de Deus, por quê? A última coisa que ele esperava era encontrar um pai furioso, decidido a vingar a virtude da filha.” 



Roger responde que sim e que ela quis (reposta errada mais uma vez), é quando Jamie começa a bater nele. No episódio, o pobre do Roger nem questionado foi, Jamie já chegou socando-o, e neste ponto o “erro” de Jamie perde um ponto e torna-se menos compreensível. No livro, Roger consegue ainda se defender um pouco. Enquanto Jamie o acerta, ele grita que Brianna é sua, se comprometendo ainda mais. O último pensamento de Roger antes de desmaiar foi que ele iria morrer antes mesmo de ter nascido. 



Para mim, esse foi um dos episódios mais bem adaptados das quatro temporadas. Teve todos os diálogos iguais ao livro? Não. As cenas foram todas iguais? Também não. Mas ele incluiu o essencial dos capítulos que foram usados e o que foi acrescentado fazia sentido para a trama. O reencontro entre Claire e Bree foi lindo, assim como a primeira vez que pai e filha se viram. O estabelecimento de uma relação entre esses dois será longo, principalmente com o enorme choque de gerações existente, pelo menos assim espero que a série represente como foi no livro. A família que fora separada pela guerra começa a se unir e se expandir. No entanto, como isso é Outlander e nada fica calmo por muito tempo, uma nova separação está à vista. Uma nova ruptura já se fez presente no fim deste episódio com a surra de Roger e o seu desaparecimento, mais deverão vir nesse tempo de inseguranças. 





Por Tuísa Sampaio 

Lallybroch - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2016