Lallybroch: Livro X Série de TV: Episódio 11 Vengeance is mine
23 junho 2016

Livro X Série de TV: Episódio 11 Vengeance is mine

Episódio 11: Vengeance is mine (“A vingança é minha”- Tradução livre)
       
O episódio 11 foi escrito por “ela mesma”, Diana Gabaldon, e narrou os acontecimentos previstos para acontecer nos capítulos 43 (Falkirk), 44 (No qual muitas coisas dão errado) e um trechinho do final do 45 (Malditos sejam todos os Randalls) de bônus de A Libélula no Âmbar. De tal maneira, o capítulo 42 (Reencontros) foi pulado. Vamos então delinear as principais semelhanças e diferenças do episódio desta semana em relação à obra de Diana Gabaldon:
       
  • A igreja em Farlkirk: no final do capítulo 42, Claire está levando os homens de Jamie para encontrar-se com ele em Stirling. Como os acontecimentos dos capítulos foram invertidos na série de TV, isso não foi possível. No livro, enquanto ia visitar o avô, Jamie mandou seus homens para casa, e estes foram presos como desertores. Uma vez soltos, Claire que os levou até Jamie, visto que ele estava em Stirling tentando convencer o príncipe a soltá-los, e Claire tinha permanecido próxima à prisão dos homens, portanto quando a ordem chegou, ela os conduziu a Stirling. Como tal acontecimento lógico não era possível nas telas, a adaptação levou Jamie e Claire a obedecer a ordens do príncipe Charles mandando-os conseguir alimentos e alojamentos para os soldados em Inverness. No caminho, eles são atacados por Casacas Vermelhas, e acabam se refugiando em uma igreja. O capítulo 43 inicia-se com o acampamento de Claire e dos homens de Lallybroch na estrada, onde ela escuta um deles tocando gaita de foles. Durante o trajeto, quando Claire já havia se reencontrado com Jamie, chegaram as informações que o exército escocês acabaria por se encontrar com os ingleses ao sul do castelo de Stirling e alguns batedores disseram a Jamie que os highlanders haviam sido vistos e assim decidiram ir o mais distante possível do monte Falkirk, por onde passaria pelas tropas de Dougal. Enquanto isso mandou que Claire procurasse santuário em uma igreja que ficava no topo do monte, pois ele se encontraria com ela depois lá. Enquanto Claire estava na igreja, ela conseguia ouvir barulhos de uma provável batalha que ocorria no monte. De repente, Claire é surpreendida com a entrada de Dougal e seus homens na igreja carregando um Rupert ferido. No livro, a igreja estava no escuro, e Dougal não permitiu que fossem acesas luzes para que os ingleses não soubessem onde eles estavam. Claire teve que tentar tratar de Rupert no escuro. Claire começa a tentativa de ajudar Rupert, quando Jamie chega à igreja a procura dela. Assim que ele entra, avisa que há Casacas Vermelhas no sopé da colina e que logo eles saberiam que a igreja era onde os highlanders se escondiam. Dougal apoia Rupert em sua dor, mas Claire sabe que não há nada que se possa fazer por ele. Assim, Rupert pede que Dougal acabe logo com sua vida para que ele não sofra e requisita que Claire segure sua mão enquanto morre, e brinca com Jamie que Claire deveria ter se casado com ele, quando então Dougal enfia a adaga em seu esterno. Claire e Jamie abraçaram Dougal enquanto ele chorava pela morte do amigo e lamentaram junto com ele. Na série, resolveram poupar Rupert em balanço ao fato de já terem matado Angus. Assim, Rupert levou uma bala no olho, perdendo-o. Eles buscaram a igreja enquanto estavam sendo perseguidos pelos Casacas Vermelhas também para que Claire pudesse tratar do olho de Rupert. A série e o livro seguiram caminhos diferentes para chegar até a igreja, uma vez lá, os principais pontos modificados foi o fato de Rupert não morrer, e os cavalos não terem entrado na igreja (o que acontece no livro), pois nenhuma igreja usada como locação aceitou tal solicitação como informado por Diana Gabaldon no Inside the world do episódio onze.
       
       
Com os primeiros raios de luz, no livro, vieram os gritos dos ingleses que cercavam a igreja com um pedido de rendição dos highlanders . Jamie então disparou sua arma contra os soldados. Em seguida, os soldados avisam que se os highlanders não se renderem, eles vão atear fogo na igreja. É quando Claire pergunta se eles nunca ouviram falar de santuário e os Casacas Vermelhas percebem que há uma mulher inglesa entre os highlanders, e Dougal confirma que há uma inglesa entre eles, e que eles a estão mantendo prisioneira. A diferença do livro em relação à cena do episódio é que na TV, Jamie se voluntaria para se render já que há um preço em sua cabeça, enquanto no livro o grupo highlander como um todo, o que inclui Jamie, não estava disposto a se render. Além disso, na versão da TV, os ingleses não os ameaçam com fogo, mas Murtagh percebe que se atirassem ali, o teto da igreja poderia pegar fogo. Para impedir que o marido se entregasse, Claire grita por socorro, ela mesmo se passando por refém, ou seja, não foi algo que saiu da cabeça de Dougal pelo deslize dela de ser ouvida pelos Casacas Vermelhas como no livro. Em A Libélula no Âmbar, ao escutar Dougal dizendo que Claire é uma prisioneira, Jamie se assusta, e o seu tio explica que essa é a única chance deles. Permitir que os soldados ingleses a levem em troca de suas liberdades, pois eles não farão mal a ela, e Jamie e os homens podem resgatá-la depois de livres. A isso Claire responde:
       

“— Faça isso! — eu disse com urgência. — Dougal tem razão, é nossa única chance!


Ele olhou para mim com ar de desamparo, raiva e medo misturados em seu rosto. E sob tudo isso, um traço de humor diante da ironia subjacente da situação.


— Sou uma sassenach, afinal de contas — disse, percebendo a ironia.


Ele tocou meu rosto de leve com um sorriso melancólico.


— Sim, mo duinne. Mas você é minha sassenach. — Virou-se para Dougal, aprumando os ombros. Respirou fundo e fez um sinal com a cabeça.”
       
Jamie sugere que ela pareça estar em estado de choque porque eles não podem descobrir a verdadeira identidade de Claire. Ele sai da igreja com ela no colo, depois de ter sugerido que ela desmaiasse, uma vez fora da igreja, a deixa no chão. A mudança em relação à série de TV neste ponto seria que Fergus sugere que ela desmaie quando Jamie comenta que ela deveria parecer menos culpada. E é Dougal quem a carrega e a entrega nos braços de um oficial inglês para que não vejam Jamie ali dentro. Em termos da construção da igreja, a única coisa que fugiu um pouco para longe da minha imaginação foi a iluminação, pois como a igreja era descrita como escura e eles ficaram lá boa parte da noite sem luzes, eu não tinha essa visão tão definida deste trecho como foi montado na versão da TV.
       
  • Claire e os soldados ingleses: o capítulo 44 inicia-se com Claire tentando se aquecer em uma fogueira no acampamento dos Casacas Vermelhas. Eles estavam a caminho de uma estalagem, mas pararam para passar a noite ao relento. Ela escutou as conversas dos soldados e descobriu que a batalha de Falkirk não havia acontecido ainda e o que ela havia ouvido tinha sido uma pequena escaramuça entre os Mackenzies e os soldados do rei George. É Claire quem conta aos ingleses que ela era uma viúva de sobrenome Beauchamp e não, Dougal como ocorre no episódio. Ao perceberem que Jamie, o ruivo era um dos captores de Claire, os soldados decidiram enviá-la para o sul, onde deveria entregar informações sobre ele. Claire foi transmitida de um regimento a outro e passou mais de uma semana na estrada sem saber o que “sul” seria exatamente. Na viagem, um dos soldados se insinua para Claire, pois todos eles assumem que ela já tinha sido violentada pelos highlanders, mas outro soldado o afasta. No episódio, quando ela chega à estalagem para descansar, um dos soldados fica fazendo insinuações, entretanto nada faz. No dia seguinte, Claire é avisada que vai para Mansão Bellhurst. No caminho, Claire encontra um mendigo que ela considera familiar. No episódio, Claire reconhece Hugh Munro e disfarçadamente lhe passa uma mensagem para ser transmitada a Jamie por meio dele. No capítulo, assim que ela chega à mansão, ela encontra Mary Hawkins. No episódio, isso só acontece bem depois de ela descobrir quem seria o dono da residência e ter feito um suspeito trato com ele. No livro, assim que ela vê Mary, solta um grito, fingindo ter visto um rato para avisá-la que não pode dizer a ninguém a verdadeira identidade de Claire. O pai de Mary também estava hospedado na casa (e estava de saída) e aparece após os gritos. O Capitão Mainwaring, responsável por Claire, a avisa que ela será hóspede do dono da casa e entrega uma carta ao mordomo. Ela é conduzida ao Duque e ambos ficam surpresos ao se reencontrarem, ainda mais com ela usando um nome diferente, e descobrindo que Mary é afilhada do Duque. No livro, ao ficar sozinha com o Duque, eles começam a conversar. No episódio, a conversa ocorre durante uma refeição, após mostrar a busca de Jamie e Murtagh por Claire, onde Murtagh pergunta a Jamie se já havia ocorrido a ele que casar com Claire talvez não tivesse sido uma de suas ideias mais sábias e Jamie diz que isso nunca lhe ocorreu (Tinha que ser Diana para ter escrito essa cena, que apesar de não estar no livro, pois até este ponto estamos vendo as coisas majoritariamente pelos olhos de Claire, é uma resposta bem “a cara” de Jamie).

       
  • O duque de Sandringham e Mary: no capítulo 44, ainda durante a conversa com o Duque, ele fala que Claire é uma pessoa bem difícil de matar, e ela fica sem entender este comentário. Ele então chama um criado seu que ela percebe ser francês. É quando Claire vê a mancha na mão do camareiro e que liga dois com dois para chegar à conclusão que ele foi um dos homens que atacou a ela e Mary em Paris. Depois disso, ela xinga bastante o Duque, que diz que o rapaz foi azarado por não ter sido bem-sucedido em seus planos. Sandringham explica que tinha enviado o rapaz para matá-la, mas que eles e os amigos resolveram estuprá-la primeiro (e como efeito colateral conseguiram estuprar Mary e estragar o casamento que ele havia anteriormente arranjado para ela), entretanto sendo bastante supersticiosos, reconheceram-na como uma bruxa e fugiram. No episódio, quando Claire descobre por acaso a mancha na mão do camareiro e assim percebe que ele foi um dos homens que a atacaram, o Duque fica possesso que o rapaz se deixou ser reconhecido e afirma que não tinha intenção de matá-la, mas “apenas” de estuprá-la para satisfação do Conde (ele afirma que havia convencido o conde que seria melhor um estupro que uma morte) a quem ele devia dinheiro. Voltando para o livro, o motivo de o Duque tentar matar Claire não foi a dívida com Saint Germain, mas o fato que o Duque queria tirar Jamie de Paris porque ele estava frustrando alguns de “seus negócios”. Ele pensou primeiro em matar Jamie, mas achou que isso poderia ser perigoso, considerando a importância da família de Jamie na Escócia. Então sabendo da grande devoção que Fraser tinha pela esposa, imaginou que sua morte poderia atraí-lo para fora da França. Durante a conversa, Claire vê Hugh no jardim e finalmente o reconhece. Ela pergunta ao Duque se ele é realmente um jacobita, e ele responde que “não necessariamente”, devolvendo a questão, ela disse que não iria responder. No fim da conversa, ele insinua que ela tem um grande atributo naquela casa: ser mulher de Jamie, o ruivo e o fato de Jamie gostar bastante dela. Ou seja, mais uma vez as modificações levaram a um ponto em comum que seria o fato do Duque querer atrair Jamie para uma armadilha. Outra diferença seria que na TV, o Duque pede para Claire escrever uma mensagem para que Jamie venha resgatar Claire e ele, já que ele afirma que está sendo mantido em cárcere privado pelos ingleses e que seria um jacobita, mas depois revela a Claire que isso era apenas para atrair e entregar Jamie aos ingleses, quando logo em seguida a manda para aposentos onde deve ficar trancada. No livro, enquanto estava trancada no quarto, Claire vê pela janela Hugh sendo capturado pelos homens de Sandringham e grita pedindo para ver o Duque. Ela acabou adormecendo perante a porta e acorda com Mary entrando em seu quarto. No episódio, ela também vê Hugh do lado de fora da casa, mas ele não foi capturado e quando Mary entra no quarto, ela pede que Mary vá avisá-lo sobre a armadilha, mas Mary fica com medo, e Claire acaba indo ela mesma agora que a porta está aberta e encontra o Duque na cozinha. No livro, quando Mary entra no quarto, ela diz que conseguiu destrancar a porta, subornando a governanta para que ela ficasse trancada junto com Claire. Ela pergunta a Mary se esta ouviu ou viu algo sobre Hugh, é quando Mary lhe conta que enforcaram o mendigo. Na série de TV, Hugh permaneceu vivo, então essa acaba sendo uma mudança grande em relação aos livros. Será que reservam tarefas mais a frente para ele? Ou um tipo diferente de morte? A morte de Hugh acaba sendo algo bem triste nos livros, assim não ter que passar por isso na TV finda por ser um pequeno alívio mesmo que destoe dos livros. Achei que a morte dele foi bem gratuita na saga. Entrando novamente no mundo do livro, Claire pergunta o porquê de Mary estar hospedada com o Duque e é então que ela conta que foi para lá para conhecer o novo pretendente arranjado pelo padrinho. Na série de TV, o telespectador já sabe que Mary tem um novo pretendente, pois o Duque conta a Claire assim que os três estão reunidos. No livro, Mary está chateada porque ela foi instruída a fingir ser virgem em sua noite de núpcias, devendo se casar com o Sr. Issacson (não sei por que na série de TV mudaram o nome do noivo para Sr. Granger), um rico judeu. Já na série de TV, Mary dá a entender que o Sr. Granger já sabe do que aconteceu em Paris, mas quer uma aliança com o Duque de qualquer forma. No romance, devido ao frio, Claire e Mary vão para cama e se encolhem entre as cobertas. O engraçado desta cena é que quando Claire olha para Mary antes de ela mesma adormecer, ela percebe que a jovem dorme chupando o dedo. Claire acorda com alguém em cima de Mary enquanto a menina lutava, Claire se levanta e acende uma vela, e observa que Jamie é quem está lutando com Mary, pois a havia confundido com a esposa no escuro. Mary avisa que irá acompanha-los na fuga e Jamie acaba aceitando a contragosto.
       
  • Vinganças: enquanto escapam, Mary também reconhece Danton, o camareiro, como o rapaz que a atacou em Paris e grita isso bem alto; na série, Claire que informa isso a Jamie, quando ele chega ao resgate, e Mary por estar presente também escuta, e é a menina atordoada quem mata o jovem. No livro, achei a morte mais dramática pela fala de Jamie, que é quem mata Danton.
       
“— Você a chama de Dame Blanche — disse Jamie , entre dentes. — Eu a chamo de minha mulher! Então, que o rosto dela seja sua última visão!
A faca rasgou a garganta do sujeito com tal violência que fez Jamie grunhir com o esforço e uma cortina escura de sangue jorrar sobre sua camisa. O cheiro fétido de morte súbita encheu o patamar, com um som chiado e gorgolejante do montículo desmoronado no chão, que pareceu se prolongar por um longo tempo.”

       
As vinganças de Jamie são mais uma das características que o levam a ser “o rei dos homens”. Acho que ninguém mais mata alguém de uma forma tão excitante. Parece que até na hora de matar, ele tem a frase exata para dizer e causar o efeito “suspiro”. Uma vez fora da casa, Claire pergunta por Murtagh, e Jamie explica que ele deve ter ido procurar por Hugh, Claire conta sobre a morte do amigo. Logo em seguida, Murtagh aparece carregando um pacote. Durante o caminho, Claire descobre que Hugh teve ajuda de seu enteado mais velho Ewan Gibson, e Jamie teve que contar a triste notícia ao rapaz. Os highlanders pegaram o corpo de Hugh e levaram junto com o enteado até a casa da viúva. Murtagh entra na casa da viúva acompanhado de Mary, onde já estão Jamie e Claire.
       
“Murtagh colocou o alforje no chão, aos meus pés, depois se aprumou e olhou de mim para Mary, para a viúva de Hugh Munro e finalmente para Jamie, que parecia tão intrigado quanto eu. Tendo dessa forma se assegurado da atenção de sua plateia, Murtagh inclinou-se numa mesura formal para mim, uma mecha de cabelos escuros e molhados caindo livremente sobre sua testa.


— Trago-lhe sua vingança, senhora — disse ele, de uma forma tão serena como eu nunca o ouvira falar. Endireitou-se e inclinou a cabeça para Mary e para a sra. Munro. — E justiça pelo mal que lhes causou.


Mary espirrou e limpou o nariz apressadamente com uma dobra de seu xale. Olhava fixamente para Murtagh, os olhos arregalados e atônitos. Abaixei o olhar para o alforje bojudo, sentindo um calafrio profundo e repentino, que nada tinha a ver com o tempo lá fora. Mas foi a viúva de Hugh Munro quem caiu de joelhos e, com mãos firmes, abriu a sacola e retirou de dentro a cabeça do duque de Sandringham.”
       

       
Na série de TV, a cena da morte do Duque acabou sendo mostrada e foi autorizada por Jamie visto que ele sabia o quanto Murtagh queria essa vingança, a qual teria sido posta aos pés de Mary e Claire apenas, já que Hugh não havia morrido e, portanto, sua família não havia sido envolvida. De tal maneira, acaba sendo mais uma cena de ação com muito sangue, enquanto que nos livros a entrega da cabeça do Duque é bem mais uma surpresa, visto que ninguém até então sabia que pacote misterioso era esse que Murtagh carregava, muito menos imaginava que ele tivesse incorporado a Rainha de Copas.
       
  • “A oração”: a “migalha” de amor desta semana foi baseada no final do capítulo 45, mas acontece nas cenas iniciais do episódio. No livro, eles estavam tocados com os acontecimentos referentes a Mary e Alex que ainda não ocorreram na série, mas que eu imagino que ainda devam aparecer. Quando Claire acorda durante a noite, agarrada aos braços de Jamie, ela percebe que ele está acordado.



“— Volte a dormir, mo duinne. — Sua voz era suave, baixa e reconfortante, mas com um travo que me fez estender a mão para sentir as lágrimas em seu rosto.


— O que foi, meu amor? — sussurrei. — Jamie, eu o amo muito.


— Eu sei — ele disse serenamente. — Eu realmente sei, querida. Deixe que eu lhe diga em seu sono o quanto eu a amo. Porque as palavras que lhe digo quando está acordada são sempre as mesmas, não são suficientes. Enquanto você dormir em meus braços, posso dizer-lhe coisas que soariam tolas e loucas, e seus sonhos entenderão a verdade delas. Volte a dormir, mo duinne.


Virei a cabeça, o suficiente para que meus lábios roçassem a base de sua garganta, onde seus batimentos cardíacos pulsavam devagar sob a pequena cicatriz triangular. Depois, repousei a cabeça sobre seu peito e entreguei meus sonhos em suas mãos.”
       
A versão feita para as telas não envolveu uma grande choque emocional anterior. Jamie observava Claire dormindo e faz uma espécie de “oração” em gaélico, a seguir traduzida:
       

“Deus, proteja minha amada, minha pomba branca. E a criança que ela possa ter um dia. Preserve-a da violência e do mal. Neste lugar e em cada lugar. Nesta noite e em cada noite."
       
Quando Claire o questiona sobre o que ele estava dizendo, ele faz a colocação que os sonhos dela reconhecerão a verdade de suas palavras, mas que enquanto acordados essas palavras podem soar tolas ou ridículas. E como sempre é lindo ver o romance entre o casal Fraser e acredito que esta tenha sido a melhor cena do episódio, a qual é concluída com os dois dormindo de “conchinha”.

Comentários via Facebook

1 comentários:

  1. Estou amando muito o "série x livro". Muito bem feito. Estou lembrando de muitas coisas rs

    ResponderExcluir

Lallybroch - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2016