Lallybroch: O mistério dos círculos de pedras
27 junho 2016

O mistério dos círculos de pedras

Mesmo sendo um romance histórico, Outlander, também usa o gênero fantasia, ao tratar de viagem do tempo, e Diana Gabaldon se aproveitou e muito bem da mística que existe sobre os círculos de pedra para validar sua teoria sobre viagem temporal nos livros.
       
Círculos de pedras são antigos monumentos. Apesar do nome, não são sempre circulares, e frequentemente formam uma elipse ou um conjunto de quatro pedras dispostas num arco de círculo. A quantidade de pedras pode variar de 4 a 60 pedras eretas (menires) e também frequentemente contém poços ou câmaras.¹
       
Existem vários círculos de pedra espalhados pelo mundo, sendo o mais famoso deles, Stonehenge, no Reino Unido.
       
       
Além do grande círculo famoso no Reino Unido, já foram encontrados círculos em várias outras partes da Europa, China e pasmem até Amazônia.
       
Historiadores e estudiosos ainda não sabem quem realmente construiu e com qual objetivo os círculos foram criados, porém todos eles indicam algo relacionado a posição dos astros, pois as pedras estão dispostas de forma a marcar a passagem dos solstício de verão e inverno. Os métodos utilizados pelos que construiram tais círculos também ainda é um mistério, já que certos recursos e equipamentos de medição não estavam disponíveis há milênios atrás.
       
O círculo de pedra de Avebury (Inglaterra). Fonte.
       
Em Outlander, as pedras tem um sentido místico, são portais, aonde os viajantes (nome dado a aqueles que podem atravessar as pedras), podem viajar pelo tempo. O sentido místico pode ter sido tirado daqueles que acreditam que os responsáveis pela construção dos círculos foram os druidas, pessoas encarregadas das tarefas de aconselhamento, ensino, jurídicas e filosóficas dentro da sociedade celta.
       
Ainda discute-se se os druidas foram os grandes responsáveis pelas construções dos megálitos encontrados nas regiões que posteriormente foram habitadas pelos celtas. Isto ocorre porque alguns acreditam que a classe dos druidas antecedeu aos chamados celtas, mas que se firmou do modo que conhecemos nestas sociedades - também atingindo seu auge entre estes povos. Há comprovações científicas, que dizem que os círculos foram construídos muito antes dos povos celtas surgirem, mas estes povos, utilizaram as pedras para seus rituais. E também há de se lembrar que tais círculos foram encontrados também em outras regiões onde, pode-se dizer, os celtas não habitaram. 
       
Em sua obra, Diana Gabaldon, não liga diretamente os círculos aos druidas, por mais que mostre rituais antigos ligados à eles, como vemos no primeiro livro A Viajante do Tempo, quando Claire e Frank, observam mulheres dançando e cantando em volta de um círculo de pedras na Escócia. Podemos dizer que em Outlander, os círculos tem um fundamento mais antigo, ainda obscuro e não revelado, pois em Tambores de Outono, Claire se encontra novamente com outros círculos, agora no continente americano, aonde os povos celtas não viveram.
       
Callanish Stones, círculo de pedras na Escócia (inspiração para Craigh na Dun)
       
Para os místicos, que acreditam que os círculos tem origem celta, os locais onde foram erguidas as antigas pedras dispostas em forma circular não eram eleitos ao acaso, mas estavam de acordo com a energia que emanava do local. Sabe-se também que as pedras eram selecionadas de forma muito cuidadosa, sendo muitas vezes extraídas de pedreiras distantes e transportadas por quilômetros - como Stonehenge, cuja as pedras são provenientes do País de Gales. Alguns acreditam que muitas destes blocos eram escolhidos por possuírem energias peculiares. Por este motivo, não utilizavam certos exemplares de rochas disponíveis em pedreiras mais próximas. As formas circulares, espiraladas e em elipse, eram as preferidas pelos antigos celtas. Isto pode ser notado claramente através das figuras e desenhos esculpidos em pedras e menires.³
       
  
As danças ritualísticas eram circulares, reuniões e celebrações eram normalmente organizadas em círculos. Sendo assim, a energia do local e dos participantes podia interagir e correr de modo mais fluente.
 
       
De qualquer modo, os círculos de pedras estão diretamente ligados à mulher, são considerados santuários femininos, aonde mulheres celtas se reuniam para compartilhar histórias dos deuses e deusas. As mulheres célticas gozavam de mais liberdades e direitos do que as de outras culturas contemporâneas, incluindo-se, até mesmo, o direito de participarem de batalhas, e de solicitarem divórcio. Neste contexto havia mulheres druidas. Na cultura druidica, portanto, a mulher tinha um papel preponderante. Não é a toa que em Outlander, vemos mulheres com personalidades fortes, principalmente na forma de Claire e Geillis Duncan, ambas viajantes e que representam a mística feminina na série de livros. E mesmo que o poder das pedras (nos livros) não esteja realmente ligado aos celtas, talvez Diana Gabaldon, tenha se inspirado no poder místico deste povo em sua obra.

Comentários via Facebook

8 comentários:

  1. Gostaria muito de ver um círculo de pedras, parece ser um local repleto de energia .
    Gabaldon foi sensacional ao escrever Outlander, tanto que quando estou lendo, tenho vontade de entrar dentro do livro e viver lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estive na Irlanda, e visitei alguns. Pense num lugar onde pessoas estiveram naquele lugar onde estou postando a 3000 anos antes de Cristo. Muito doido.

      Excluir
  2. http://www.revistaplaneta.com.br/no-amapa-uma-stonehenge-amazonica/

    ResponderExcluir
  3. Satanismo, nada mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade! Eu ja fui satanista, e os seminários mostrava a história e como foi feito. Como os filhos do fogo veem esses extremes

      Excluir
    2. Quanta ignorância!!!! E pobreza de espírito!

      Excluir
  4. Não sabia que se possa ser "ex-satanista"

    ResponderExcluir

Lallybroch - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2016