Lallybroch: Livro x Série de TV- Episódio 11: Uncharted
01 dezembro 2017

Livro x Série de TV- Episódio 11: Uncharted


Contém Spoilers dos livros e do episódio

Episódio 11: Uncharted

Esta semana Jamie e Claire desembarcaram na ilha de Santo Domingos. Tão perto e ainda assim, distantes, um não tinha consciência do paradeiro do outro. Parte do episódio seguiu com Claire. Linearmente, encontramos Jamie na segunda parte, para no final, aproveitarmos os dois novamente unidos. “Uncharted” adaptou trechos dos capítulos 50 (Conheço um padre), 52 (Um casamento é realizado) e 56 (Sopa de tartaruga) de “O Resgate no mar”.


- Parte I: Claire


Os primeiros dezesseis enfadonhos minutos do episódio retrataram a jornada de Claire em busca de civilização. Nada muito diferente em termos do ritmo do início do capítulo cinquenta. Apesar de eu achar que eles poderiam ter resumido em uns cinco minutos esse momento em que Claire estava perdida, é possível compreender que a sensação de cansaço deveria ser transmitida também para o leitor/telespectador através da duração da situação. Nós também deveríamos sentir a frustração de Claire. No capítulo cinquenta, Claire descreve a paisagem como estando em um mangue, o que eu não vi no episódio, mas isso é bem irrelevante. Ela também teve/acha que teve alucinações com peixes, o que foi cortado. Após uma tempestade, ela encontra um homem chamado Lawrance Stern, que lhe fornece água e ajuda. A trama de Lawrance Stern, um judeu naturalista que já conhecia Jamie da Escócia, foi retirada do episódio também. Quando Claire informa a ele que precisa chegar à Jamaica, Lawrence a leva até a casa de seu amigo, Padre Fogden, para que ela tivesse acesso à roupa e comida. Em “Uncharted”, quem encontra Claire é o cachorro de Padre Fogden, Ludo. Mamacita a amarra na cama para que ela pare de se coçar das picadas de formiga, o que não ocorre no livro, uma vez que as feridas não aconteceram.


“Podem ter sido a promessa de ajuda, água, as borboletas ou as três coisas juntas, mas o fardo do medo e do cansaço sob o qual eu vinha trabalhando há tanto tempo começou a dispersar. É bem verdade que eu ainda tinha que enfrentar o problema de encontrar transporte para a Jamaica, mas com a sede saciada, um amigo por perto e a possibilidade de almoço diante de mim, isso já não parecia a tarefa impossível que se apresentava no manguezal.”


À primeira vista, Claire julgou Fogden parecido com São Francisco de Assis. Quando eles começam a conversar, o padre acreditava que Claire fosse a senhora Stern, mas o naturalista logo a apresenta como uma colega sua e compatriota de Fogden, o que faz o padre assustar-se com a presença de uma inglesa nessa região. Assim que Claire conhece mamacita, esta já a cumprimenta perguntando quem seria esta p*ta branca. Mamacita e sua delicadeza também estavam presente no episódio.



“Coco” também aparece em O Resgate no mar. No capítulo, padre Fogden explica a Claire, que o coco e Ludo são suas únicas companhias naquela ilha, mas as conversas com ele não são sobre o perigo da viagem de Claire, são coisas mais aleatórias. Fogden também queria que Claire experimentasse um dos vestidos de Ermenegilda, sua amante falecida. Mamacita entra então com os pratos do almoço, os quais são apresentados por Stern como sendo “banana-da-terra frita, misturada com mandioca e feijão vermelho”. No episódio, como Lawrance não está presente, é o próprio padre quem explica a Claire o que é o almoço. Stern também oferece a ela, sangria, o que no episódio não aparece. Após comer, padre Fogden puxa um cachimbo, ao qual Stern pergunta se é haxixe (alucinógeno proveniente da mesma planta da maconha). Antes mesmo do padre responder, ele já começa a perguntar a Claire se ela acha que a maconha tem efeitos digestivos. No episódio, o padre chama a erva de “Yupa”, a qual ele oferece a Claire, mas ela recusa. Após a refeição, Stern, Claire e Fogden começam a traçar um plano para que Claire possa chegar à Jamaica.


“Stern explicou seu plano; após uma noite de sono, pretendíamos caminhar até a vila de St. Luis du Nord e dali ver ver se um barco pesqueiro nos levaria a Cap- Haïtien, a cinquenta quilômetros de distância. Se não, teríamos que ir por terra a Le Cap, o único porto perto.

O padre franziu o cenho, as sobrancelhas ralas unidas, contra fumaça.

- Hum? Bem, imagino que não haja muita escolha, não é? Ainda assim, devem tomar cuidado, particularmente se forem por terra a Le Cap. Maroons, sabe?
-Maroons? – Olhei com ar de interrogação para Stern, que balançou a cabeça, franzindo a testa.

- É verdade. Eu encontrei dois ou três bandos quando vim para o norte pelo vale do Artibonite. Mas eles não me molestaram. Ouso dizer que eu parecia em melhores condições do que eles, pobres coitados. Os maroons são escravos foragidos- ele explicou-me,. – Tendo fugido da crueldade de seus senhores, refugiam-se nas colinas remotas, onde a selva os esconde. (...)”

No episódio, o padre fala como Claire pode chegar à Jamaica, mas fica “enrolando” a sua saída da casa, dizendo que “Coco” afirma ser muito perigoso. No livro, após esse diálogo, Claire pede material para tomar banho; no episódio, mamacita quem avisa que Claire está fedendo e que está na hora de ela lavar-se. Enquanto Fogden prepara a água no livro, ele comenta que não consegue se desfazer dos esqueletos de suas ovelhas que morrem (no episódio, as ovelhas foram substituídas por cabras porque a produção não conseguiu encontrar ovelhas para compor o cenário). Dentre elas está Arabella, aparentemente uma de suas favoritas, que havia sido comida por uns marinheiros na praia. Claire pergunta sobre quando foi o incidente com os marinheiros, e o padre afirma que os havia visto naquele dia pela manhã. Fogden soltou então larvas de besouro que serviam para polir o crânio da ovelha. No episódio, ele solta os besouros já crescidos.




Quando o padre tenta sugerir novamente a mamacita que Claire use os vestidos de Ermenegilda, mamacita afirma que eles são muito pequenos para esta “vaca”. No episódio, ele fala algo semelhante. Claire acaba vestida então em um dos roupões de padre Fogden, mais à frente no episódio, ela volta a usar suas próprias roupas. Em O Resgate no mar, Claire não havia associado que os marinheiros na praia poderiam ser a tripulação do Artemis, então ela continua na casa. Em “Uncharted”, o fato de Fogden ter mencionado um chinês é que faz Claire ter a epifania e sair correndo para a costa em busca do marido. Ainda na casa, Stern conversa com Claire e pergunta se ela conhece um James Fraser de Edimburgo. Ela então afirma que esse é o nome do seu marido. Ele conta, então, como os dois se conheceram na Escócia por meio de um incidente com uma aranha. É Stern quem cita Abandawe para Claire, termo que até agora ao contrário da série em que Margaret Campbell já o havia mencionado, não havia sido citado. Ele fala que Abandawe é uma das cavernas sagradas da ilha. Em “Uncharted”, a tal caverna entra na conversa quando Fogden diz que os besouros que estão limpando a cabeça de Arabela vieram de lá. É Stern quem conta a Claire a história sobre Ermenegilda, como ele foi cortado do episódio, findou que o próprio padre contou. Uma diferença que percebi entre as histórias foi que no episódio Fogden comentou que ela ficou doente logo depois que eles vieram para ilha, enquanto no livro Stern menciona que ela faleceu dois anos após chegarem lá. Stern também comenta que os moradores da vila tem medo do fantasma dela, pois dizem que é o espírito de uma pecadora.


Antes de partirem no dia seguinte para St. Luis du Nord, Claire resolveu fazer algumas perguntas sobre o navio e a tripulação que padre Fogden havia encontrado na costa. O fato de ele mencionar que o líder dos marinheiros usava um gancho foi o que trouxe a epifania no livro, já que nele Fergus usava esse apetrecho em vez de uma prótese. Acompanhada de Stern e Fogden, Claire alcança o Artemis que estava encalhado na praia onde ela encontra Fergus e Murphy, este último apesar de não aparecer na temporada foi citado como morto no episódio juntamente com Raines e Warren. No livro só quem morre dentre eles é o capitão Raines. O Artemis havia passado por uma tempestade (que havia atingido a ilha também) e com isso havia sofrido uma perfuração no casco (no episódio, o mastro é que havia caído) e neste acidente, Raines e mais quatro marinheiros foram lançados ao mar. Quando Claire pergunta sobre Jamie, Fergus responde que achava que Claire estivesse com ele. E assim o paradeiro de Jamie permaneceu um mistério até o capítulo seguinte.


- Parte II: Jamie


O capítulo 51 não foi adaptado para as telas, pois a história de como Jamie e Claire se reencontram foi modificada. No material original, Jamie consegue, de alguma maneira, entrar no Porpoise, onde ele passa a procurar por Claire, porém encontra Harry Tompkins, quem lhe conta que a médica havia pulado no mar e o avisa que Jamie logo irá para o inferno quando chegar a Kingston, golpeando-o em seguida a ponto de deixar Jamie inconsciente. Quando Jamie acorda, ele dá de cara com o capitão Leonard pedindo desculpas pela situação. Jamie empurra Thomas, que cai e bata a cabeça, logo em seguida dá uma surra no capitão, mas acaba sendo golpeado novamente, desmaiando. Quando Jamie acorda, ele está em Cap-Haïten cercado por crianças da ilha de Hispaniola. Com o tempo, Jamie passa a se lembrar de como chegou à ilha. Annekje havia o retirado de sua prisão, explicado que Claire não estava morta, e o jogou no mar, falando que ele deveria se encontrar com ela. As crianças o informam sobre os navios que haviam passado pela ilha, o que inclui o Bruja, e Jamie acaba descobrindo que a embarcação seguira para Bridgetown. E assim, ele sai mais uma vez em busca de sua esposa. No episódio, Jamie estava junto com os outros marujos consertando o navio. Com pressa de encontrar Claire na Jamaica, ele só a reencontra quando ela faz sinal com um espelho, estando todos prontos já para seguir caminho. Ela então lhe conta o que havia acontecido, e que ele era mais uma vez procurado pela Coroa britânica. A cena da reunião deles na praia foi uma das mais bonitas da temporada. A fotografia, a emoção, a trilha sonora, tudo se encaixou, e teve, na verdade, um ar bem mais romântico que a do livro.

- Parte III: Os Frasers

No capítulo 52, quando o navio estava quase pronto, aparecem soldados franceses na praia, e Fergus faz com que Marsali e Claire se escondam no mato. Elas ficam observando o encontro entre Fergus, os marinheiros e os soldados e descobrem que o líder deles era Jamie. Ele estava usando o nome de Capitão Alessandro para comandar os soldados do quartel de Cap-Haïten. Os soldados ajudaram os marujos com o conserto do navio, enquanto isso, Jamie estava parado próximo à mata supervisionando tudo, quando Claire se aproxima dele e ele solta um grito assustado.



“-Claire! – Apertou-me com força contra o peito. Em seguida, agarrou-me pelos ombros e sacudiu-me, com força. – Desgraçada! – ele disse, num sussurro contundente. – Eu tinha certeza que você tinha morrido! Como pôde fazer uma coisa tão tola como se jogar de um navio no meio da noite! Não tem nenhuma noção de perigo?
- Solte-me! – sibilei. O tremor fizera com que eu mordesse o lábio. – Solte-me, já disse! O que quer dizer com eu fazer uma tolice? Seu idiota, o que deu em você para me seguir?
Seu rosto estava queimado do sol; logo um vermelho-escuro começou a escurecê-lo ainda mais, erguendo-se das bordas de sua nova barba.
- O que deu em mim? – ele repetiu. – Você é minha mulher, pelo amor de Deus! É claro que eu iria atrás de você. Por que não esperou por mim? Santo Deus, se eu tivesse tempo, eu...
(...)
Agarrou-me pelos dois braços e beijou-me rápida, mas profundamente.
- Me esqueci. Eu a amo. – ele disse, dando-me outra sacudidela à guisa de ênfase. – Fico feliz que não esteja morta. Não faça isso de novo! – Soltando-me, arremeteu-se de novo pelo meio do mato e desapareceu.”

Jamie havia mandado que seus soldados depois que terminassem de ajudar no conserto do navio, amarrassem a tripulação e os jogassem no porão. Mas ele contou a Fergus para que ele soltasse a informação para a tripulação que já sabia do ataque, assim os marujos que prenderam os soldados no fim das contas, e Jamie tornou-se capitão do Artemis. Como Jamie virou capitão dos soldados é um mistério. Quando Jamie e Claire estão tendo uma conversa bastante lasciva, Marsali entra no quarto exigindo que Jamie cumpra a promessa dele e permita que ela e Fergus se casem já que há um padre na ilha. No episódio, a ideia parte de Jamie depois que Claire conta a ele sobre padre Fogden. No livro, Marsali já havia até conhecido o padre. Após essas conversa, Marsali pede ajuda para se preparar para o casamento e chama a madrasta pela primeira vez de “Mamãe Claire”, o que na série ainda não aconteceu. No livro, Marsali casa com um dos vestidos de Ermenegilda. Na série dá a entender que ela usou um de seus próprios vestidos. A tripulação do Artemis acabou ficando mais uma noite na ilha para que os recém-casados pudessem consumar o casamento na praia. O diálogo da cerimônia em ambas as mídias foram bem semelhantes. O momento em Jamie dá a Fergus o seu nome foi a segunda cena mais emocionante deste episódio. O sorriso no rosto do jovem, o reconhecimento do amor de Jamie a ele como a um filho, foi maravilhoso. Foi a hora em que escutamos “Fergus Claudel Fraser” que é possível sentir a evidência da ligação de pai e filho que eles compartilham. No capítulo, Claire comenta ainda como a teimosia de Marsali, uma moça de 15 anos, conseguira fazer com que esse casamento ocorresse. Antes do casamento, eles colocaram a cena de Claire e Marsali falando sobre fazer bebês que havia sido cortada de um dos episódios anteriores, mas infelizmente o que eu realmente queria ver não entrou no diálogo: Claire falando sobre suas filhas. Além de Marsali explicando que achava que a maternidade iria fazer com que ela não gostasse tanto de ficar próxima a Fergus.



Para as cenas finais do episódio, há um salto em relação aos capítulos. Pode ser que eles apenas tenham invertido a ordem, e a trama que está incluída neles ainda apareça até o fim da temporada. No episódio, enquanto Claire corria atrás de Jamie pela floresta, ela sofre um corte no braço. No capítulo 54, ela recebe um golpe de um pirata que ataca o Artemis, esse corte é que a faz ter uma febre e precise da penicilina. Ele também é bem mais profundo que o das telas sendo descrito como “fundo até o osso, da axila ao cotovelo”. O Sr. Willoughby oferece-se para suturar o braço dela uma vez que Jamie estava bem incerto sobre a situação. No capítulo 56, ela comenta que foram 43 pontos que levou. Também é neste capítulo que Claire pede para Jamie aplicar nela a penicilina e ele congela diante da ideia. No fim, foi ela mesma quem injetou o antibiótico. A sopa de tartaruga foi preparada por Murphy a partir de uma tartaruga que Stern havia pegado. No episódio é o sr. Willoughby quem havia caçado e preparado a iguaria. Assim como em “Uncharted”, Claire também fica bêbada com a sopa de tartaruga que aparentemente estava cheia de conhaque e tenta “atacar” Jamie para um momento carnal. Ele tenta se desvencilhar afirmando que ela estava bêbada, mas acaba cedendo à investida da esposa. Quem os interrompe no livro é o naturalista, o que na série mais uma vez fica a cargo do sr. Willoughby.


Faltam apenas dois episódios para o final da temporada e muito material ainda para ser adaptado. A busca por jovem Ian continua e a ansiedade para saber como a produção conseguirá inserir tantos capítulos em apenas duas horas também. Até o próximo episódio ;)



Por Tuísa Sampaio




Comentários via Facebook

4 comentários:

  1. Parabéns por seu trabalho em nos trazer seus comentários. Tuísa! Aprecio muito as comparações do livro com o episódio e compartilho dos sentimentos a respeito do que ficou faltando! Hoje espero pelo episódio da semana e logo depois fico na expectativa de sua resenha! Valeu!

    ResponderExcluir
  2. A adaptaçao e direçao desta temporada são piores que as anteriores.
    Pena...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :( Tiveram roteiristas que saíram e novos que entraram. Acho que tem muito roteirista que não tem familiaridade com o material.

      Excluir

Lallybroch - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2016