Brianna e Stephen Bonnet – Para Diana Gabaldon foi um ato “misericórdia” e não de vingança

by - abril 30, 2020


Brianna e Stephen Bonnet em Outlander – eis o porquê de Diana Gabaldon dizer que foi um ato de “misericórdia” e não de vingança


Este artigo contém spoilers da 5º temporada.



Agora que Jamie Fraser (Sam Heughan) se recuperou da picada de cobra com a sua perna e a saúde intactas, graças às mulheres em sua vida – Claire (Caitriona Balfe) fez a penicilina e Brianna (Sophie Skelton) inventou uma seringa funcional – seus pensamentos mais uma vez estão concentrados na importante tarefa em questão: capturar e matar Stephen Bonnet (Ed Speleers) no episódio 10 da quinta temporada de Outlander.

Stephen Bonnet é um homem mau”, diz a autora de Outlander, Diana Gabaldon, com exclusividade ao Parade.com. “Toda a família Fraser/MacKenzie o quer morto. Então, quando ele finalmente é capturado ... quem tem o privilégio de matá-lo?

A lista de pessoas que querem Bonnet morto é longa, e o clã Fraser/MacKenzie está nela por um bom motivo. Ele roubou Jamie e Claire – levando tudo o que eles tinham – depois que eles o salvaram da forca. Roger (Richard Rankin) teve que assistir Bonnet jogar mulheres e crianças ao mar para deixar que elas se afoguem em sua jornada para o Novo Mundo. E ele estuprou Brianna.

“O motivo de Brianna é, sem dúvida, o mais forte”, continua Diana. “Ainda assim, seu pai do século 18 e o marido que está se adaptando ao século 18 querem fazer isso por ela, por acharem que matar alguém a sangue frio não é algo que uma jovem de boa família devesse fazer. A menos que ela realmente queira, é claro ... nesse caso, ela tem todo o direito de cortar a garganta dele, esfaqueá-lo na barriga ou, caso contrário, dar cabo dele de acordo com a sua vontade.”

Jamie fica surpreso quando Roger insiste em acompanhá-lo a Wilmington para fazer parte da armadilha que eles armaram para o pirata, e o Jovem Ian (John Bell) também concorda em participar da farsa – vestindo-se como Alexander Malcolm, o comerciante que supostamente está lá para fazer um negócio – para atrair Bonnet.

“Bree tem seus valores do século XX firmemente sob controle e entende seus protetores masculinos o suficiente para saber que, embora eles certamente matariam por ela, fazê-lo seria difícil para eles – se não for tão difícil quanto seria para Stephen Bonnet”, continua Diana.

Infelizmente, o plano para capturar e matar Bonnet dá errado quando Bonnet vê Claire e Brianna em Wilmington, pois ele envia seus homens para se encontrar com Alexander Malcolm, e ele segue Claire e Bree até a praia, onde ele dá um soco em Claire deixando-a inconsciente e sequestra Brianna.

É aqui que as coisas ficam interessantes, porque na mente de Bonnet, ele realmente acredita que o destino continua aproximando ele e Brianna – ele não entende que ela não vai superar o fato de que ele a estuprou porque ele não acredita que foi estupro – e ele acha que eles podem ter um futuro juntos com Jemmy em River Run, o que Jemmy herdará com a morte de Jocasta (Maria Doyle Kennedy), um acontecimento que Bonnet, é claro, ajudará a antecipar.



Brianna entra no jogo de Bonnet, na esperança de dar tempo suficiente à sua família para salvá-la, e ela quase consegue convencer Bonnet que ela concorda com seu plano, mas então ele pede que ela o beije. Brianna faz o melhor que pode, mas o seu melhor não o engana, e ele está determinado a pegar Jemmy sem ela.

Enfurecido por seu plano ter dado errado, Bonnet decide vender Bree como escrava ao capitão de um navio e eles estão caminhando pela praia para Bonnet receber seu pagamento, quando Jamie, Roger, Claire e Ian chegam e o capturam, com Roger sendo aquele que o derrota. Mas daí, é Brianna que decide que ele deve ser entregue às autoridades, esperando que o governador Tryon (Tim Downie), mesmo estando agora em Nova York, garanta que Bonnet seja punido por seus atos. Afinal de contas, Tryon deve muito a eles por quase ter matado Roger por engano.

“Brianna entende (conscientemente ou não) que uma razão importante para a existência do governo é que ele assume uma identidade coletiva impessoal para a administração da justiça”, diz Diana. “Portanto, a justiça pode ser feita, mas sem o dano, a angústia ou o sentimento de culpa que podem resultar do fato de uma única pessoa ser obrigada a ordená-la. O governo nas colônias está começando a desmoronar, mas há muitos tribunais locais para condenar Stephen Bonnet sem demora – por pirataria.”

E é aqui que ocorre outra reviravolta interessante. Enquanto ele a mantinha presa na ilha, Bonnet confessou a Brianna seu medo mais profundo: o de se afogar. Ele disse a ela: “O mar está faminto por almas.” E a sentença de morte por pirataria na Carolina do Norte exige que o pirata seja amarrado a uma estaca no rio de marés para se afogar lentamente à medida que a maré sobe, proporcionando assim um espetáculo edificante para o público e possivelmente – um aviso para outros piratas.

“Ao longo das duas últimas temporadas, Stephen Bonnet disse a Claire e Brianna que ele tem um medo mortal de se afogar e sempre teve um pressentimento de que morreria dessa maneira. Agora, todos os seus medos se tornaram realidade”, destaca Diana.

À medida que a maré sobe, a multidão na praia se dissipa e, no final, vemos apenas Roger com Brianna, que está segurando um rifle.

“No entanto, Brianna não é uma mulher vingativa, e ela ouviu seu pai quando ele lhe disse que a única forma de fazer as pazes com o que havia acontecido com ela era encontrar uma maneira de perdoar”, acrescenta Diana. “Ela pretendia fazer isso, ela foi até a prisão para lhe contar sobre o bebê, mas não funcionou exatamente como ela esperava. Agora ela vai para o rio com um rifle nas mãos, sabendo que ela é a única pessoa no mundo para quem essa morte não é vingança, mas misericórdia.”

Quando ela mata Bonnet com um único tiro na cabeça, Roger se vira e lhe pergunta: “Foi por misericórdia ou para ter certeza que ele está morto?”

Então, foi por misericórdia? Você decide.



Artigo original de Paulette Cohn, traduzido pela equipe Outlander Brasil

You May Also Like

0 comentários