Lallybroch: Diana Gabaldon fala de Outlander em PopFest para EW
31 outubro 2016

Por

Diana Gabaldon fala de Outlander em PopFest para EW





A autora de Outlander Diana Gabaldon deu uma pausa do trabalho do nono livro da popular série de ficção histórica e veio a EW PopFest no domingo, onde ela falou com Lynette Rice-EW (que usava uma fantástica capa de Outlander!) E respondeu às perguntas dos fãs sobre Claire e Jamie. Leia a seguir os nossos oito melhores tópicos das animadas Perguntas e respostas.



Como ela começou

Gabaldon diz que ela sabia desde que ela tinha oito anos de idade que ela era uma escritora: "Com oito anos já sabia que eu queria quando eu percebi que as pessoas realmente produziam livros, eles não apenas saltavam para fora das prateleiras da biblioteca." Mas ela certamente não começou Outlander pensando que iria tornar-se um fenômeno literário (e de televisão).
"Eu escrevi o primeiro livro para praticar; eu não estava indo para mostrar a ninguém " disse ela. Mas depois de ter uma discussão com um homem sobre o qual  é a sensação de estar grávida, ela compartilhou um trecho que escreveu que descrevia o sentimento em detalhe. Quando as pessoas a incentivaram a expandir isso - "isto é uma heroína para um escritor, a qual as pessoas realmente querem ler o que você escreve" - ​​ela compartilhou seu trabalho, trecho por trecho. "Descobri que, dada à natureza indescritível do que eu escrevo, a única maneira de vendê-lo é dar às pessoas amostras grátis."

Como ela descobre seus títulos

Gabaldon ainda não tem permissão para compartilhar o título completo de uma próxima coleção de novelas relacionadas com Outlander que está trabalhando, mas ela revelou que o título inclui a palavra "sete", para as sete histórias. (Ela queria chamar a coleção Salmagundi, que é o significado de um nome de um prato do século 18, apropriadamente, um conjunto de elementos díspares, mas, infelizmente, este foi rejeitado por seu editor.) O próximo romance da série Outlander será chamado Vá Diga as Abelhas que Eu estou Indo, que vem do folclore celta. "As abelhas são insetos muito sociais, e elas são muito interessadas ​​nas idas e vindas da comunidade", explica ela. "Você quer sempre manter suas abelhas informadas."
Enquanto ela pode apenas ler uma lista telefônica Galesa (e tem) para chegar a novos nomes de personagens, títulos de livros não vêm tão facilmente. Com exceção de O Resgate no Mar, que Gabaldon diz veio há ela muito naturalmente, chegando com seus títulos de livros poéticos "é como puxar os dentes." Ela descreveu seu processo como semelhante ao polimento de rochas: "Quando o livro chegou a uma massa significativa, e eu começo a ver do que se trata, quais são os elementos, então eu escolho algumas palavras evocativas que têm a ver com essas coisas e eu tipo as jogo no meu polidor de pedras e as testo em diferentes permutações ", diz ela. "Eventualmente as coisas saem, e caem em um ritmo."

Envolver-se com seus fãs

Considerando que as suas origens como escritora foram baseadas na interação com seus leitores, Gabaldon acha muito natural ser tão envolvida com seus fãs como ela é. Um fã escreveu que leu toda a série 23 vezes; outro mandou uma foto em Polaroid de uma tatuagem de Outlander em seu pé.
Quando ela conheceu pela primeira vez os atores da serie de TV  Caitriona Balfe e Sam Heughan, Claire e Jamie,  depois de um evento de fãs, ela assegurou-lhes "as pessoas que leem os livros são inteligentes, compassivas, civis, educadas - grandes fãs. Eu nunca fui perseguida, nunca tivemos uma experiência ruim de fãs. E eu acho que é porque as pessoas com transtornos mentais não têm a atenção para ler [um livro]" Ela seguiu-se com uma advertência, porém: "Mas, por outro lado, qualquer pessoa pode assistir TV, por isso, quando a série estiver no ar, comece a olhar por cima do ombro. "

Seu Sósia em Outlander

Gabaldon foi citada como dizendo que os escritores não têm segredos, e - Rice acompanhou a cotação com a questão que isso levanta naturalmente "se você quiser saber alguma coisa sobre mim leia meus livros, está tudo lá".  Isso significa que Gabaldon é uma amante fantástica? Sem perder o ritmo, a autora respondeu: "Eu fui casada por 44 anos e eu não ouvi quaisquer queixas ainda".
No que diz respeito a se escrever em seus livros, no entanto, Gabaldon diz que seu sósia mais próximo nos romances é Jamie - "Ele é o que eu seria se eu fosse um homem do século 18". Embora ela tenha tomado evidente prazer em narrar uma reunião com alguns fãs, onde eles começaram a discutir o repugnante Black Jack Randall. "Eu estou sentada lá ouvindo isso e tomando meu chá e pensando, 'você não tem ideia que você está falando com Black Jack Randall agora."

O que ela pensa de Claire na série de TV

Os leitores Outlander são ferozmente protetores dos livros na transição para a tela da TV, e o retrato da série Starz da heroína Claire (interpretada por Caitriona Balfe) atraiu mais críticas do que Jamie por Sam Heughan. Muitos fãs disseram a Gabaldon que a série parece não ter  o senso de humor de Claire, o que Gabaldon atribui à falta de perspectiva de primeira pessoa da série. "Caitriona é uma grande atriz, mas há somente um tanto que ela pode fazer com seu rosto", diz Gabaldon. "Você não pode filmar na cabeça de alguém." Gabaldon não está muito preocupada com essa diferença entre as duas Claires, no entanto: "Principalmente, pelo o incomodo das pessoas. Para aqueles que se incomodam, bem, eles podem simplesmente ir ler o livro novamente. Sem problemas.”

Por John Grey se apaixonar por Jamie

Lord John Grey, a quem Gabaldon descreve como "uma massa efervescente de repressão", era um elemento tão convincente nos livros Outlander que ele mereceu sua própria série relacionada de romances. Pensando sobre como navegar da prisão de Jamie em O Resgate no Mar, Gabaldon decidiu trazer de volta o personagem de A Libélula no Âmbar porque pensou que o ódio de Grey  a Jamie, mas sua obrigação de protegê-lo faria um conflito interessante. Em seguida, ela só aumentou a aposta. "Eu disse, 'bem, isso vai causar um monte de conflito." Então, eu estava pensando' o que poderia ter em um monte de conflito?  Lembra-se. "Não só ele o odeia e quer matá-lo, mas ele também é fisicamente atraído por ele. Que também é algo que ele não pode ter."

Como ela lida com o bloqueio de escritor

"Qualquer coisa que eu veja, pense, ouça, cheire, qualquer escritor pega ideias assim", Gabaldon diz de seu processo, embora ela não esteja imune a bloqueios de escritor. "Quando isso acontece, quando isso acontece, eu costumo ir para a minha coleção de referência e folhear as referências históricas apenas por algo interessante que eu possa usar como um gatilho", que pode ser qualquer coisa que ela possa sentir concretamente. "Assim que eu tiver um, eu vou escrever algumas frases descrevendo, em seguida, levo as palavras para fora, colocando-as novamente e movendo as coisas ao redor. E enquanto isso, na parte de trás da minha mente estou levantando questões: que hora do dia é hoje? Como a luz está caindo? O quarto está quente? Não, não está, meu nariz está frio e assim estão os meus dedos. Aqueço meus dedos, há um incêndio. Onde está o fogo? É lá. Há um cão no fogo. Eu nunca o vi antes - assim ".

O verdadeiro Dunbonnet


Um dos fãs apontou que Dunbonnet, que é um dos nomes que Jamie foi chamado quando ele se escondeu em uma caverna em O Resgate no Mar era uma figura real. "Eu estava na hora lendo um monte de história escocesa, folclore, etc., etc., e me deparei com esta menção de Dunbonnet que escapou de Culloden e se escondeu em sua própria terra em uma caverna por sete anos," diz Gabaldon. Enquanto ela sabia que isso foi real, ela nem sequer se apercebeu na altura quão perfeitamente ele caberia em Outlander, no entanto: "Algum tempo depois, muito depois do Resgate ser publicado, me deparei com o Dunbonnet em outra referência, e em uma versão expandida, e me dizendo que nome de Dunbonnet - era James Fraser "


Comentários via Facebook

1 comentários:

  1. Os romances interessantes seguem sempre uma linha definida: encontro, paixão, amor, muito sofrimento, solução, se possível um final feliz, tudo isso afinal, conforme diz Diana, porque o amor tem um custo. Entretanto o custo para os protagonistas de Outlander é excessivo, principalmente para Jamie. Nenhum ser humano minimamente normal pode suportar tanto suplício em apenas uma só vida e por um tempo tão prolongado. Nenhum ser humano carrega tanto sofrimento mental e físico sem sérias sequelas. Pergunto-me se é necessária tanta amargura para prender a atenção do leitor, não haveria um outro caminho? Lembro-me de Jofrey de Peyrac e Angélique, Marquise des Anges. Não consegui ler até o final, muito angustiante...

    Morena
    nov2016

    ResponderExcluir

Lallybroch - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2016