Destaques

13 de mai. de 2020

Produtores explicam a excruciante sequência do “sonho” de Claire


Os Produtores de Outlander explicam a excruciante sequência do “sonho”/alucinação de Claire

Aviso: este artigo apresenta uma discussão aprofundada sobre abuso sexual. Aconselha-se a discrição do leitor.


Outlander nunca “coloca panos quentes” na realidade da vida do século XVIII, incluindo a prevalência de estupro e violência contra as mulheres durante esse período. O final da 5ª temporada desta noite aborda uma das histórias mais sombrias e controversas da série, seguindo Claire (Caitriona Balfe) enquanto ela é sequestrada, espancada e estuprada.



Mas a série diverge um pouco dos livros, retirando a história do sexto livro e dando a ela um contexto diferente - e sem dúvida mais legítimo -. No livro, o sequestro de Claire é apresentado como um ataque aleatório de um grupo de assaltantes que procuram o estoque de uísque da família. Mas a série o descreve como uma vingança pessoal contra Claire, que passou a maior parte da quinta temporada construindo uma clínica e incentivando as mulheres locais a se defenderem. O principal agressor de Claire, Lionel Brown (Ned Dennehy), se ressente de Claire por encorajar sua esposa a "evitar a cama" dele. Quando Claire é agredida, ela se dissocia, imaginando um mundo em que sua família se reúne alegremente em uma mesa de jantar de Ação de Graças.



Em um vídeo exclusivo para o ELLE.com, os roteiristas do episódio, Matthew B. Roberts e produtor executivo Toni Graphia; diretor Jamie Payne; e a estrela e produtora Caitriona Balfe falam sobre o episódio. Continue lendo para ver os detalhes dos destaques.



O pano-de-fundo


Claire é o terceiro membro da família Fraser a ser estuprada em Outlander. Jamie (Sam Heughan) foi estuprado por Black Jack Randall (Tobias Menzies) no final da primeira temporada, enquanto a filha do casal, Brianna (Sophie Skelton) foi atacada no meio da temporada 4. Vários outros personagens são estuprados na tela ao longo de cinco temporadas, e o programa recebeu críticas e elogios por sua representação de agressão sexual ao longo dos anos.



“Há muitos estupros nesta série de livros e, como um programa e como atores, todos sentimos a responsabilidade de não levar essas histórias de ânimo leve e abordá-las com sensibilidade”, diz Balfe. "Trabalhamos tanto para garantir que cada vez parecesse verdadeira, honesta e respeitosa". Ela acrescenta mais adiante no vídeo: "Esperamos poder esclarecer algo que as pessoas passam na vida real e, de alguma forma, fazer parte de uma conversa positiva sobre o assunto".



A sequência do “sonho”/alucinação


Enquanto sofre o ataque, Claire mostra um espaço onírico (sonho/alucinação) na década de 1960 - para onde Brianna e Roger estão indo quando os vê pela última vez no episódio 11 - e vários membros de sua família, muitos das quais não podem viajar fisicamente para o futuro, são vistos reunidos em torno de uma mesa de jantar de Ação de Graças.




Como Graphia explica, Claire “envolve sua família ao seu redor” para proteger seu cérebro de seus traumas. "Fizemos muitas pesquisas que disseram que as mulheres, geralmente durante esses tipos de ataques, podem se dissociar, e esse é um mecanismo de segurança que seu corpo e cérebro fazem para viver algo assim". ela diz. Isso é semelhante à preparação que Sophie Skelton, que interpreta Brianna, fez por sua cena de estupro na quarta temporada, como ela disse ao HarpersBAZAAR.com em 2018:




“Em minha pesquisa, descobri algo que realmente não sabia: uma resposta da vítima chamada imobilidade tônica, que acontece com muitas mulheres quando são estupradas. Seus corpos “ficam no escuro” e completamente entorpecidos, para que não sintam nada durante o estupro. Eles não estão na sala. Quando Bree vem após o estupro, ela está tremendo e seus nervos estão voltando, e ela começa a sentir os efeitos do que acabou de passar. E, aparentemente, as mulheres que têm essa resposta à imobilidade tônica experimentam PTSD pior depois, porque passam pelo trauma posteriormente.




Essas cenas apresentam vários “presentes escondidos” para os fãs de longa data da série. Graphia ressalta que Jamie enrolando um cobertor (xadrez) em torno de Claire deve ecoar um momento desde a primeira temporada: "Esse é um símbolo de sua proteção". Há também uma pintura abstrata de Fraser's Ridge, como observa Roberts.



Uma laranja aparece várias vezes ao longo da sequência e Graphia detalha a referência da segunda temporada ao ELLE.com:


[É] um eco deliberado da laranja que o rei da França dá a Claire na segunda temporada, episódio 207, "Faith". Depois que Claire dorme com o rei da França para salvar a vida de Jamie, quando ela sai do Palácio de Versalhes, a última coisa que ela faz é pegar a laranja e levá-la com ela. Foi um pequeno gesto de Claire, uma escolha que simboliza que ela está saindo com sua dignidade. Matt e eu o incluímos de propósito nas escapadas dos sonhos de Claire em 612: a laranja sendo visível na cena de abertura em sua sala de estar; então, quando confrontada com a opção de matar Lionel em vingança, Claire pisca na laranja - e depois ela saindo com ela - um símbolo de que ela assumo o papel principal. Ela tem um pedaço de si mesma que ninguém pode tirar dela. Esperamos que os fãs que se lembram do episódio da segunda temporada o entendam!


Descrevendo a violência na tela


"Foi provavelmente o episódio mais difícil que já tivemos em filmar", diz Graphia. Payne acrescenta: "Minha responsabilidade como diretor é garantir que não gravemos nada de que não precisamos, tanto quanto a natureza potencial gratuita dessa violência".



Balfe admite que é difícil filmar essas seqüências, mas se sentiu pior pelos homens que interpretavam os agressores de Claire. "Para mim, sim, é uma situação horrível ter que passar por esses atos de estupro, mas para os homens, acho que foi horrível que eles tivessem que habitar esses estupradores horríveis", diz ela. “E todos eles eram tão respeitosos. Mas acho que você quer que seja real e visceral.



A recuperação de Claire


Ao longo da série, Claire frequentemente declara seu compromisso com o Juramento de Hipócrates: “Não faça o mal”. Jamie (Sam Heughan) e o resto dos socorristas de Claire capturaram Lionel após o ataque, e uma vez que Claire está segura em sua casa, ela tem a chance de enfrentar Lionel e se vingar. Em vez disso, ela se recusa a quebrar seu voto, mas uma vez que está sozinha novamente, ela cai em lágrimas. “Ela é forte, mas não é super-mulher, então temos aquele momento no corredor em que isso simplesmente a atinge, porque é o que acontece na vida real: você vai junto e pensa que vai ficar bem, e então ela realmente enfrenta Lionel Brown ”, diz Graphia. “Muitas mulheres fazem isso, como a bravura das mulheres hoje em dia que vão a tribunal e enfrentam o agressor. Isso não significa que ela não está danificada e que não sentirá isso pelo resto da vida. "




Balfe também discute seu compromisso em encontrar nuances dentro de Claire, mesmo depois de interpretar o personagem por cinco temporadas. "Também tentamos esclarecer o fato de que, apesar de Claire ser esse personagem forte, a força não é apenas otimismo", diz ela. “Força é vulnerabilidade. A força também é experimentar a dor e permitir-se quebrar, até certo ponto.”




Artigo original por Julie Kosin, traduzido pela Equipe Outlander Brasil

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade

Instagram

© Lallybroch – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in